Warner paga 12 milhões para evitar processo e desiste dos direitos de “Parabéns a Você”

A editora multinacional Warner Music vai pagar 12 milhões de euros para encerrar um processo judicial nos Estados Unidos por ter cobrado indevidamente dieritos de autor sobre a conhecida música “Happy Birthday to You“.

A editora foi processada pela realizadora de cinema Jennifer Nelson, que moveu em 2013 um processo judicial à editora para a impedir de cobrar direitos de autor pelo uso de “Parabéns a Você” em filmes, séries ou quaisquer outros usos, comerciais ou não.

A realizadora estava a produzir um documentário sobre a conhecida música, quando recebeu uma nota de cobrança da editora, a pedir o pagamento de 1300€ para a poder usar.

Indignada, a cineasta decidiu procurar provas contra a apropriação da música pela empresa fonográfica, e moveu um processo judicial para anular os direitos de autor da música.

“Happy Birthday to You”, escrita em 1893 pelas professoras primárias Mildred e Patty Hill, chamava-se originalmente “Good Morning to All” e era usada para receber os alunos na sala de aula.

É considerada pelo Guinness Book of World Records como a “música de língua inglesa mais conhecida no mundo”.

A canção foi comprada pela já extinta editora Summy, que a registou em 1935 – garantindo com isso, pelas leis de propriedade intelectual norte-americanas, direitos de autor sobre a música até 2030.

A música rende 1.8 milhões de euros por ano nos Estados Unidos, e o lucro é dividido entre a editora e os herdeiros das irmãs Hill.

Em 1988, a Warner comprou a parte que pertencia à Summy, numa transacção estimada em 22 milhões de euros.

Em setembro, na sequência do processo movido por Jennifer Nelson, a justiça norte-americana tinha já deliberado que “Happy Birthday to You” deixaria de ter direitos de autor e passaria para o domínio público.

A realizadora e o seu advogado, Mark Rifkin, pediam ainda ao tribunal que condenasse a editora a pagar uma multa por cada vez que cobrou indevidamente pelos direitos – que terão rendido cerca de 2 milhões de euros por ano.

Mas, num desenlace considerado histórico pela Bilboard, a editora chegou a acordo com os autores do processo, no âmbito do qual paga 12 milhões de euros de indemnização e desiste dos direitos de autor da obra.

Além do valor acordado, a Warner perde ainda os 12 milhões que estimava receber até 2030 em direitos sobre a centenária melodia.

Parabéns a você, Jennifer Nelson.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Mais um “bom” exemplo de como as grandes empresas se tentam apropriar de tudo e mais alguma coisa na mira do máximo lucro; nem o “parabéns a você escapava” lolololol
    Também já houve uma outra que chegou a pensar em patentear uma cor.

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …