UEFA rejeita iluminação arco-íris LGBT no estádio de Munique

A UEFA rejeitou hoje o projeto da cidade de Munique para iluminar o estádio com as cores do arco-íris no jogo entre Alemanha e Hungria, na quarta-feira, para o Euro2020 de futebol, por protestar contra uma lei húngara.

“Pelos seus estatutos, a UEFA é uma organização política e religiosamente neutra”, reiterou o organismo que rege o futebol europeu, em comunicado.

O município presidido por Dieter Reiter pretendia iluminar a Allianz Arena com as cores do arco-íris, símbolo associado à comunidade LGBT, no embate entre alemães e húngaros, para a terceira jornada do Grupo F, que integra também a seleção portuguesa, e hastear bandeiras multicoloridas no recinto.

A iniciativa visava manifestar apoio à comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero) na Hungria, Estado-membro da União Europeia que aprovou recentemente uma lei que proíbe a divulgação de conteúdos sobre orientação sexual a menores de 18 anos.

“Dado o contexto político deste pedido — uma mensagem que visa uma decisão tomada pelo parlamento nacional húngaro —, a UEFA deve recusá-lo”, rematou o organismo presidido pelo esloveno Aleksander Ceferin.

A UEFA diz acreditar que “a discriminação só pode ser combatida em estreita colaboração com os outros”, propondo que a cidade bávara ilumine o estádio com estas cores no dia 28 de junho, dia da parada do Christopher Street Day (CSD), ou entre 03 e 08 de julho, na semana da CSD em Munique.

Hungria critica utilização de símbolo da comunidade LGBT

O Governo húngaro classificou esta segunda-feira como “nocivos e perigosos” os planos da autarquia de Munique de iluminar o estádio com as cores do arco-íris.

Em declarações à comunicação social, à margem de uma reunião ministerial, o ministro dos Negócios Estrangeiros húngaro, Péter Szijjártó, disse esta segunda-feira que “na proposta de iluminar (o estádio) é claramente detetada uma intenção de misturar a política com o desporto”.

“Todos sabem do que se trata”, afirmou o chefe da diplomacia húngara, considerando tal iniciativa como “muito nociva e perigosa”.

A autarquia de Munique expressa de forma explícita que a ação pretende manifestar solidariedade para com a comunidade LGBT húngara após a aprovação, na semana passada, de uma legislação classificada como homofóbica e encarada com grande preocupação pela Comissão Europeia e por várias organizações não-governamentais (ONG) internacionais.

A lei proíbe, por exemplo, a “representação” da homossexualidade e da transexualidade em programas curriculares de ensino. Ainda nas declarações aos jornalistas, Péter Szijjártó defendeu a legislação aprovada, argumentando que a nova lei visa apenas defender os direitos dos menores.

“Aprovamos uma lei em defesa das crianças húngaras e contra a qual a Europa Ocidental está agora a protestar”, reforçou o ministro.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomo amador descobre mais uma lua de Júpiter

Kai Ly revisitou dados captados em 2003 pelo Telescópio Canadá-França-Havai (CFHT) e descobriu uma nova lua na órbita de Júpiter, que ganhou o nome provisório de EJc0061. Segundo a União Astronómica Internacional (IAU), Júpiter tem 79 …

Nova tecnologia microondas permite "ver" através das paredes

Investigadores do US National Institute of Standards and Technology (NIST), nos Estados Unidos, desenvolveram um novo sistema de radar que pode produzir imagens em tempo real de objetos que se encontram atrás de paredes ou …

Pizza para Itália e salmão para a Noruega. Emissora pede desculpa por imagens usadas nos Jogos Olímpicos

O canal de televisão sul-coreano MBC pediu desculpa publicamente após usar imagens para representar países durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Fotos de pizza para a comitiva italiana, de salmão para a …

"Quanto mais cedo, melhor". A dona da Marlboro apoia a proibição dos cigarros até 2030

O CEO da Philip Morris Internacional, dona da Marlboro, apoia a proibição da venda de cigarros, mas os activistas anti-tabaco já acusaram a empresa de hipocrisia por tentar comprar uma farmacêutica enquanto lucra com o …

Bezos e Branson não são astronautas, clarifica Administração da Aviação norte-americana

Dúvida instalou-se depois dos voos que levaram os dois bilionários ao espaço. Novas diretrizes da Administração Federal de Aviação vêm esclarecer.  Após os voos que os tornaram nos primeiros turistas espaciais, Jeff Bezos e Richard Branson …

Soldados afegãos buscam refúgio no Paquistão após perderem postos na fronteira

Quase meia centena de soldados afegãos buscaram asilo no Paquistão após perderem para os Talibãs o controle das posições militares na fronteira, informou o exército paquistanês esta segunda-feira. Centenas de soldados do exército afegão e oficiais …

Portugal ultrapassa Estados Unidos em população com vacinação completa

EUA vivem atualmente um planalto no seu processo de vacinação, com pouco mais de meio milhão de cidadãos a serem vacinados diariamente. Desaceleração no ritmo de inoculações é atribuída a motivações pessoais da população e …

Mulher que vestia camisola com capa do Charlie Hebdo ferida em Londres

Uma mulher que vestia uma camisola estampada com uma capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo foi ferida levemente com arma branca no domingo em Hyde Park, em Londres, informou a polícia, que pediu colaboração …

Novo Banco. Comissão de inquérito aprova que resolução do BES foi "fraude política"

A comissão de inquérito ao Novo Banco aprovou uma proposta do PCP de alteração ao relatório referindo que a resolução do BES e a sua capitalização inicial, de 4.900 milhões de euros, foi "uma fraude …

BCP prevê saída de mais de 800 trabalhadores e admite despedimento coletivo

O presidente do BCP disse esta segunda-feira que deverão sair do banco mais de 800 trabalhadores, abaixo da meta inicial de 1.000, mas que depende dos funcionários que aceitarem rescindir e mantém a possibilidade de …