/

Vítima de serial killer identificada 40 anos depois através do ADN de um dente

Леонид Сиб / Wikimedia

O serial killer John Wayne Gacy

O serial killer John Wayne Gacy

Os restos mortais de Francis Wayne Alexander foram encontrados há mais de 40 anos na casa do infame serial killer John Wayne Gacy. Mas só agora se conseguiu verificar a sua identidade.

Segundo conta a cadeia televisiva CNN, os restos mortais de Francis Wayne Alexander foram encontrados no dia 26 de dezembro de 1978, na casa do serial killer John Wayne Gacy, que ficou conhecido como o “Palhaço Assassino”, em Norwood Park, Illinois.

Durante décadas, a sua identidade foi um mistério. Mas agora, graças ao trabalho da organização sem fins lucrativos DNA Doe Project (DDP) e da polícia de Chicago, a genealogia genética e um dente da vítima ajudou finalmente a resolver o caso.

“As correspondências de ADN relativamente a um primo de segundo grau foram encontradas, permitindo à equipa de genealogistas genéticos voluntários do DDP construir árvores genealógicas e assim identificar Francis Wayne Alexander como candidato a ser a vítima número cinco de Gacy”, explicou o projeto.

Depois de receber estas informações de ADN, a polícia obteve amostras de ADN da mãe e de um meio-irmão de Alexander. O ADN destes familiares revelou ter uma “forte associação genética” com a vítima encontrada na casa do serial killer.

“A polícia também analisou registos financeiros, registos públicos, relatórios post-mortem e outros dados para confirmar que a vítima número cinco e Alexander eram a mesma pessoa”, lê-se no comunicado das autoridades citado pela CNN.

“É difícil, mesmo 45 anos depois, conhecer o destino do nosso querido Wayne. Foi morto pelas mãos de um homem vil e mau. Os nossos corações estão pesados e as nossas condolências vão também para as famílias das outras vítimas. O nosso único conforto é saber que este assassino não respira mais o mesmo ar que nós”, disse também a família.

Gacy foi preso em dezembro de 1978 e, dois anos depois, foi condenado pelo homicídio de 33 jovens do sexo masculino. Acabaria por ser executado em 1994.

As autoridades explicaram que o assassino atraiu as suas vítimas para sua casa durante seis anos. Para levá-los até lá, prometia empregos na construção, drogas e álcool, ou fazia passar-se por polícia ou oferecia dinheiro em troca de sexo. Gacy costumava ter como alvo jovens que pediam boleia na estrada ou que se encontravam em estações de autocarro.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE