/

20 registos invulgares num 2020 invulgar

José Sena Goulão / Lusa

Miguel Oliveira após vencer o GP Portugal.

Muitos destes factos desportivos, mais do que invulgares, foram mesmo inéditos. O coronavírus “ajudou” mas não explica tudo.

O ano 2020 também foi anormal no desporto. Muitos registos, muitos números, muitos factos invulgares. Ou mesmo históricos, inéditos. Com vários nomes portugueses pelo meio. Vamos por ordem cronológica:

Janeiro

  • Andebol – Portugal conseguiu a sua melhor classificação de sempre num grande torneio internacional: sexto lugar no Europeu. Presença assegurada, pela primeira vez, num torneio pré-olímpico, que não foi realizado (já lá vamos).

Março

  • Milhares de campeonatos suspensos por causa do coronavírus. Quase todos, na verdade;
  • Basquetebol – Golden State Warriors, finalistas da NBA nas cinco edições anteriores (e tricampeões no mesmo período), ficaram no último lugar.

Maio

  • Futebol – I Liga vai volta mas II Liga não. Nacional e Farense promovidos, Cova da Piedade e Casa Pia iriam descer – mas ficaram na mesma divisão por causa da situação de Vitória de Setúbal e Desportivo das Aves (já lá vamos) – e Vizela e Arouca subiram. Muitos protestos se seguiram mas a decisão manteve-se.

Junho/Julho

  • Europeu de futebol e Jogos Olímpicos… que não se realizaram. Adiamento inédito dos dois eventos (excluindo o período das grandes guerras mundiais). No caso do futebol, pela primeira vez uma seleção fica com o título de campeã europeia de futebol durante cinco anos: Portugal.
  • Futebol – Liverpool campeão nacional, 30 anos depois do título anterior.

(dr) Liverpool FC

  • Futebol – Desportivo das Aves atravessou peripécias que não paravam: problemas entre direção e SAD, salários em atraso, rescisões de contrato, treino cancelado, testes à covid-19 que não se realizaram, jogos em risco, chave do autocarro desaparecida, Taça de Portugal desaparecida… E ainda viria o pior.
  • Motociclismo – Marc Márquez, depois de quatro anos seguidos a dominar o Moto GP, lesionou-se com gravidade logo no arranque da temporada. Não participou em mais nenhuma corrida.
  • Futebol – I Liga terminou no final de Julho. Nunca o principal campeonato português de futebol tinha terminado praticamente um ano depois de ter começado.
  • Futebol – Vitória de Setúbal e Desportivo das Aves desceram da primeira para a terceira divisão do futebol nacional.

Agosto

  • Automobilismo – António Félix da Costa foi campeão mundial de Fórmula E. O primeiro português a ficar com o troféu neste campeonato.
  • Basquetebol – San Antonio Spurs fora dos play-offs da NBA. A primeira ausência desde 1997.
  • Motociclismo – Miguel Oliveira venceu o Grande Prémio da Estíria. Pela primeira vez um português ganhou uma corrida na categoria Moto GP.

Tim Keeton / EPA

  • Futebol – Na Liga dos Campeões, não estava previsto, mas os últimos sete jogos, incluindo a final, disputaram-se em Lisboa. O formato foi inédito: final a oito, com quartos de final e meias finais em eliminatórias de jogo único. Atalanta, Leipzig e Lyon estiveram em Lisboa (os dois últimos chegaram às meias finais).

    Liverpool, Real Madrid e Juventus não estiveram em Lisboa porque nem chegaram aos quartos de final. PSG chegou à final pela primeira vez. Bayern Munique, campeão europeu, venceu todos os jogos do torneio. Marcou 43 golos em 11 partidas.

    A final da Liga dos Campeões disputou-se realmente entre campeões: alemão e francês. Alemanha e França dominaram de forma inédita as meias finais, graças à presença de Bayern, PSG, Leipzig e Lyon. PSG e Lyon atingiram as meias finais da Liga dos Campeões masculina e feminina.

Outubro

  • Ciclismo – João Almeida foi o líder da Volta a Itália durante a maioria das etapas. Acabou no quarto lugar, a melhor classificação de sempre de um português no Giro. Rúben Guerreiro trouxe para Portugal, também pela primeira vez, uma camisola de líder (da montanha).

Luca Zennaro / EPA

  • Motociclismo – Portugal recebeu uma corrida da Fórmula 1. Portimão foi o palco, 24 anos depois do Estoril. Lewis Hamilton venceu essa corrida e passou a ser o piloto com mais vitórias em Grandes Prémios na F1, ultrapassando Michael Schumacher.

Novembro

  • Motociclismo – Portugal recebeu uma corrida das categorias principais de motociclismo, oito anos depois. Miguel Oliveira venceu em Moto GP. Joan Mir foi campeão em Moto GP – o primeiro campeão a ganhar somente uma corrida em toda a época (e nunca partiu da pole-position e nunca conseguiu a volta mais rápida).

Dezembro

  • Automobilismo – O mundial de ralis (WRC) chegou à última prova com quatro pilotos a poderem chegar ao título: Elfyn Evans, Sébastien Ogier, Thierry Neuville e Ott Tanak. Ogier foi o campeão.
  • Automobilismo – A Ferrari ficou somente no sexto lugar no campeonato de construtores da Fórmula 1 e terminou a época sem qualquer vitória.
  • Futebol – Sporting acaba o ano na liderança da I Liga. Não acontecia há 19 anos (na última época em que foi campeão).

Hugo Delgado / Lusa

  NMT, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.