Adeus, Philae! Rosetta corta contacto com módulo ao fim de um ano sem sinais

ESA

Esboço artístico da sonda Philae da nave Rosetta no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko

Esboço artístico da sonda Philae da nave Rosetta no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) cortou as comunicações com o módulo de aterragem Philae, parte da sonda espacial Rosetta, depois de um ano sem receber sinais.

A interface de comunicações (ESS) entre Rosetta e Philae foi desligada esta quarta-feira, visando poupar energia para continuação das operações científicas nos últimos dois meses até ao final da missão Rosetta, que explora o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko.

“Temos de maximizar energia disponível para os instrumentos científicos de Rosetta e por isso não tivemos escolha senão desligar a ESS”, disse Mark McCaughrean da Agência Espacial Europeia à agência de notícias AFP.

A sonda Rosetta vai continuar em órbita do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, que se desloca entre as óbritas de Terra e de Júpiter, durante mais dois meses.

“A energia vai cada vez diminuir mais, e agora o foco vira-se totalmente para Rosetta, cujas missões científicas muito bem-sucedidas vão acabar a 30 de setembro“, disse McCaughrean.

Nos finais deste mês, o módulo vai encontrar-se a cerca de 520 milhões de quilómetros do sol, o que vai provocar grande perda de energia.

10 anos de expectativa

O módulo de aterragem Philae foi lançado em março de 2004 com a sonda Rosetta, como parte de uma misssão da ESA no valor de 1,3 mil milhões de euros.

Os aparelhos viajaram juntos 6,5 mil milhões de quilómetros antes de entrarem na órbita do cometa 67P em agosto de 2014.

Atingida a órbita, o módulo de aterragem separou-se da nave a 12 de novembro de 2014 e pousou no cometa Churyumov-Gerasimenko, tornando-se o primeiro objeto artificial e controlado a pousar na superfície de um cometa.

O Philae funcionou durante 60 horas a enviar dados recolhidos, mas estando privado de luz solar, entrou em hibernação até junho de 2015, quando teve a bateria recarregada pelo sol e enviou uma mensagem de dois minutos via Rosetta.

O módulo deixou de dar sinais a 9 de julho de 2015 e os cientistas consideraram ter passado a um estado hibernação eterna, mas a ESS ainda não tinha sido desligada, caso as comunicações voltassem a ser possíveis.

O Philae tinha uma conta no Twitter e um desenho animado dedicados a si, seguidos por públicos de todas as idades.

Os cientistas convidam os fãs da missão a enviarem uma mensagem de despedida, utilizando a hashtag #GoodbyePhilae.

“Toda a gente envolvida fica extremamente triste, com certeza, mas muito orgulhosa por tudo o que foi feito nesta missão especial”, disse McCaughrean, assegurando que os dados enviados por Philae e Rosetta constituem trabalho de análise por vários anos.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Lixo espacial cadente iluminou os céus na Austrália

Na sexta-feira passada, pedaços de lixo espacial de um foguetão russo iluminaram os céus na Austrália. Os especialistas dividem-se na possibilidade de bocados dele caírem na Terra. Na sexta-feira passada, num final de tarde como tantos …

Cientistas criaram uma borracha que até rasga (mas concerta-se sozinha)

Investigadores da Universidade Flinders, na Austrália, desenvolveram um novo tipo de borracha que consegue regenerar sozinha. A equipa de investigadores da universidade australiana criou um novo tipo de borracha e um catalisador que, em conjunto, podem …

Dez anos depois, voltou a ser avistado um guepardo do noroeste africano

Naturalistas na Argélia filmaram um guepardo do noroeste africano, uma subespécie listada na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como estando em "perigo crítico", pela primeira vez em dez anos. De acordo …

NASA dedica novo telescópio a Nancy Grace Roman, a "mãe" do Hubble

A NASA renomeou o telescópio Wide Field Infrared Probing Telescope (WFIRST) em homenagem a Nancy Grace Roman, a mãe do Hubble. A NASA batizou o seu telescópio espacial de última geração, atualmente em desenvolvimento, - o …

Guitarrista dos Queen teve um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte

Brian May, guitarrista dos Queen, sofreu um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte, anunciou o próprio músico, de 72 anos. May partilhou um vídeo no Instagram no qual conta todo o episódio. Tudo …

"Missão Tianwen". China planeia lançar sonda para Marte em julho

A China planeia lançar uma sonda e um pequeno robô de controlo remoto para Marte, em julho, na sua primeira missão ao Planeta Vermelho, anunciou esta segunda-feira a agência responsável pelo projeto. "O nosso objetivo era …

Bairros de lata são incubadoras de covid-19, mas ninguém ajuda os milhões que lá vivem

Bairros de lata, como as favelas, são consideradas incubadores de covid-19. No entanto, pouca atenção lhes tem sido dada na resposta à pandemia. Tendo devastado algumas das cidades mais ricas do mundo, a pandemia do novo …

Morreu Saturn, o jacaré que sobreviveu a um bombardeamento da II Guerra (e que se diz que pertenceu a Hitler)

Saturn, um jacaré norte-americano de 84 anos, morreu esta sexta-feira no jardim zoológico de Moscovo, na Rússia, anunciou a instituição na sua conta de Facebook, dando conta que o animal morreu de velhice. O réptil …

Antiviral Remdesivir pode ser eficaz no combate à covid-19

O antiviral Remdesivir é eficaz contra a covid-19 caso seja administrado antes dos pacientes necessitarem de ventilação mecânica, indica um ensaio internacional com este medicamento, coordenado pelo Hospital Can Ruti, em Badalona, Barcelona, Espanha. Segundo um …

Há uma misteriosa ilha em Nova Iorque que quase ninguém pode visitar (e está abandonada)

A menos de 1,6 quilómetros de Manhattan, em Nova Iorque, localiza-se uma misteriosa ilha abandonada há mais de meio século. É preciso ter autorização do New York City Department of Parks and Recreation para visitar …