Vestidas ou nuas, as Galdérias vão sair à rua no Porto

Este sábado, um grupo de mulheres sai às ruas no Porto contra o que consideram ser uma “cultura de violação”. O lema da Marcha das Galdérias: “vestida ou nua, a rua também é tua”. 

A SlutWalk chegou a Portugal em 2011, ano em que o movimento internacional nasceu no Canadá, na sequência das afirmações de um polícia que declarou que as mulheres deveriam evitar vestirem-se como vadias – sluts – para se prevenirem contra o assédio sexual.

Apropriado no nosso país como Marcha das Galdérias, o movimento reivindica um espaço público seguro para as mulheres, onde possam estar livres de assédio – verbal, físico, moral e sexual.

O percurso tem início marcado para as 23h deste sábado, na Praça dos Leões, e termina na zona de bares, no coração da baixa portuense.

A “galdérias” apoderaram-se de um nome que é normalmente visto como um insulto para reivindicar “o direito de cada pessoa ao próprio corpo e à auto-determinação da sua aparência, sexualidade e conduta”, assumindo que a forma de vestir ou de se comportar não deve ser considerada um convite ao assédio.

(dr) Alfred Eisenstaedt / Life

"V-J Day in Times Square", a fotografia icónica que marca o fim da 2ª Guerra Mundial

“V-J Day in Times Square”, a fotografia icónica que marca o fim da 2ª Guerra Mundial

“Cultura de violação” pode parecer um exagero quando se fala de “um simples piropo”, mas as ativistas dão exemplos aparentemente inocentes, como a fotografia que se tornou um símbolo do fim da II Guerra Mundial, na qual um marinheiro beija uma enfermeira, para mostrar um caso em que o aparente romantismo esconde uma história incómoda: um desconhecido a agarrar uma mulher e a forçá-la a dar-lhe um beijo.

A desculpabilização dos agressores passa também pela forma como a comunicação social e até mesmo a justiça se refere a vítimas e agressores, por exemplo, quando as violações em contexto familiar são referidas simplesmente como “relações sexuais” nas notícias.

Isto também acontece nos casos em que um rapaz se aproveita da embriaguez da rapariga – por exemplo, depois de uma festa universitária – para forçar relações sexuais quando esta não está em condições de dar o seu consentimento (ou dizer que não).

No Brasil, o movimento SlutWalk – denominado Marcha das Vadias – ganhou uma grande projeção no contexto da Primavera Feminista que tem lutado, desde o ano passado, contra uma série de ameaças de retrocesso na legislação sobre direitos das mulheres, como o aborto e a contracepção.

Piropo com teor sexual é crime há um ano

Em agosto do ano passado, os piropos que impliquem “propostas de teor sexual” que “importunem outra pessoa” passaram a ser crime.

A “criminalização do piropo” passou despercebida até dezembro, quando a imprensa divulgou a alteração à lei sobre a importunação sexual, que já criminalizava o exibicionismo e os “contactos de natureza sexual”, mais conhecidos como “apalpões”.

O aditamento ao artigo 170º do Código Penal transpôs para o ordenamento jurídico nacional a Convenção de Istambul, uma convenção europeia para a prevenção e o combate à violência contra as mulheres, assinada em 2011.

Para as ativistas da SlutWalk, esta criminalização de convites sexuais indesejados – comentários como “Comia-te toda” ou “ó estrela, queres cometa?” – teve um efeito dissuasor importante.

Numa conversa aberta com as organizadoras do evento, que ocorreu esta quinta-feira na livraria Confraria Vermelha, a opinião quase unânime das mulheres presentes era que a nova lei legitimizou as reivindicações – que antes eram consideradas “exagero”, “histeria feminista” ou mesmo “atentado à liberdade de expressão” – de quem se sente abusada ou violentada com este tipo de comentários.

Enquanto alguns poderão ter passado a considerar que “se isto é crime, se calhar é melhor não fazer”, outros que ainda assim lançam piropos, de acordo com relatos na reunião, mostram-se menos confiantes quando as mulheres, em vez de os ignorar, passaram a responder.

No entanto, o impacto da lei ainda não é conhecido.

De acordo com os dados da PJ sobre crimes sexuais, divulgados no Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) 2015, os crimes de importunação sexual geraram 4,2% dos inquéritos iniciados, surgindo em separado dos atos exibicionistas (0,03% dos inquéritos) e da coação sexual (3,5%).

No entanto, contactadas pelo ZAP, as forças de segurança não têm dados concretos sobre denúncias de importunação através de propostas de teor sexual.

Enquanto a PJ alega que não investiga este tipo de crimes, a PSP responde que “de momento ainda não possuímos dados sobre esta matéria que não sejam residuais e que possam ser trabalhados”.

Também da parte do Ministério Público ainda não existem dados disponíveis “com a especificidade pretendida”, sendo possível apenas saber que “entre 1 de janeiro e 15 de setembro de 2016 foram instaurados 517 inquéritos pela eventual prática de crime de importunação sexual (que abrange o assédio e os atos exibicionistas). No mesmo período foram deduzidas 44 acusações pelo mesmo tipo de crime”.

AF, ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Como vêem as Americanas fazerem, têm que imitar…
    Tenham vergonha, “cultura de violação” existe no Congo, não aqui idiotas ignorantes.

    • Fico muito agradecido Cláudia Monteiro, por ter-me proporcionado a hipótese de observar o sentido de decência, ou de senso comum e inteligência, cultura, por uma Mulher, com o seu comentário, pois fiquei tão estupefacto com a ausência de respeito de mulheres para com mulheres neste artigo, tinha-me esquecido “disto” com tanto mal a acontecer no mundo que necessita atenção e acção para ser parado tais que sem estas baboseiras, entre outras com origem no mesmo sitio onde originou o comunismo/socialismo/liberalismo/anarquia/democracia.., já teria sido parado..
      Agradeço novamente pois a sociedade por vezes ‘faz-me querer ser louco’..

      Um grande bem haja para si

      P.S.: Não deixar os elogios elevar o ego ×Þ apenas aceita-los como a realidade pois foi o que foi demonstrado, e não é de todo necessário uma resposta pois o essencial deste comentário é deixar uma nota de apreço pelo seu comentário, visível para outros comentadores/leitores da notícia..

  2. Foi pena só ter tido conhecimento disto hoje, senão tinha lá ido ver. Aposto que deviam por lá andar umas malucas com um rabinho todo jeitoso. Engraçado que nos países onde têm sido alvo de ataques por muçulmanos elas não têm piado… porquê ?

  3. Proponho a essas “activistas” a quem ninguém nega a propriedade dos seus corpos, nem a possibilidade de consentir ou rejeitar um simples teste:…

    … Andem nas ruas com um quilo de ouro (são livres disso)… e vejam se não influenciam os comportamentos das pessoas em redor!!
    … Não se faz apologia do furto nem do roubo… mas reconhece-se que ele está ligado a comportamentos das vítimas! (O ditado antigo diz “a ocasião faz o ladrão…” e tb “só se cobiça o que se conhece”..

    … Sejam livres mas ponderadas… não “se façam à ocasião”…

    … Os nossos comportamentos influenciam sempre outros comportamentos… Não há como desmentir!

  4. O melhor mesmo que estas decentes e bem comportadas meninas devem fazer é exigir que os homens deem todos em paneleiros para lhes fazer perder o vício de lhes olharem para as curvas que elas tanto gostam de expor ou então que estes passem a usar burca que impeça os maus olhares, como estamos em Tempo Novo com um governo e sobretudo base de apoio tão sensíveis a estas coisas da modernidade é fazerem uma petição para que na AR uma destas ideias venha a ser aprovada.

  5. Em vez de elas estarem cheias de ego pelos piropos e por se acharem as mais, mais… que reflitam que são mais as vezes que as pessoas olham por as acharem ridículas do que por se estarem a babar pelas belas curvas. Uma coisa que está a faltar imenso ao ser humano é valorizar-se, vistam-se elegantemente e vão ver o impacto que causam. Vê-se nesses programas de caca para onde caminha a nossa sociedade, para a degradação…

RESPONDER

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …

Relógio em Nova Iorque mostra o tempo restante para reverter efeitos do aquecimento global

O Metronome, icónico relógio digital de Nova Iorque, deixou de mostrar o tempo do dia-a-dia e mostra agora o tempo restante que o nosso planeta tem para reverter os efeitos do aquecimento global. O relógio digital …