A adesão foi fraca, mas arranca hoje a recolha de votos em lares e de eleitores em confinamento

Os votos para as eleições presidenciais dos quase 13 mil idosos em lares e pessoas em confinamento devido à covid-19 que se inscreveram para votar antecipadamente começam a ser recolhidos por todo o país esta terça-feira.

No total, são 12.906 pessoas, entre idosos em lares e pessoas em confinamento obrigatório por estarem infetadas com o novo coronavírus, que vão poder votar sem sair à rua entre hoje e quarta-feira, segundo dados do Ministério da Administração Interna.

O trabalho de recolher o boletim destes eleitores vai ser feito, porta a porta, por equipas montadas pelas autarquias, devidamente equipadas e com regras sanitárias estritas.

A inscrição para o voto antecipado, sobretudo dos doentes com covid-19, motivou várias reclamações à Comissão Nacional das Eleições (CNE), de eleitores que se queixavam de informações incompletas sobre os prazos.

Só podiam fazer o pedido para o voto antecipado em confinamento os eleitores a quem tivesse sido decretado confinamento pelas autoridades de saúde pública até quinta-feira, 14 de janeiro, dez dias antes das Presidenciais.

É o que estipula a lei aprovada em outubro, no Parlamento, que regula o direito de voto antecipado para os eleitores que estejam em confinamento obrigatório em atos eleitorais e referendários em 2021.

O que quer dizer que quem foi confinado a partir de sexta-feira, seja por estar doente seja por isolamento profilático (devido a um contacto com uma pessoa infetada), já não pode pedir para votar antecipadamente.

Porém, segundo o semanário Expresso, que cita dados da CNE, as inscrições para o voto antecipado em casa e em lares foi inferior a 10% dos infetados. Dos 12.906 inscritos, Lisboa é o concelho que regista o maior número de inscrições (989 eleitores), seguindo-se Sintra (508), Porto (304), Oeiras (288 ), Coimbra (268), Loures (245), Almada (236), Braga (259), Seixal (230), Cascais (209), Amadora (201) e Vila Nova de Gaia (200).

Por outro lado, em concelhos como Fronteira, Portel, São Brás de Alportel, Vila Real de Santo António, Machico e Santa Cruz apenas um eleitor confinado solicitou o voto antecipado. O jornal refere que em 67 dos 308 municípios portugueses não se registaram solicitações para o voto antecipado em confinamento.

Ainda segundo a RTP, alguns lares tiveram problemas em fazer a inscrição na plataforma do Ministério da Administração Interna (MAI), pelo que vários utentes não vão conseguir votar. Há casos em que surgem vários registos da mesma pessoa e algumas discrepâncias nos dados.

As eleições Presidenciais estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a 10.ª vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976.

A campanha eleitoral começou a 10 de janeiro e decorre até sexta-feira, com o país a viver sob medidas restritivas devido à pandemia. Concorrem às eleições sete candidatos, Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP) Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.