Mais um apagão. 23 dos 24 estados da Venezuela às escuras

Na Venezuela, os apagões elétricos estão a tornar-se cada vez mais frequentes. Na noite desta terça-feira, deu-se uma nova falha no fornecimento da eletricidade.

Um novo apagão elétrico deixou 23 dos 24 estados venezuelanos às escuras na noite desta terça-feira, num país onde são cada vez mais frequentes e prolongadas as falhas no fornecimento de eletricidade.

Segundo as rádios locais, o apagão teve início pelas 23h30 de terça-feira (04h30 horas de hoje em Lisboa), tendo chegado a afetar a capital, Caracas, onde a energia foi entretanto restabelecida. De momento, não há informação oficial sobre os motivos da falha elétrica.

Através do Twitter, vários utilizadores denunciaram apagões nos estados venezuelanos de Arágua, Barinas, Guárico, Vargas, Miranda, Mérida, Táchira, Trujillo, Nova Esparta, Apure, Delta Amacuro, Cojedes, Yaracuy, Zulia, Bolívar, Anzoátegui, Portuguesa, Lara, Falcón, Carabobo, Monagas e Sucre.

A única região do país que parece imune à falha elétrica é o estado de Amazonas, a sul do país, na fronteira com o Brasil.

Na Venezuela são cada vez mais frequentes e prolongadas as falhas no fornecimento de eletricidade: no passado dia 7 de março de 2019, uma falha na barragem de El Guri (a principal do país) deixou a Venezuela às escuras durante uma semana.

Em 25 de março, verificou-se um novo apagão, que afetou pelo menos 18 dos 24 estados, incluindo Caracas, que estiveram às escuras, total ou parcialmente, pelo menos durante 72 horas. Quatro dias depois, pelo menos 21 estados ficaram sem eletricidade durante 24 horas.

Na última segunda-feira, o novo ministro da Energia Elétrica venezuelano, Igor Gavidia, anunciou que o programa de racionamento de eletricidade no país, iniciado no dia 1 deste mês, “poderá prolongar-se por um ano”.

“Vamos atacar os problemas do plano [de recuperação do sistema elétrico] que o Presidente iniciou a curto prazo, entre 30 e 60 dias, entre 60 e 90 dias e prolongar um ano”, disse. Gavidia falava em Puerto Ordáz, no estado venezuelano de Bolívar (sudeste de Caracas), durante a instalação do Estado-Maior Elétrico da Região Sul.

O anúncio do prolongamento ocorreu depois de a Associação Venezuelana de Engenharia Elétrica (Aviem) advertir que são necessários sete anos para que o sistema elétrico do país volte a ter “a estabilidade que tinha há mais de uma década”.

“Durante muitos anos foram orçamentadas numerosas obras, mas nunca foram incorporadas fisicamente”, disse o diretor da Aviem, Rafael Rodríguez, ao diário El Universal.

Em 31 de março, entre protestos a nível nacional por falta de energia elétrica, gás e outros serviços básicos, o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou a ativação de um programa de racionamento elétrico durante um mês. Um dia depois, demitiu o ministro da Energia Elétrica, o general Luís Motta Domínguez, e nomeou para o seu lugar o engenheiro Igor Gaviria.

O programa de racionamento, divulgado pela Corporação Elétrica Nacional da Venezuela (Corpoelec) prevê que o serviço seja contínuo durante 24 horas apenas dois dias por semana.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

PSD quer lay-off até final do ano e Estado menos "dorminhoco"

O PSD apresentou hoje um conjunto de 26 "ideias e sugestões" na área social, incluindo o prolongamento do 'lay-off' simplificado até ao final do ano, a reafetação de recursos na administração pública e um Estado …

Trump prepara ordem executiva contra redes sociais. Quer reduzir proteções legais das empresas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de …

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia …

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior. Paulo Fonseca, da Deco, …

Alto político russo demitido por Vladimir Putin recorre ao Supremo

Um alto responsável político russo, demitido pelo Presidente Vladimir Putin em janeiro devido a acusações de vários escândalos, contestou a decisão perante a mais alta instância judicial do país. É a primeira vez em vinte anos …

Moratória do Estado poderá ser alargada ao crédito pessoal e aos emigrantes

O Governo está a preparar uma revisão da moratória pública do crédito, que será estendida no tempo e incluirá outras categorias de financiamento, passando ainda a abranger as casas dos emigrantes e o crédito ao …

Lone Star põe Novo Banco em Espanha à venda

O presidente executivo do Novo Banco já terá informado os trabalhadores da sucursal espanhola que o negócio vai para a frente. A notícia foi avançada, esta quarta-feira, pelo jornal El Confidencial. O fundo norte-americano Lone Star …

Autoridades preparam encerramento dos cafés no bairro da Jamaica para conter surto

As autoridades de saúde estão a preparar o encerramento dos cafés no bairro da Jamaica, no Seixal, para conter o surto de covid-19 detetado entre os moradores. A informação foi avançada à agência Lusa pelo delegado …

Aviação continua a despedir. EasyJet vai dispensar um terço dos trabalhadores

A companhia aérea britânica EasyJet anunciou a redução de 4.500 postos de trabalho, quase um terço dos seus efetivos, para fazer face à pandemia. A EasyJet, cuja atividade está parada há semanas, diz que desta forma …

Grupo Amorim perde processo de 179 milhões contra Novo Banco

O Grupo Amorim perdeu o processo no qual reclamava ao Novo Banco o pagamento de mais de 179 milhões investidos, através de duas empresas sediadas na Holanda, em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES). De …