Após 400 anos de silêncio, igreja alemã pede desculpa pela caça às bruxas

Na cidade bávara de Eichstätt, entre os séculos XV e XVIII, cerca de 400 pessoas inocentes foram torturadas e mortas por serem “bruxas”. Após 400 anos de silêncio, a igreja alemã veio a público pedir desculpa.

Na época da caça às bruxas, cerca de 60 mil pessoas foram mortas na Europa – incluindo cerca de 25 mil em terras alemãs. As vítimas eram principalmente mulheres, mas alguns homens e crianças também sofreram.

Os perseguidores das alegadas bruxas tinham os seus próprios meios de decidir se o acusado era inocente ou não. Os testes locais incluíam “corte de capacete”, onde uma faixa de metal pontiaguda era apertada em torno da cabeça da vítima.



A igreja católica em Eichstätt manteve-se em silêncio sobre o assunto durante cerca de 400 anos. Agora, de acordo com o jornal britânico The Independent, o bispo da cidade, Gregor Maria Hanke, prometeu uma placa memorial na catedral local.

O bispo descreveu os eventos como uma “ferida sangrenta na história da nossa igreja”, uma declaração que os ativistas esperavam ouvir depois de anos a pedir às igrejas que admitissem a sua culpa.

Um artista de Munique, Wolfram Kastner, a quem foi dado o crédito pelo feito, disse que “é bom que tenham feito algo, mas é claro que não é suficiente”.

Kastner começou a sua campanha em 2017, quando descobriu as transcrições do interrogatório original em Eichstätt. O artista ficou tão chocado que decidiu chamar a atenção para o ocorrido. Como parte da sua campanha, o artista leu o destino das vítimas na praça em frente à catedral da cidade.

Um exemplo, de 1627, é o de Ursula Bonschab, que era a esposa do presidente da câmara. Com 36 anos, foi presa e torturada por 20 dias. Por fim, Bonschab confessou as acusações que incluíam “desenterrar cadáveres de crianças mortas”, “fornicar com o diabo” e “envenenar outras pessoas”. Depois, foi queimada na fogueira – mas evitou ser decapitada primeiro.

Os julgamentos de bruxas eram tradicionalmente conduzidos por tribunais que não estavam diretamente ligados à igreja, mas quem faz campanha diz que a culpa é da igreja. Isto ocorre porque a doutrina sobre bruxas e o diabo foi usada para acusar inocentes de crimes.

Uma campanha começou em 2011 e foi iniciada por um pastor alemão aposentado, Hartmut Hegeler. Nos nove anos desde que começou, mais de 50 cidades se desculparam pelo papel que desempenharam na caça às bruxas.

Em declarações ao The Times em 2019, Hegeler disse que “a igreja estava com medo da Reforma e os julgamentos das bruxas foram um meio de combatê-la”. Quem se afastava do catolicismo, foi “rotulado como aliados do diabo” – e funcionou.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Faz lembrar hoje em dia os milhares de desaparecimentos de mulheres no Irão.. só porque se recusam a ser escravas do “diabo divino” que era o guia dessa religião macabra. Enfim, para haver evolução das espécies e da consciência humana as religiões têm que ser afastadas do poder político, da justiça e das forças de segurança, caso contrário é o que se já conhece há milhares de anos..

RESPONDER

Seca pode ser a "próxima pandemia e não há vacinas que a curem", alerta a ONU

A seca e a escassez de água podem afetar o planeta de forma sistémica se não forem tomadas medidas urgentes sobre a gestão da água e dos solos, alertou a Organização das Nações Unidas (ONU) …

Três portugueses morrem em desabamento de escola na Bélgica

O desabamento de uma escola em construção em Antuérpia, na Bélgica, provocou, esta sexta-feira, a morte de três portugueses. As circunstâncias em que o desabamento ocorreu ainda não são conhecidas. Fonte consular portuguesa confirmou à RTP …

António Oliveira desiste de candidatura à Câmara de Gaia

Esta sexta-feira, numa reunião de emergência, António Oliveira, candidato à Câmara de Vila Nova de Gaia, anunciou ao líder do PSD, Rui Rio, a sua desistência da corrida eleitoral. António Oliveira tinha sido a escolha de …

Elemento da comitiva olímpica portuguesa recusou vacina

Todas as outras pessoas que estarão em Tóquio, a representar Portugal, já foram vacinados contra a COVID-19. Quase todos os membros da comitiva olímpica portuguesa, que vão estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, foram vacinados contra …

Os balões incendiários são a mais recente arma nas tensões Israel-Hamas

Durante a noite, forças israelitas voltaram a quebrar o cessar-fogo e lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários lançados pelo Hamas. Ativistas palestinianos lançaram dezenas de balões incendiários por cima …

Croácia 1-1 República Checa | Perisic empata e ninguém se chateia

A República Checa empatou hoje a um golo com a Croácia, em encontro da segunda jornada do Grupo D do Euro2020 de futebol, disputado em Glasgow, colocando-se em boa posição para chegar aos oitavos de …

Rio Ave não vai admitir adeptos nos jogos

Federação confirmou que o público pode voltar ao futebol mas o clube de Vila do Conde considera que a medida anunciada é injusta e tardia. Algumas competições organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol estão autorizadas a …

Parlamento levanta imunidade a André Ventura

O levantamento da imunidade parlamentar permite a André Ventura responder perante o Tribunal Judicial da Comarca de Braga sobre o jantar-comício nas presidenciais, que contou com mais de 170 pessoas. O Parlamento levantou, esta sexta-feira, a …

Adeptos do Parma contestam regresso do Buffon "mercenário"

Faixa exibida à porta do estádio do Parma recorda saída para a Juventus, em 2001: "Saíste como mercenário". Gianluigi Buffon está de volta ao Parma, 20 anos depois. Mas nem todos os adeptos do emblema italiano …

Ex-adjunta da ministra da Justiça vai investigar corrupção no Governo

A magistrada Carolina Costa, que foi adjunta da ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, foi escolhida para integrar o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP). Ora, este órgão, está a investigar vários elementos …