António Mendonça: “Era o que faltava ser instrumentalizado por José Sócrates”

André Kosters / Lusa

António Mendonça, antigo ministro das Obras Públicas

O ex-ministro das Obras Públicas negou ter sido pressionado por José Sócrates para favorecer o Grupo Lena e disse que se limitou a seguir um processo “que já estava em curso”.

De acordo com o Ministério Público, José Sócrates terá instrumentalizado não só António Mendonça mas também Mário Lino para que estes favorecessem os interesses do consórcio Elos, de que fazia parte o Grupo Lena, na atribuição do projeto de construção de um comboio de alta velocidade que ligasse Poceirão a Caia.

António Mendonça negou esta acusação e disse que quando quando tomou posse o processo já estava em andamento. O ex-ministro confessou, de acordo com o semanário Expresso, que ficou surpreendido quando o Tribunal de Contas chumbou o projeto porque, numa conversa “informal” que teve com o então presidente da entidade, Guilherme d’Oliveira Martins, este lhe deu a entender que estava tudo “bem encaminhado”.

Segundo o mesmo jornal, António Mendonça reagiu mesmo com indignação à acusação do MP. “Era o que faltava ser instrumentalizado por José Sócrates”, disse, quando foi confrontado com as suspeitas da equipa de procuradores liderada por Rosário Teixeira. “Não fui coagido, constrangido, nem nada”, garantiu Mendonça que substituiu Mário Lino na pasta das Obras Públicas em 2009 e ficou no cargo até 2011, quando o PSD ganhou as eleições legislativas e Pedro Passos Coelho formou Governo.

O ex-governante disse não saber quem introduziu a cláusula que previa uma indemnização e o recurso a um tribunal arbitral caso o TC viesse a chumbar o projeto. “Quando sai do Governo só quis esquecer“, admitiu.

Mário Lino também negou ter sido usado por José Sócrates para favorecer os interesses do Grupo Lena, dizendo que os governantes “não são mentecaptos”.

Em março de 2012, recorda o Expresso, no Governo de Passos Coelho, o Tribunal de Contas chumbou o projeto por falta de verba. Os juízes notaram que as propostas que passaram à fase de negociações foram alteradas posteriormente e apresentaram um conjunto de condições que não tinham sido aceites na primeira fase do concurso.

Um tribunal arbitral condenou o Estado português a pagar 149 milhões de euros de indemnização ao consórcio, valor que ainda não foi pago.

Ivo Rosa ainda vai ouvir Sérgio Monteiro, secretário de Estado das infraestruturas do Governo de Passos Coelho.

PARTILHAR

RESPONDER

"Toma a vacina ou ponho-te na prisão". Presidente das Filipinas ameaça prender quem recusar ser imunizado

O Presidente das Filipinas ameaçou prender quem se recusar a tomar a vacina contra a covid-19, numa altura em que o país combate o pior surto da doença desde o início da pandemia. "Se não se …

Preços das casas continuam a subir. Centeno alerta para riscos de bolha imobiliária

Os preços das casas voltaram a registar um aumento em relação ao mês passado e não subiam tanto há mais de dois anos. Uma situação que leva o Banco de Portugal a alertar para os …

Itália segue os passos de França e Espanha e abandona o uso de máscara na rua

A Itália vai suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre a partir do próximo dia 28 de junho, revelou o governo na segunda-feira. Depois de ter sido considerado o epicentro da pandemia, Itália …

União Europeia endurece sanções contra a Bielorrússia

A União Europeia, os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá decidiram, esta segunda-feira, punir dezenas de personalidades e empresas ligadas ao regime bielorrusso. No final de uma reunião, no Luxemburgo, os 27 Estados-membros da …

Casimiro quer 30 milhões pela Groundforce. 10 milhões são para a banca

Alfredo Casimiro está a tentar vender a sua parte na Groundforce por 25 a 30 milhões de euros. Contudo, o acionista não deverá ficar com o montante pago já que tem pagamentos em atraso a …

Meio milhão de mortes depois, Brasil pede (em força) demissão de Bolsonaro

No sábado, o número de óbitos por covid-19 ultrapassou o meio milhão no Brasil. Centenas de milhares de manifestantes encheram as ruas de mais de 400 cidades brasileiras e do mundo, acusando o Presidente Jair …

23 juízes nomeados "em velocidade de cruzeiro" nos Governos de Costa. "Porta giratória coloca em risco a democracia"

Durante os dois Governos de António Costa foram nomeados 23 magistrados para cargos políticos. Nomeações "em velocidade de cruzeiro", segundo a Associação Transparência e Integridade que fala de uma "porta giratória" que "coloca em risco …

Covid-19. Vacinação só de adultos pode tornar os jovens "reservatórios" da variante Delta

A vacinação da população adulta pode levar os mais jovens a tornarem-se um "reservatório" da variante Delta, mais contagiosa, e criar um ambiente propício ao surgimento de novas variantes. De acordo com Julian Tang, virologista na …

Mais de metade das Câmaras viola a Lei da Proteção de Dados

Mais de metade das Câmaras Municipais viola a Lei da Proteção de Dados. O levantamento conclui que, das 308 câmaras do país, 177 não cumpriram a lei. O Regulamento Geral de Proteção de Dados dita que …

Após o Brexit, a União Europeia prepara-se para restringir conteúdos britânicos na TV e no streaming

Política, economia e agora cultura. Depois do Reino Unido ter saído da União Europeia, a organização prepara-se para diminuir a quantidade de filmes e séries britânicas disponíveis nas estações de televisão e nos serviços de …