Foram vendidas 500 casas por dia em 2018

A compra de casas em Portugal está em alta e, no ano passado voltou a crescer entre 15% e 20%. Entre janeiro e dezembro de 2018, terão sido vendidas cerca de 180 mil casas, mais 25 mil do que no ano anterior.

Os números finais só serão apresentados em março pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mas no último trimestre de 2018 – o que falta contar – o ritmo de vendas deverá ter sido semelhante ao do resto do ano.

Os dados foram avançados ao Diário de Notícias pela Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP).

Até setembro foram vendidas 132 mil casas, com o segundo e terceiro trimestres a superarem a marca das 45 mil transações. Segundo as previsões da APEMIP para o conjunto do ano, o total de vendas terá oscilado entre as 176 mil e as 183 mil habitações – mais do que 2013 e 2014 juntos. Por dia, foram vendidas cerca de 500 casas em Portugal – um aumento de 125% desde 2014.

Este é número é o mais elevado desde pelo menos 2009, quando começaram a ser publicadas as séries do INE. A tendência bate certo com o aumento da concessão de crédito à habitação pelos bancos. Até novembro do ano passado, o financiamento da compra de casas atingiu 8,9 mil milhões de euros, o valor mais elevado desde 2010.

As imobiliárias também confirmam que as famílias portuguesas regressaram em força ao mercado, em parte devido à recuperação da economia. A imobiliária JLL, por exemplo, vendeu 50 casas novas em Carnaxide em 48 horas a compradores portugueses.

À semelhança do que acontece desde 2012 – ano da criação dos vistos gold – os estrangeiros continuaram a ser uma fatia larga do mercado imobiliário em Portugal, tendo representado 20% das vendas de casas no ano passado. Os estrangeiros compraram cerca de 35 mil casas em Portugal em 2018.

Houve, no entanto, uma queda ligeira em relação a 2017, ano em que os compradores internacionais tomaram conta de 25% do mercado. “A percentagem não se deve ao decréscimo do investimento estrangeiro, mas ao aumento da representatividade do mercado interno”, explica Luís Lima, presidente da APEMIP.

Brasileiros e franceses continuam a ser os que mais procuram casa em Portugal. “Cidadãos destes países têm apostado um pouco por todo o país e nota-se verdadeiramente uma descentralização do investimento para fora das principais cidades. Por outro lado, continua a haver uma manutenção das transações feitas por cidadãos britânicos, que preferem, tal como é tradicional, a região algarvia”, conta Luís Lima.

As imobiliárias preveem que as vendas continuem a aumentar, tal como os preços, em 2019. Em novembro, a avaliação bancária das casas atingiu os 1215 euros por metro quadrado, o valor mais alto desde que há registo. Já a APEMIP prefere não avançar com previsões para 2019, porque é “difícil prever as flutuações deste mercado”.

Preços aumentaram 15,6% num ano

Os preços das casas em Portugal registaram uma subida de 15,6% no espaço de um ano. A subida foi impulsionada pelos aumentos dos preços nos concelhos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. Em causa está a forte procura de imóveis para usos turísticos e por casas de gama alta, nomeadamente de estrangeiros, e o reavivar do mercado interno.

O Porto é o concelho onde os preços mais cresceram a nível nacional. O custo dos imóveis registou no terceiro trimestre de 2018 uma subida de 28,8% em relação ao período homólogo de 2017.

“O Porto está no topo do ranking das valorizações” e este incremento prende-se com os investimentos de carácter turístico e com a reabilitação para habitação de gama alta, acompanhados pelo regresso das famílias ao mercado, explica Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliária.

A cidade deu um salto em termos de potencial de valor”, realçando que se registaram transações a cinco mil euros pot metro quadrado. “Não há memória de valores deste género” na Invicta. Quando comparado com o segundo trimestre, os preços aumentaram 7,4% entre julho e setembro. A cidade está desde o final de 2017 em forte aceleração.

Lisboa vive agora “uma fase de confirmação”. O concelho apresentou uma subida de 18,6% nos preços das casas no terceiro trimestre de 2018, mas o valor subiu apenas 3,1% quando comparado com o período de abril a junho.

Cascais é o segundo concelho neste ranking, com uma valorização de 24,9%, embora também apresente sinais de travagem como evidencia o residual aumento de 0,5% na variação trimestral. Estes concelhos, que apresentam os níveis de preço mais elevados a nível nacional, mantêm uma valorização significativa, mas com sinais de suavização.

Dos 278 municípios monitorizados no índice da Confidencial Imobiliário, 90 apresentaram crescimentos homólogos acima dos 10% e 20 tiveram valorizações superiores à média nacional. O preço das casas na União Europeia aumentou 4,3% no terceiro trimestre de 2018, de acordo com os último dados do Eurostat. Em Portugal quase o dobro (8,5%).

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Esta empresa está a produzir "carne" feita de ar

Enquanto várias startups estão a vender "carne" feita de plantas, a Air Protein, uma empresa sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, está a criar carne feita de ar. A ideia não é nova, uma vez que …

Autoridade da Concorrência faz buscas em cinco empresas de vigilância privada

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou, esta segunda-feira, que realizou diligências de busca e apreensão em cinco empresas do setor da vigilância privada, no distrito de Lisboa, "por suspeitas de práticas anticoncorrenciais lesivas do normal …

"Breaking Bad" da vida real. Dois professores de Química acusados de produzir metanfetamina

Dois professores universitários de Química do estado do Arkansas, nos Estados Unidos, foram detidos no domingo por suspeitas de produzirem metanfetaminas. O caso tem atraído atenção mediática por se parecer inspirar no enredo da série …

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …

Pinto Luz não se resigna a disputar "campeonato dos pequeninos"

O candidato à liderança social-democrata afirmou, esta segunda-feira, não se resignar a um partido que disputa o "campeonato dos pequeninos" ou é "uma segunda escolha do PS", pedindo a "quem não gosta deste PSD" que …

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …