UE em rota de colisão com a Polónia. Em causa estão os crimes de ódio

John Thys / EPA

Ursula Von der Leyen, a presidente da Comissão Europeia

A relação entre a União Europeia e a Polónia está cada vez mais comprometida. As duas partes têm chocado no que toca à discussão dos crimes de ódio.

No seu primeiro discurso sobre o estado de união como presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen falou denunciou o ódio e prometeu construir “uma união de igualdade”.

Embora as instituições europeias tenham estado na vanguarda da luta contra os crimes de ódio e a discriminação dentro e fora da UE, os estados-membros, incluindo a Polónia, têm sido mais lentos nas suas respostas ao racismo, homofobia e misoginia. Os planos de Von der Leyen significam que Governos desobedientes vão precisar de ceder ou lutar. E essa tensão pode acabar por piorar a situação.

Num discurso de confronto, von der Leyen mirou especialmente o governo polaco, que permitiu que dezenas de cidades se declarassem “livres da ideologia LGBT”. A presidente da CE classificou essas “zonas livres de LGBT” como “zonas livres de humanidade” e disse que elas não têm lugar na UE.

E à luz dos protestos Black Lives Matter na sequência do assassinato de George Floyd nos Estados Unidos, bem como as preocupações sobre o antissemitismo na Europa, a líder da Comissão afirmou que “ódio é ódio e ninguém deveria ter que aturar isso”. Ela prometeu que “lutar contra o racismo nunca será opcional” na UE.

No movimento para criar “uma união de igualdade”, von der Leyen anunciou a nomeação do primeiro coordenador antirracismo da Comissão Europeia. Dinheiro também será disponibilizado para combater a discriminação em áreas como educação, emprego, habitação e saúde.

Os planos vão complementar os esforços existentes por parte da UE para combater os crimes de ódio, o discurso de ódio e a desigualdade de tratamento. Isto inclui leis contra a discriminação, bem como medidas brandas, como investigação, monitorização, treino e campanhas.

É provável que alguns Governos particularmente problemáticos se oponham às ideias dela.

Poucos governos em toda a UE publicam estatísticas significativas de crimes de ódio detetados, mas vários destacam-se pelo seu fraco desempenho. A Irlanda foi criticada por não promulgar leis específicas para a violência motivada por preconceitos. Mas os políticos lá, pelo menos, parecem estar a promover movimentos para forçar mudanças ao adotar leis contra crimes de ódio.

O mesmo não pode ser dito da Polónia e de alguns outros países do extremo leste do bloco, que parecem estar mover-se na direção oposta.

Na Polónia, as marchas de orgulho gay ficaram sem proteção e foram atacadas pela extrema direita. Enquanto isso, países como a Roménia e a Hungria baniram os estudos de género. Este último também encerrou o reconhecimento legal de género para pessoas transexuais e intersexuais.

As tentativas de fazer cumprir as leis de crimes de ódio de Bruxelas podem vir a desencadear conflitos com países preocupados com a perda de soberania, incluindo estes três. Políticos de direita já acusam a Comissão Europeia de abusar do seu poder. Eles dizem que, ao promover as questões da igualdade, está a agir fora dos tratados da UE porque tem poderes limitados no que diz respeito ao direito penal e de família.

Bruxelas tem tido dificuldades nas suas relações com a Polónia e com a Hungria há algum tempo. A UE está empancada em discussões sobre o que fazer a respeito da tendência cada vez mais autoritária dos governos desses dois Estados membros, sem chegar a nenhuma solução. As ameaças de remover fundos da UE, a menos que cumpram as normas do Estado de Direito, tiveram pouco impacto.

Se as autoridades nacionais não cumprirem as políticas da UE, e Bruxelas retirar o financiamento como resultado, isto pode significar que algumas das comunidades mais pobres e regiões menos desenvolvidas da UE perderão milhões de euros de financiamento para educação ou infraestruturas.

Embora a UE possa ter boas intenções ao tomar estas decisões, disciplinar mecanismos desse tipo pode ter a consequência indesejada de alimentar o ódio, a discriminação e os sentimentos anti-UE.

PARTILHAR

RESPONDER

Fotografia mostra princesa Latifa em Espanha

Uma fotografia da princesa Latifa do Dubai, cuja situação preocupa a ONU depois de ter sido apanhada quando tentava fugir do emirado em 2018, foi divulgada esta segunda-feira numa rede social e descrita como tendo …

Microlino, o pequeno carro elétrico com teto dobrável, está cada vez mais perto da produção

Em desenvolvimento há mais de cinco anos, e originalmente com produção prevista para 2019, o terceiro protótipo do Microlino 2.0 da Micro Mobility Systems AG foi concluído. O terceiro protótipo do Microlino é o mais próximo …

Constitucional "absolve" (mas critica) socialista que chamou "cigana" a deputada

O Tribunal Constitucional (TC) anulou a decisão do PS de condenar o ex-eurodeputado, mas o presidente fez uma declaração de voto em que reprovou o "chocante racismo". O caso remonta a junho de 2017, quando Manuel …

EUA convida Coreia do Norte a retomar diálogo sobre armamento nuclear

Os Estados Unidos (EUA), a Coreia do Sul e o Japão convidaram esta segunda-feira Pyongyang a retomar o diálogo sobre armamento nuclear na península coreana, depois de o líder norte-coreano ter anunciado estar a preparar-se …

Polícias em protesto abandonaram parlamento (mas voltaram para trás)

A manifestação de elementos das forças de segurança pertencentes ao Movimento Zero abandonou esta segunda-feira, cerca das 15h30, o parlamento, alegadamente em direção ao Ministério da Administração Interna, mas a meio do percurso voltou para …

Sobrevivência da TAP depende da “implementação rigorosa” da reestruturação

O presidente executivo interino da TAP, Ramiro Sequeira, despediu-se esta segunda-feira dos trabalhadores sublinhando que a sobrevivência da companhia aérea dependerá da "implementação rigorosa" do plano de reestruturação. Num email enviado aos trabalhadores, a que a …

Novo (e nono) caso positivo de covid-19 no Euro 2020

Billy Gilmour não vai participar no último jogo da Escócia na fase de grupos, que pode terminar com uma qualificação inédita. Há mais um futebolista infetado pelo novo coronavírus, entre os que foram convocados para a …

Governo britânico estuda isenção de quarentena para vacinados

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira estar a avaliar a possibilidade de isentar de quarentena pessoas totalmente vacinadas contra a covid-19 que cheguem do estrangeiro, mas evitou falar sobre a expansão da “lista …

Temido quer “ganhar tempo” para conter variante Delta. Em julho, serão administradas 130 mil doses por dia

A ministra da Saúde admitiu esta segunda-feira que a variante Delta do coronavírus SARS-Cov-2 se tornará dominante em Portugal e disse que a estratégia é acelerar a vacinação contra a covid-19. “O que estamos a assistir …

Pais de bombeiro que morreu relatam vegetação lastimável na EN 236-1

Os pais do bombeiro Gonçalo Conceição, que morreu na sequência de queimaduras nos incêndios de Pedrógão Grande, relataram esta segunda-feira, no Tribunal Judicial de Leiria, que a vegetação junto à Estrada Nacional (EN) 236-1 estava …