As viagens espaciais podem afetar a função intestinal dos astronautas

As viagens espaciais podem prejudicar o funcionamento da robusta barreira celular que reveste o nosso intestino para impedir que bactérias, fungos e vírus invadam o resto do corpo.

As células epiteliais que revestem o nosso intestino são uma espécie de barreira que impede bactérias, fungos e vírus de invadir o nosso corpo.

Uma equipa de cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu recentemente que a microgravidade simulada interrompe o funcionamento da barreira epitelial, mesmo depois de o corpo já não estar inserido num ambiente de microgravidade. Esta descoberta não é propriamente feliz para os astronautas.

Estas descobertas influenciam o entendimento que os cientistas têm acerca dos efeitos das viagens espaciais na função intestinal dos astronautas, assim como “a sua capacidade de suportar os efeitos de agentes que comprometem a função da barreira epitelial intestinal depois de retornarem à Terra”, explica Declan McCole, que liderou o estudo.

As desvantagens do ambiente de microgravidade são já conhecidas – estudos anteriores revelaram que as estadias no Espaço enfraquecem o sistema imunológico humano. Contudo, este é o primeiro estudo a provar que “um ambiente de microgravidade torna as células epiteliais menos capazes de resistir a efeitos de um agente que enfraquece as propriedades dessas mesmas células”.

Segundo os investigadores, citados pelo Phys.org, este efeito manteve-se até 14 dias após a remoção do ambiente de microgravidade simulado para o efeito.

A equipa de cientistas da universidade norte-americana estudou em particular o agente indutor de permeabilidade acetaldeído, um metabólito do álcool. McCole explicou que o álcool compromete a função de barreira e aumenta a permeabilidade gastrointestinal em indivíduos normais e em pacientes com doença hepática alcoólica.

A ausência desta função de barreira é preocupante segundo o investigador, uma vez que compromete o intestino, levando ao aumento da permeabilidade ou ao vazamento – que, por sua vez, pode aumentar o risco de infeções e condições inflamatórias crónicas, como doença celíaca ou diabetes tipo 1.

Os cientistas usaram um biorreator que manteve as células num ambiente de rotação controlada, capaz de simular a ausência de gravidade.

A equipa descobriu que, 18 dias após o início da experiência as células epiteliais cultivadas apresentaram uma formação retardada de “junções estreitas“, um complexo proteico que conecta as células epiteliais individuais, necessário para manter a impermeabilidade. As conclusões da investigação foram publicadas no dia 26 de novembro na Scientific Reports.

“As nossas descobertas têm importantes implicações na nossa compreensão dos efeitos das viagens espaciais na função intestinal dos astronautas no Espaço. Além disso, elucida-nos sobre a sua capacidade de resistir aos efeitos de agentes que comprometem a função da barreira epitelial intestinal após o seu retorno à Terra”, concluiu o professor McCole.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Príncipes da Torre". Um dos crimes mais misteriosos de sempre pode ter sido resolvido

Novas evidências sugerem que Ricardo III pode mesmo ter ordenado o assassinato de dois príncipes em Inglaterra. É talvez uma das maiores histórias de mistério de assassinato da história britânica — um jovem rei e o …

Acordo de Concertação prevê licenças e apoios fiscais à formação

Já se conhecem algumas das medidas previstas no Acordo de Formação Profissional e Qualificações, assinado ontem pelo governo, confederações patronais e UGT. O governo, as confederações patronais e a UGT assinaram, esta quarta-feira, o Acordo de …

Relatório do Novo Banco estilhaça PSD. Pinto Luz sai em defesa de Passos Coelho e critica Rui Rio

Esta quarta-feira, Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, deixou duras críticas ao atual líder do PSD depois de o partido ter aprovado o relatório que acusa o Governo de Pedro Passos Coelho …

Cientistas "encontraram" a válvula de Nikola Tesla nos intestinos de tubarões

Cientistas descobriram que os intestinos de tubarões funcionam de forma semelhante à famosa válvula unidirecional de Nikola Tesla, criada há mais de 100 anos. Pela primeira vez, cientistas fizeram exames 3D de intestinos de tubarão para …

Recolher obrigatório, limitação horária nos restaurantes e restrições por concelho podem acabar hoje

Na reunião de terça-feira no Infarmed, os peritos concluíram haver condições para começar a aliviar algumas das medidas restritivas em vigor. Em Conselhos de Ministros, que se irá realizar hoje, o Governo irá definir novas …

Alerta de tsunami no Alasca depois de sismo de magnitude 8.2

A península do Alasca, a oeste dos Estados Unidos, foi atingida por um sismo de magnitude 8.2 na noite de quarta-feira (7h15 de quinta-feira em Lisboa) e já foi lançado um alerta de tsunami na …

Conselho de Ministros reúne-se para discutir próximos passos no desconfinamento

O Conselho de Ministros reúne-se esta quinta-feira para decidir os próximos passos no processo de abertura do país, dois dias depois de especialistas terem sugerido a evolução das medidas de restrição de acordo com a …

Capacete magnético mostra-se eficaz na redução de tumor cerebral

O diagnóstico de um cancro é sempre complicado, mas há partes do corpo onde a presença da doença pode ser mais ameaçadora. É o caso do glioblastoma, um tipo de cancro cerebral, que se não …

Engenheiros japoneses fizeram levitar objectos com "armadilha acústica"

Engenheiros japoneses descobriram uma forma de fazer pequenos objectos levitar usando apenas ondas sonoras, o que pode ser um passo importante para a tecnologia. A engenharia biomédica, o desenvolvimento de farmacêuticos e a nanotecnologia podem vir …

Juno fez a maior aproximação a Ganimedes das duas últimas décadas (e as imagens são de cortar a respiração)

A NASA divulgou, recentemente, um vídeo da sonda Juno a passar por Júpiter e Ganimedes, uma das suas luas. As imagens são de cortar a respiração. Juno visitou Ganimedes em junho. As imagens foram captadas no …