/

Quase 70% dos portugueses já têm uma dose. Vacina faz internamentos caírem até nove vezes

1

José Coelho / Lusa

Um total de 57% da população residente em Portugal tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório de vacinação divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) na terça-feira.

Ao todo, até domingo, 5,85 milhões de pessoas (57%) tinham concluído o esquema vacinal.

Segundo o relatório, publicado habitualmente todas as terças-feiras, 7,05 milhões de pessoas (69%) tomaram pelo menos uma dose.

Os dados surgem numa altura em que o alargamento da vacinação às camadas mais jovens fez-se notar novamente esta semana.

De acordo com o Público, metade das pessoas (precisamente 50%) no grupo de pessoas com idade entre os 25 e os 49 anos completou a vacinação contra a covid-19, um aumento de dez pontos percentuais em relação à semana passada, num total de 1.666.674 pessoas completamente vacinadas. Nesta faixa etária, 2.523.805 indivíduos receberam pelo menos uma dose da vacina, ou seja, 76%.

No grupo etário seguinte, entre os 50 e os 64 anos, 86% das pessoas já têm o esquema vacinal completo, e 94% tomaram pelo menos uma dose.

Relativamente ao grupo de pessoas com idade entre os 65 e os 79 anos e com mais de 80 anos, 99% dos indivíduos receberam uma dose da vacina e 96% estão completamente inoculados.

Entre os mais jovens – que começaram a ser vacinados em julho – 157.703 pessoas entre os 18 e os 24 receberam pelo menos uma dose da vacina (20%) e 90.620 as duas doses (12%). E 5496 crianças e jovens dos zero aos 17 anos tomaram uma dose e 2880 completaram a vacinação contra a covid-19.

Os jovens com 16 e 17 anos podem agendar a vacinação contra a covid-19 a partir desta terça-feira.

Por sua vez, os maiores de 30 anos já têm a possibilidade de recorrer à modalidade “casa aberta”.

Em Portugal, a campanha de vacinação contra a covid-19 iniciou-se em 27 de dezembro de 2020, sendo administradas atualmente as vacinas de dose única (Janssen) e de dose dupla (Pfizer/BioNTech, Moderna e AstraZeneca).

“A grande arma”

De acordo com os dados da DGS, a vacinação completa contra a covid-19 reduz entre três a nove vezes o risco de internamento.

A instituição de saúde refere que um infetado com mais de 80 anos e já imunizado tem 7,5% de probabilidades de ser hospitalizado devido ao vírus, ao passo que, se não tiver recebido sequer a primeira dose, o número sobre para 20,4%.

No entanto, é na faixa entre os 65 e os 80 anos que o efeito da vacina é mais vincado, fazendo baixar esse risco de 13,3% para 1,4%.

Entre 28 de junho e 4 de julho, 68% das pessoas que receberam alta hospitalar após terem contraído a covid-19 não estavam vacinadas. 30% tinham tomado só uma dose e apenas 2% tinham completado a vacinação. Nos cuidados intensivos, estes números eram, respetivamente, 68%, 27% e 5%.

Em declarações ao Jornal de Notícias, André Peralta Santos afirma que a evolução da vacinação é uma boa notícia, referindo que no dia em que Portugal registou mais 2076 novos casos e 19 mortes por covid-19 a vacina foi “a grande arma” na luta contra a pandemia.

Atualmente, a pandemia em Portugal tem sido agravada variante delta tem uma prevalência acima dos 95% em todas as regiões do país, revelou o Instituto Ricardo Jorge. No Norte, Algarve e Madeira é de 100%.

  ZAP // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE