Trump abdica de tarifas sobre importações se UE abolir barreiras

(dp) sgt. Brigitte N. Brantley / DoD

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (ao canto, o Secretário da Defesa, Jim Mattis)

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que renuncia aos impostos sobre as importações de aço e alumínio aplicados à União Europeia, se os 28 abdicarem das barreiras aos produtos dos Estados Unidos.

Os impostos de 25% sobre as importações de aço e 10% sobre as de alumínio anunciadas por Trump têm sido criticadas pelos europeus e outros parceiros comerciais dos EUA, como o Japão, mas não foi encontrada uma solução hoje nas conversações entre representantes das três partes, em Bruxelas.

“A União Europeia, países maravilhosos que tratam muito mal os Estados Unidos no comércio, queixa-se dos impostos sobre o aço e o alumínio. Se eles abandonarem os seus horríveis obstáculos e os seus direitos aduaneiros sobre produtos norte-americanos, nós abandonaremos os nossos. Se não, taxamos as viaturas, etc. Justiça!”, escreveu o presidente na rede social Twitter.

Depois do encontro de hoje, na capital belga, os europeus manifestaram o seu desapontamento ao representante norte-americano do Comércio Robert Lighthizer. A reunião incluiu ainda a comissária do Comércio Cecilia Malmström e o ministro japonês da Economia, Hiroshige Seko.

O Japão, como a União Europeia, exige isenção dos impostos.

“A discussão foi franca, mas não obtivemos clareza imediata sobre o procedimento sobre como ficar isento e as discussões continuarão na próxima semana”, disse Malmström na sua conta do Twitter, após a reunião que durou cerca de quatro horas.

Os EUA vão começar a aplicar tarifas aduaneiras de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio dentro de 15 dias, com o Canadá e o México excluídos destes direitos aduaneiros, anunciou na quinta-feira a Casa Branca.

Entretanto, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu os EUA de que as guerras comerciais “são más e fáceis de perder“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Não deixa de ter uma certa razão. Porque é que a UE aplica uma taxa aos carros Americanos muito superior à taxa aplicada pelos EUA aos carros Europeus?

    • Onde viu isso? Que taxa é essa?
      Além disso, há um pequeno pormenor: alguns fabricantes europeus (MB, BMW, VW) tem fabricas nos EUA e os fabricantes americanos não tem fabricas na Europa!

      • Por exemplo aqui: https://www.caranddriver.com/features/free-trade-cars-why-a-useurope-free-trade-agreement-is-a-good-idea-feature

        Os EUA aplicam uma taxa de 2.5% sobre carros importados. A UE aplica 10%. Olhando apenas a este número, a UE sai a ganhar largamente.

        Mais a importação de camiões e pickups nos EUA é taxada a 25%. A Ford tem fábricas na Europa. Ou seja, não faço ideia quem é que fica a ganhar.

        Uma coisa é certa: ninguém parece querer estas novas taxas que o Trump quer aplicar, mesmo nos EUA a opinião geral é contra, e toda a gente vai ficar a perder caso isto leve a uma guerra comercial.

        • Pode ser, mas não estou muito convencido com o valor dessas taxas (e principalmente da sua aplicação)…
          A MB faz carros nos EUA (ML, GLS, por exemplo) para depois vender em todo o mundo, assim, como a BMW (Z3, Z4, X3, X5, X6, etc) – alguns deles são/foram construídos exclusivamente nos EUA para o mercado mundial, logo, para desses carros entrarem na Europa, supostamente, teriam que pagar os tais 10% – o que me parece muito elevado/estranho…
          A Ford “europeia” (Ford Europe) não é bem a Ford (casa mãe) – é uma “sucursal” da Ford que projecta, desenvolve e fabrica carros na Europa, principalmente para o mercado europeu e desconheço se alguns modelos da Ford Europe são vendidos nos EUA – mas acho que não; portanto, sendo taxados “apenas” a 2,5% isso até faria muito mais sentido do que a MB e a BMW fabricar carros exclusivamente nos EUA para depois vender na Europa (etc)…
          O que é certo é que com mais esta “Trampada” populista, ninguém vai ficar a ganhar…

  2. Se só for de carros que estamos a falar, então deve ser fácil resolver desde que os referidos carros importados cumpram a legislação ambiental europeia… De resto, se estivermos a falar de «lixo», então, obrigado, mas, não obrigado!

  3. Para trazer umas quaisquer vitaminas dos Estados Unidos, paga-se quase 22 euros de alfandega, e depois veêm os dirigentes europeus dizer que querem livre comércio. Ridiculo. Tomara Portugal ter um presidente como Trump

    • E quem é que precisa de vitaminas dos EUA?!
      Só se for mesmo alguém que opoie um palerma como Trampa!…
      O pior é que, nesses casos, as vitaminas servem de pouco!…

RESPONDER

No dia anterior à derrocada houve explosões na pedreira de Borba

Um dos sobreviventes da derrocada, que em novembro do ano passado matou cinco pessoas em Borba, garante que na véspera da tragédia "houve explosões e fogo" no fundo da pedreira. Um dos sobreviventes da derrocada de …

As vaquitas estão extinguir-se à nossa frente. Já só há 10 em todo o mundo

A vaquita marinha, o cetáceo mais pequeno do mundo, está à beira da extinção, havendo apenas cerca de dez criaturas vivas, segundo cientistas. O ser humano é o principal responsável pelo seu contínuo desaparecimento. As vaquitas …

A Ciência descobriu quando nasceu Deus

A ideia de um deus todo-poderoso que vigia os humanos a partir do Céu e pune os que se desviam da norma surgiu depois que estes trocaram a tribo pela sociedade. Essa é a principal conclusão …

Famílias numerosas queixam-se de disparidades no preço da água consumida

A Associação Portuguesa das Famílias Numerosas queixou-se da diferença no preço da água consumida consoante o município onde se vive e o número de pessoas do agregado familiar. Na quarta edição do estudo sobre a água …

Costa condiciona extensão do Brexit para além de 23 de maio à aprovação do acordo

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta quinta-feira que uma extensão do Brexit para além de 23 de maio implica a ratificação do Acordo de Saída pelo Parlamento britânico ou a realização de eleições europeias no …

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer influencia risco de desenvolver a doença

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer aumenta a probabilidade de desenvolver a doença, concluiu um estudo recente que avaliou a história familiar de mais de 280 mil pessoas. Na última década, vários estudos indicaram a …

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …