Armando Vara também quer ter acesso aos autos

Miguel A. Lopes / Lusa

Tiago Rodrigues Bastos, advogado do antigo ministro Armando Vara

Tiago Rodrigues Bastos, advogado do antigo ministro Armando Vara

A defesa de Armando Vara, arguido na “Operação Marquês”, anunciou que vai solicitar o acesso aos autos da investigação, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter decretado o fim do segredo de justiça interno no caso.

“Naturalmente que queremos conhecer rapidamente o processo, para estarmos mais aptos a consolidar a nossa posição sobre a matéria” disse o advogado Tiago Rodrigues Bastos, que defende Armando Vara.

A informação foi avançada um dia depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter indeferido um requerimento do Ministério Público que pedia a nulidade do acórdão de 24 de setembro, do mesmo tribunal superior, que decretava o fim do segredo de justiça interno da investigação da “Operação Marquês”.

Tiago Rodrigues Bastos frisou ainda que a medida de coação aplicada ao seu cliente “foi decidida em circunstâncias que não deviam ter sido observadas”, referindo-se ao facto de o caso já não estar em segredo de justiça, quando o ex-ministro foi interrogado, no passado mês de julho.

“Quando o doutor Armando Vara foi ouvido, segundo o que agora diz o acórdão, já a consulta do processo lhe devia ter sido facultada e não foi. Consideramos que há aqui uma situação anómala“, adiantou o advogado, sem referir quais as consequências para o processo.

O defensor de Vara referiu ainda que o ex-ministro continua em prisão domiciliária, mais de uma semana depois de o juiz Carlos Alexandre ter substituído aquela medida de coação pela prestação de uma caução de 300 mil euros.

“Estamos neste momento à espera de um despacho do juiz que declare validamente prestada a caução”, disse Tiago Rodrigues Bastos, que espera que esta situação seja resolvida rapidamente, “com a cessação da medida de prisão domiciliária e a consequente retirada da pulseira”.

Além da caução, Vara está proibido de contactar os restantes arguidos no processo e de se ausentar para o estrangeiro.

O ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) está em prisão domiciliária com pulseira eletrónica, desde 10 de julho, após ter sido detido no âmbito da “Operação Marquês”, por suspeitas de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção passiva.

A “Operação Marquês”, relacionada com diversos crimes económicos, conta com nove arguidos, designadamente o ex-primeiro ministro José Sócrates, indiciado por fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

O empresário Carlos Santos Silva, o administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, o ex-motorista de Sócrates João Perna, o administrador da farmacêutica Octapharma Paulo Lalanda de Castro, a mulher de Carlos Santos Silva, Inês do Rosário, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o presidente da empresa que gere o empreendimento de Vale do Lobo, Diogo Gaspar Ferreira, são os outros arguidos no processo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tia de Kim Jong-un faz a primeira aparição pública em mais de seis anos

Kim Kyong-hui, tia paterna do líder norte-coreano Kim Jong-un, reapareceu em público este sábado pela primeira vez em mais de seis anos, escreve a BBC. A emissora britânica, que avança a notícia citando a Agência Central …

Coronavírus. Madeira está a preparar-se para eventual surto

Região da Madeira “já está a delinear” quartos com pressão negativa e áreas isoladas, além de “fármacos, oxigénio, fatos protetores, máscaras e capacidade laboratorial”. O presidente do Instituto de Saúde (Iasaúde) da Madeira anunciou esta segunda-feira …

Luanda Leaks. Isabel dos Santos vai processar o consórcio de jornalistas

Depois de Rui Pinto ter assumido a autoria da divulgação dos documentos do caso Luanda Leaks, Isabel dos Santos avança que vai processar o consórcio de jornalistas. A empresária angolana Isabel dos Santos vai processar o …

Portugal vende cinco F-16 à Roménia por 130 milhões de euros

O ministério da Defesa Nacional oficializou hoje, na Base Aérea de Monte Real, no distrito de Leiria, a venda de cinco aviões militares F-16 à Roménia, num negócio de 130 milhões de euros. "Com este processo …

Pedro Proença e a violência no futebol: "É chegada a altura de o Governo assumir responsabilidades"

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol (LPFP), Pedro Proença, disse esta segunda-feira, depois de uma reunião no Ministério da Administração Interna (MAI), que o governo deve assumir responsabilidades sobre os recentes casos de violência …

Reconhecimento facial vai ser testado no acesso a serviços públicos online

O Governo quer criar um sistema de reconhecimento facial para usar a chave móvel digital, ferramenta que já permite aceder a vários serviços online do Estado. O Governo está a planear criar um sistema de reconhecimento …

Sem voz no clube, Raul José pondera abandonar o Sporting

Sem voz na pasta das contratações e construção do plantel, Raul José, líder do departamento de scouting do Sporting, pode estar de saída do clube. Raul José, líder do departamento de scouting do Sporting CP, estará …

António Costa vai responder por escrito a 100 perguntas sobre Tancos

Apesar de sempre ter defendido que o testemunho devia ser presencial, o Juiz Carlos Alexandre aceitou que António Costa possa depor por escrito sobre o caso do furto e recuperação das armas de tantos. O …

ERC regista como "publicação de informação" site de propaganda

A ERC registou o Notícias Viriato como "publicação de informação", em novembro do ano passado, quando o projeto do Medialab diz que se trata, na verdade, de um "site de propaganda". Segundo o Diário de Notícias, a …

Conselho da Europa pede que polícia portuguesa tenha mais treino sobre direitos humanos

O Conselho da Europa (CE) acredita que teria sido uma boa ideia incluir no próximo recenseamento da população portuguesa, marcado para 2021, uma questão sobre a origem étnica. A proposta chegou a ser avaliada por …