Brasil vive “primavera feminista” contra projeto de lei do aborto

Rovena Rosa/Agência Brasil

Manifestação contra o PL5069, que dificulta o aborto legal em caso de violação, e pela saída do presidente da Câmara dos Deputados brasileira, Eduardo Cunha

Manifestação contra o PL5069, que dificulta o aborto legal em caso de violação, e pela saída do presidente da Câmara dos Deputados brasileira, Eduardo Cunha

Mulheres brasileiras manifestaram-se ontem, pela terceira vez em duas semanas, contra um projeto de lei que dificulta abortos por mulheres vítimas de violação, obrigando-as a registar queixa na esquadra para comprovar a violência sexual e poderem receber tratamento médico.

Época

Capa da revista Época sobre a "primavera das mulheres"

Capa da revista Época sobre a “Primavera das Mulheres”

Organizações, movimentos de mulheres e simpatizantes da causa manifestaram-se esta quinta-feira em São Paulo e no Rio de Janeiro contra o polémico Projeto de Lei, repetindo as manifestações dos dias 28 e 30 de outubro que trouxeram o assunto para as capas da imprensa brasileira, que considera o movimento uma “Primavera Feminista“.

Os manifestantes pedem ainda o afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, um dos autores da proposta, numa campanha suportada nas redes sociais com a hashtag #ForaCunha.

O deputado, um dos polémicos líderes da ala evangélica do Congresso brasileiro, está também envolvido na Operação Lava Jato, o escândalo de corrupção que envolve a Petrobras.

Para o movimento, o projeto de lei, que dificulta ainda o acesso à pílula do dia seguinte ao considerá-la ambiguamente um método de contracepção abortivo, retira às mulheres vítimas de violência sexual o direito de terem um atendimento imediato previsto após a violação.

O texto do PL, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) com 37 votos a favor e 14 contra, também criminaliza os que induzirem, instigarem ou auxiliarem um aborto, e quando o procedimento é conduzido por profissionais de saúde a pena é agravada podendo chegar de 1 a 3 anos de detenção.

O PL transforma ainda em crime contra a vida o anúncio de meios, substâncias (sem especificar quais), processos ou objetos abortivos.

Um terror para as mulheres

A deputada brasileira Maria do Rosário, que foi ministra dos Direitos Humanos do primeiro governo Dilma, considerou o projeto inconstitucional por penalizar atos legais.

“O projeto é completamente inadequado para as mulheres, para os profissionais de saúde. Ele penaliza indevidamente enfermeiros, médicos, farmacêuticos. Até a prescrição de um remédio pode ser alvo de pena, algo que não podemos concordar”, afirmou na altura em que o projeto estava prestes a ser aprovado pela comissão parlamentar.

Para Maíra Kubik Mano, doutora em ciência sociais e professora da Universidade Federal da Bahia, o PL 5.069/13 é um terror para a vida das mulheres.

“Esse PL propõe que as mulheres vítimas de estupro não tenham acesso à contracepção de emergência e aí elas podem acabar tendo uma gestação indesejada de um ato absolutamente violento“, afirmou no texto que escreveu para o blog do jornalista e ativista Leonardo Sakamoto.

O artigo foi publicado no âmbito da campanha #AgoraÉQueSãoElas, que levou a que na semana passada diversos espaços de opinião na imprensa brasileira fossem cedidos a mulheres, “reconhecendo a urgência da luta feminista por igualdade de género e o protagonismo feminino nesta luta”, escreveu Manoela Miklos, criadora da iniciativa.

A investigadora da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo foi convidada por Gregório Duvivier, um dos criadores do canal Porta dos Fundos, a escrever no seu espaço semanal na Folha de São Paulo.

Perderemos direitos duramente conquistados e perderemos a vida. Morreremos mais, porque o aborto clandestino mata”, afirmou a propósito da primeira vaga de manifestações.

AF, ZAP / ABr

PARTILHAR

RESPONDER

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …

Bolsonaro diz que confinamentos transformaram o Brasil num "barril de pólvora"

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, alertou esta quarta-feira que o país se tornou "um barril de pólvora" devido às medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos para tentar conter a disseminação da covid-19. "O Brasil está …

Valentina poderia ter sobrevivido se socorrida, afirma médico legista

O médico responsável pela autópsia de Valentina, a criança de nove anos que morreu após graves agressões, admitiu hoje ao Tribunal de Leiria que a menina poderia ter sobrevivido, "com sequelas", se tivesse sido socorrida. A …

Marcelo admite confinamentos locais, fala em "reta final" e aponta à "recuperação social"

O Presidente da República afirmou esperar que o estado de emergência esteja a caminhar para o fim, sem dar como certo que esta seja a sua última renovação, e admitiu confinamentos locais para conter a …

Caso Marquês: Distribuição do processo investigado. Recursos só chegam ao Tribunal da Relação em 2022

O Conselho Superior da Magistratura (CSM) vai averiguar se há novos elementos que justifiquem uma alteração do seu entendimento de que não houve irregularidades na distribuição, na fase de investigação da Operação Marquês, ao juiz …

Estado condenado a pagar oito mil euros por demorar 24 anos a atribuir pensão de alimentos

O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa condenou o Estado a pagar 8.500 euros a uma mãe, que esteve 24 anos à espera de uma pensão de alimentos para as duas filhas, hoje com 37 …

Centenas de pessoas ficaram à espera de vacinação na Maia devido a erro informático

A situação ocorreu no Centro de Vacinação Covid Maia I, que funciona em Gemunde, nas instalações da Junta de Freguesia do Castêlo da Maia. A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) disse esta quarta-feira que …