11 anos depois, Marcelo levou Dia de Portugal ao Porto (e já tem retrato oficial)

José Coelho / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa nas comemorações do Dia de Portugal, no Porto.

Marcelo Rebelo de Sousa nas comemorações do Dia de Portugal, no Porto.

Foi o presidente dos afectos, a quebrar o protocolo, que presidiu às comemorações do Dia de Portugal que voltou, neste sábado, ao Porto, 11 anos depois. E na passagem pela Invicta, Marcelo Rebelo de Sousa surpreendeu com a escolha do seu retrato oficial.

O chefe de Estado presidiu à cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal que se realizou na zona do Molhe, junto ao mar, no Porto, que há 11 anos já tinha sido palco destas celebrações oficiais.

As comemorações arrancaram na sexta-feira com a realização de sete iniciativas públicas, mas o dia ficou marcado pela passagem de Marcelo pelo atelier do pintor António Bessa, na rua do Almada.

Marcelo Rebelo de Sousa foi ver o seu retrato pintado há já cerca de dois meses por mestre Bessa, como é conhecido, e ficou tão rendido à imagem que o adquiriu para ser o seu “retrato oficial” quando terminar o mandato, para ilustrar a Galeria dos Presidentes no Museu da Presidência.

“Apanhou-me muito bem”, confessou o Presidente aos jornalistas que ficaram surpreendidos pela escolha, nomeadamente por estar em causa um pintor pouco conhecido.

José Coelho / Lusa

Mestre Bessa junto do quadro que Marcelo Rebelo de Sousa escolheu como o seu "retrato oficial" para quando terminar o mandato.

Mestre Bessa junto do quadro que Marcelo Rebelo de Sousa escolheu como o seu “retrato oficial” para quando terminar o mandato.

Quebra do protocolo para cumprimentar ex-militares e populares

Já durante a cerimónia do Dia de Portugal, neste sábado, Marcelo quebrou o protocolo, cumprimentando antigos militares da guerra do Ultramar e populares que assistiram às celebrações, antes de ter notado que o país deve muito aos ex-combatentes, elogiando-os como heróis.

“Devemos-lhes muito. São uns heróis. São um exemplo [para os jovens]. É uma homenagem às Forças Armadas portuguesas”, afirmou Marcelo, no meio da multidão que o envolveu no fim da cerimónia, justificando por que motivo cumprimentava toda a gente que o abordava.

“Grande Presidente!”, “Presidente, dê-me um beijo” e “Presidente, tire uma fotografia comigo” foram algumas das interpelações feitas pelas centenas de pessoas que assistiram às celebrações junto ao Molhe, na Foz do Porto.

Um Portugal “independente e livre”

No seu discurso do Dia de Portugal, Marcelo sublinhou a importância de afirmar que se pretende no futuro um país “independente e livre”.

Independente do atraso, da ignorância, da pobreza, da injustiça, da dívida, da sujeição. Livre da prepotência, da demagogia, do pensamento único, da xenofobia e do racismo”, disse.

Num discurso de cerca de cinco minutos, Marcelo dedicou também uma palavra especial às comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, desse “outro Portugal que nos faz universais”.

Depois da cerimónia, Marcelo Rebelo de Sousa partiu para o Brasil, onde tem encontro marcado com a comunidade portuguesa em São Paulo, na continuação das celebrações do Dia de Portugal.

À imagem do que aconteceu no ano passado, o dia é repartido entre terras lusas e um país estrangeiro. Em 2016, as celebrações realizaram-se pela primeira vez em França.

A “extraordinária diversidade genética” dos portugueses

Antes de Marcelo discursar, falou o presidente da Comissão Organizadora do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, Sobrinho Simões, que salientou como os portugueses são um povo com características genético culturais “sui generis“.

“Não estou a sugerir que há genes portugueses, não há, o que os portugueses têm é uma mistura notável de genes com as mais variadas origens, se há algo único, ou quase único em nós, é essa mistura genética“, referiu durante a sua intervenção.

O fundador do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular e Celular da Universidade do Porto (IPATIMUP) destacou que esta “extraordinária diversidade genética” do povo português se deve à incorporação, ao longo de Séculos, de judeus e berberes vindos de Espanha e do Norte de África, de árabes, porque teve escravatura de povos da África subsariana no país e nas colónias.

“E também porque fomos através do mar para tudo quanto era sítio na África, na Ásia e na América do Sul e de lá voltámos com filhos e, sobretudo, filhas”, acrescentou.

Tudo isto para salientar que “a incorporação de genes foi acompanhada pela incorporação das respectivas culturas, criando uma sociedade de gentes muito variadas, tolerante em termos religiosos, avessa aos extremismos pseudo-identitários que irrompem um pouco por todo o lado”, vincou.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Em sessão acesa, primeiro-ministro polaco diz ao Parlamento Europeu que o país não cederá a chantagens

Guerra de palavras entre representantes do governo polaco e as instituições europeias tem vindo a escalar ao longo das últimas semanas, depois de o Tribunal Constitucional do país ter determinado que a lei nacional se …

China nega lançamento de míssil hipersónico - mas Estados Unidos estão “muito preocupados”

Em agosto, a China terá lançado um míssil com capacidade nuclear. Os Estados Unidos mostram-se muito preocupados com este tipo de atividade. Segundo noticia o Financial Times, o míssil terá sido lançado pelos militares chineses num …

O ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Trump luta para manter sob sigilo documentos sobre ataque ao Capitólio (e avança para tribunal)

Donald Trump processou a comissão do Congresso responsável pela investigação do ataque ao Capitólio, alegando que fez um pedido ilegal dos seus registos da Casa Branca. O ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump entrou com uma …

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal, António Saraiva, o governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, e o presidente do Partido Social Democrata, Rui Rio

Rio defendeu, Rangel atirou, Balsemão marcou e Montenegro fez o relato. A luta interna do PSD fez-se nas entrelinhas da posse de Moedas

Podia ter sido um jogo de futebol, mas foi só a tomada de posse de Carlos Moedas. Na Praça do Município, em Lisboa, Rio defendeu ao não ter notado a presença de um dos protagonistas …

Proposta Coba Consultores para nova ponte sobre o Douro

Nova ponte do Porto já tem desenho conhecido. Vai servir para metro, ciclovia e peões

A Metro do Porto recebeu 28 propostas para o concurso público de elaboração de projeto e execução da nova ponte sobre o rio Douro. Já foram selecionadas as três melhores. Esta segunda-feira, foram apresentados os três …

AC Milan não esconde: jogos com o FC Porto serão decisivos

Italianos recordam que vão defrontar uma equipa que está quase sempre presente na Liga dos Campeões. "Os nossos dois jogos contra o FC Porto vão ser decisivos para a classificação final do grupo". O treinador do …

Aristides de Sousa Mendes no Panteão Nacional. "Aqui permanecerá até ao fim dos tempos, se os tempos tiverem fim"

O antigo cônsul português Aristides de Sousa Mendes, que salvou milhares de judeus do regime nazi, recebe hoje honras de Panteão Nacional, em Lisboa, através de um túmulo sem corpo. Esta cerimónia acontece 67 anos após …

Besiktas avisa os adeptos: "Contra o Sporting...não se sentem nas escadas!"

Turcos e portugueses chegam à terceira jornada na Liga dos Campeões com zero pontos. "Isto não é um caminho fácil", admite o treinador Sergen Yalçın. Um dos primeiros jogos da terceira jornada da Liga dos Campeões …

Real Madrid está disposto a oferecer Hazard por Salah

Mohamed Salah, uma das estrelas do plantel do Liverpool, está a ser adorado pelo Real Madrid. Os merengues estão a pensar apresentar uma proposta que envolve Eden Hazard. Mohamed Salah termina contrato com o Liverpool em …

Rangel: Maioria absoluta é possível, crise política improvável e acordos com o Chega para descartar

Candidato à liderança do PSD diz não ter "estados de alma" sobre os próximos passos de Rio. É da opinião que os portugueses não compreenderiam uma crise política no contexto atual, mas também considera que …