Aquecimento global pode ter um efeito positivo: complicar a vida aos mosquitos

Centers for Disease Control and Prevention / Wikimedia

Anopheles, mosquito da Malária

As alterações climáticas por causa do aquecimento global vão ter efeitos nefastos para toda a humanidade, mas num futuro planeta mais quente e com menos precipitação os mosquitos vão ter a vida dura e encontrarão mais dificuldades para proliferarem.

Esta é a boa notícia que sai de uma nova pesquisa, publicada pela revista Nature, que se centrou nos impactos do aquecimento global e das alterações climáticas na propagação da malária na África Ocidental.

Os investigadores partiram de dados da queda de chuva entre 1970 e 2005 para construírem modelos de previsão de precipitação para o período de 2070 a 2100, reporta o site Humanosphere.

Partindo do princípio que a passada do aquecimento global vai continuar ao ritmo presente, chegaram então, ao cálculo das zonas da África Ocidental que vão viver alterações em termos de queda de pluviosidade e concluíram que na África oriental haverá um declínio de chuva, o que ajudará a reduzir o número de mosquitos e, consequentemente, a malária.

Nas zonas centrais e ocidentais do continente, poderá verificar-se mais chuva, mas a doença manter-se-á estável, apontam os investigadores.

Estes dados contrastam com os apresentados recentemente por outro estudo, que previu que o risco de malária, em termos globais, aumentará entre 2050 e 2080, especialmente nas zonas de África onde a doença já está mais implantada, em partes da América do Sul e no sudeste asiático.

Outra investigação, realizada pela Universidade do Estado do Texas (UET), nos EUA, e publicada na Environment International, revela que as alterações climáticas, seja envolvendo aumento de temperaturas, seja implicando mais chuva, podem ter um efeito dominó que pode aumentar ou diminuir os riscos associados às doenças infecciosas.

“Neste momento, há tanta incerteza que é difícil prever e prevenir surtos”, nota a professora Yongmei Lu, do Departamento de Geografia da UET, que esteve envolvida neste estudo, em declarações citadas pela Elsevier.

“As mudanças na temperatura, na precipitação, vento e sol podem ter todas um impacto – directo ou indirecto, através do ambiente – nos agentes patogénicos, nos hospedeiros e na transmissão“, explica por seu turno o professor Bing Xu, da Universidade Tsinghua, na China.

“Precisamos de ser mais pro-activos quando toca a entender o que está a acontecer para travar a propagação destas doenças”, conclui Bing Xu quando uma previsão da ONU aponta que as temperaturas elevadas vão tornar impossível trabalhar em certas partes do globo.

A situação sócio-económica de populações que já enfrentam condições de pobreza evidente pode assim, complicar-se ainda mais com o aquecimento global, o que é um factor de risco sempre a considerar no capítulo das transmissões de doenças infecciosas e na propagação de vírus.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Batalhas de feiticeiros e círculos de demónios. Revelados textos cristãos que não foram incluídos na Bíblia

Os textos da Bíblia como a conhecemos hoje foram "canonizados" pela primeira vez pela Igreja no final do século IV. No entanto, antes disso, centenas de outros textos religiosos circularam por toda a Cristandade. Há mais …

Autoeuropa confirma que não irá renovar contrato a 120 trabalhadores

A administração da fábrica de automóveis Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, confirmou, esta quinta-feira, que não vai renovar os contratos a termo de 120 trabalhadores ligados à produção dos veículos MPV (Multi-Purpose Vehicle). "A Autoeuropa reafirmou a …

Glaciar na Islândia "escondia" bombardeiro norte-americano da 2ª Guerra Mundial

Os destroços de um bombardeiro norte-americano B-17 Flying Fortress que colidiu com o glaciar Eyjafjallajökull durante a II Guerra Mundial estão gradualmente a aparecer à medida que a geleira recua devido às alterações climáticas. De acordo …

40 anos depois, assassino de John Lennon pede desculpa pelo crime "desprezível"

Mark David Chapman, o homem que assassinou John Lennon, diz que matou o ex-Beatle por "raiva e ciúmes" e pediu desculpa a Yoko Ono, 40 anos depois. Em 1980, Chapman atingiu John Lennon com quatro tiros …

Reportado o primeiro caso de parkinsonismo após infeção de covid-19

Um homem de 45 anos de Israel revelou sintomas da doença de Parkinson (parkinsonismo) logo depois de ter sido infetado com a covid-19. Tal como frisa o portal IFL Science, os vírus foram já muitas …

Pico da segunda vaga em Portugal poderá ser no início de outubro

Um estudo, publicado esta quarta-feira, indica que o pico da segunda vaga em Portugal poderá acontecer no início de outubro, na semana entre 5 e 11 de outubro.  De acordo com a rádio Renascença, previsões da consultora …

Ex-membro dos Panteras Negras vai ser libertado após 49 anos de prisão

Um ex-membro do Partido dos Panteras Negras, que está na prisão há quase meio século, vai finalmente conseguir a sua liberdade, depois de um conselho de liberdade condicional de Nova York ordenar a sua libertação. Jalil …

"Cristiano Ronaldo disse-me que vou ser feliz no Barcelona", revela Pjanic

Reforço do Barcelona elege o seu novo estádio como o melhor de todos mas o seu ídolo no futebol é o treinador do Real Madrid. Miralem Pjanić, que se mudou para o Barcelona neste verão, jogava …

Portugal em grupo de países com "tendência preocupante", mas "risco moderado"

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) colocou Portugal, esta quinta-feira, num grupo de Estados com "tendência preocupante" de casos de covid-19, mas com "risco moderado". Na avaliação de risco hoje atualizada e …

Finlândia restringe entrada de turistas vindos de 13 países (e recorre a cães para controlar infeções)

Helsínquia anunciou hoje uma diminuição do número de países cujos habitantes podem entrar sem restrições na Finlândia, devido ao agravamento da epidemia de covid-19. Portugal continua na lista dos indesejados. A partir de segunda-feira, apenas os …