Foram vendidas 500 casas por dia em 2018

A compra de casas em Portugal está em alta e, no ano passado voltou a crescer entre 15% e 20%. Entre janeiro e dezembro de 2018, terão sido vendidas cerca de 180 mil casas, mais 25 mil do que no ano anterior.

Os números finais só serão apresentados em março pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mas no último trimestre de 2018 – o que falta contar – o ritmo de vendas deverá ter sido semelhante ao do resto do ano.

Os dados foram avançados ao Diário de Notícias pela Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP).

Até setembro foram vendidas 132 mil casas, com o segundo e terceiro trimestres a superarem a marca das 45 mil transações. Segundo as previsões da APEMIP para o conjunto do ano, o total de vendas terá oscilado entre as 176 mil e as 183 mil habitações – mais do que 2013 e 2014 juntos. Por dia, foram vendidas cerca de 500 casas em Portugal – um aumento de 125% desde 2014.

Este é número é o mais elevado desde pelo menos 2009, quando começaram a ser publicadas as séries do INE. A tendência bate certo com o aumento da concessão de crédito à habitação pelos bancos. Até novembro do ano passado, o financiamento da compra de casas atingiu 8,9 mil milhões de euros, o valor mais elevado desde 2010.

As imobiliárias também confirmam que as famílias portuguesas regressaram em força ao mercado, em parte devido à recuperação da economia. A imobiliária JLL, por exemplo, vendeu 50 casas novas em Carnaxide em 48 horas a compradores portugueses.

À semelhança do que acontece desde 2012 – ano da criação dos vistos gold – os estrangeiros continuaram a ser uma fatia larga do mercado imobiliário em Portugal, tendo representado 20% das vendas de casas no ano passado. Os estrangeiros compraram cerca de 35 mil casas em Portugal em 2018.

Houve, no entanto, uma queda ligeira em relação a 2017, ano em que os compradores internacionais tomaram conta de 25% do mercado. “A percentagem não se deve ao decréscimo do investimento estrangeiro, mas ao aumento da representatividade do mercado interno”, explica Luís Lima, presidente da APEMIP.

Brasileiros e franceses continuam a ser os que mais procuram casa em Portugal. “Cidadãos destes países têm apostado um pouco por todo o país e nota-se verdadeiramente uma descentralização do investimento para fora das principais cidades. Por outro lado, continua a haver uma manutenção das transações feitas por cidadãos britânicos, que preferem, tal como é tradicional, a região algarvia”, conta Luís Lima.

As imobiliárias preveem que as vendas continuem a aumentar, tal como os preços, em 2019. Em novembro, a avaliação bancária das casas atingiu os 1215 euros por metro quadrado, o valor mais alto desde que há registo. Já a APEMIP prefere não avançar com previsões para 2019, porque é “difícil prever as flutuações deste mercado”.

Preços aumentaram 15,6% num ano

Os preços das casas em Portugal registaram uma subida de 15,6% no espaço de um ano. A subida foi impulsionada pelos aumentos dos preços nos concelhos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. Em causa está a forte procura de imóveis para usos turísticos e por casas de gama alta, nomeadamente de estrangeiros, e o reavivar do mercado interno.

O Porto é o concelho onde os preços mais cresceram a nível nacional. O custo dos imóveis registou no terceiro trimestre de 2018 uma subida de 28,8% em relação ao período homólogo de 2017.

“O Porto está no topo do ranking das valorizações” e este incremento prende-se com os investimentos de carácter turístico e com a reabilitação para habitação de gama alta, acompanhados pelo regresso das famílias ao mercado, explica Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliária.

A cidade deu um salto em termos de potencial de valor”, realçando que se registaram transações a cinco mil euros pot metro quadrado. “Não há memória de valores deste género” na Invicta. Quando comparado com o segundo trimestre, os preços aumentaram 7,4% entre julho e setembro. A cidade está desde o final de 2017 em forte aceleração.

Lisboa vive agora “uma fase de confirmação”. O concelho apresentou uma subida de 18,6% nos preços das casas no terceiro trimestre de 2018, mas o valor subiu apenas 3,1% quando comparado com o período de abril a junho.

Cascais é o segundo concelho neste ranking, com uma valorização de 24,9%, embora também apresente sinais de travagem como evidencia o residual aumento de 0,5% na variação trimestral. Estes concelhos, que apresentam os níveis de preço mais elevados a nível nacional, mantêm uma valorização significativa, mas com sinais de suavização.

Dos 278 municípios monitorizados no índice da Confidencial Imobiliário, 90 apresentaram crescimentos homólogos acima dos 10% e 20 tiveram valorizações superiores à média nacional. O preço das casas na União Europeia aumentou 4,3% no terceiro trimestre de 2018, de acordo com os último dados do Eurostat. Em Portugal quase o dobro (8,5%).

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Israel. Netanyahu propõe ao partido da oposição criar um "governo de unidade"

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, desafiou nesta quinta-feira Benny Gantz, líder do partido rival, para formar um "governo de unidade". As eleições em Israel, na terça-feira, determinaram um cenário em que nem o partido Likud …

Dez anos depois, Naide Gomes vai receber medalha de bronze dos Mundiais

A antiga atleta portuguesa Naide Gomes vai receber, nos Mundiais de atletismo, em Doha, a medalha de bronze referente à prova de salto em comprimento dos Mundiais de 2009, que se disputaram em Berlim. A antiga …

Filho de José Eduardo dos Santos começa a ser julgado a 25 de setembro

O ex-presidente do Fundo Soberano de Angola José Filomeno dos Santos vai começar a ser julgado a 25 de setembro. "Zenu" é acusado de branqueamento de capitais e peculato. José Filomeno dos Santos, antigo presidente do …

Opções de Bruno Lage criticadas. "Não faz sentido estrear jovens"

Na sequência da derrota caseira com o RB Leipzig, em jogo da primeira jornada da Liga dos Campeões, o empresário Bruno Costa Carvalho criticou as opções do treinador benfiquista. "Não faz sentido o Lage, a quem …

Associações querem maior acesso a medicamentos inovadores para esclerose múltipla

Associações representativas dos cidadãos com esclerose múltipla divulgaram esta quinta-feira uma carta aberta em que defendem um maior acesso a medicamentos inovadores e que cada doente tenha um plano integrado de gestão da doença. Na carta …

Conceição sobre Nakajima: "Não basta ter contrato com o FC Porto, é preciso senti-lo"

Na antevisão ao jogo com o Young Boys para a Liga Europa, que acontece esta quinta-feira no Estádio do Dragão, o treinador tentou pôr um ponto final na polémica com o jogador japonês. Depois da vitória …

Arábia Saudita diz que ataque foi "inquestionavelmente patrocinado pelo Irão"

O Ministério da Defesa da Arábia Saudita defende que o ataque a duas instalações petrolíferas no sábado foi "inquestionavelmente patrocinado pelo Irão". As tensões começam a escalar no Médio Oriente, principalmente após o ataque de sábado …

Elisa Ferreira vai tutelar fundos distribuídos pelo marido. PE reunido para analisar "conflito de interesses"

A comissária portuguesa vai gerir a pasta que integra os fundos distribuídos pelo marido, presidente da CCDRN. Eurodeputados falam em conflito de interesses. A Comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu (PE) está reunida em Estrasburgo, …

​ERSE diz que "não tem capacidade" para analisar preço dos combustíveis

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) admitiu que não tem capacidade para analisar o preço dos combustíveis, afirmou a presidente do regulador, Cristina Portugal, em entrevista ao programa Hora da Verdade, da Renascença e …

Autarca de Amarante nega ter participado em viagem à Turquia

A Câmara de Amarante informou hoje que "nenhum autarca" do município participou numa viagem à Turquia, paga por uma empresa investigada pelo Ministério Público (MP). Em comunicado enviado ao ZAP, a câmara refere que o presidente …