/

Violência doméstica. Primeiro preso executado nos Estados Unidos em 2020

A primeira execução de um preso em 2020, nos Estados Unidos, aconteceu esta quarta-feira, no Texas. O homem recebeu uma injeção letal 15 anos depois de ter matado a mulher.

Em 2006, John Gardner foi condenado à pena de morte pelo homicídio da sua quinta mulher, vítima de violência doméstica prolongada, que pediu o divórcio. Duas semanas antes do julgamento, o norte-americano invadiu a casa da mulher e alvejou-a com um tiro na cabeça, tendo falecido dois dias depois.

John Gardner tinha um longo historial de violência doméstica, uma vez que já havia atirado sobre a sua segunda mulher quando esta se encontrava grávida, tendo também falecido, devido aos ferimentos. Segundo a procuradoria, depois de ter sido preso pela primeira vez, sequestrou a terceira mulher e espancou a filha desta quando se encontrava em liberdade condicional.

Em setembro, os defensores de Gardner pediram ao Supremo Tribunal para reabrir o caso, argumentando que havia sido mal defendido durante todo o processo. Os defensores consideravam que os advogados deveriam ter desenvolvido uma “teoria da raiva do abandono” para explicar as suas ações.

Na segunda-feira, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos recusou a apreciar o pedido e nenhum outro recurso foi apresentado.

Antes de ser executado, na quarta-feira à noite, Gardner disse à família: “Gostaria de me de me desculpar pela dor que causei. Espero que encontrem a paz e a felicidade, e que consigam virar a página. Eu sei que vocês não me podem perdoar, mas espero que o consigam fazer um dia.”

Segundo o Diário de Notícias, em 2019, foram registadas 22 execuções nos Estados Unidos, nove delas no estado do Texas.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE