Trump abdica de tarifas sobre importações se UE abolir barreiras

(dp) sgt. Brigitte N. Brantley / DoD

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (ao canto, o Secretário da Defesa, Jim Mattis)

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que renuncia aos impostos sobre as importações de aço e alumínio aplicados à União Europeia, se os 28 abdicarem das barreiras aos produtos dos Estados Unidos.

Os impostos de 25% sobre as importações de aço e 10% sobre as de alumínio anunciadas por Trump têm sido criticadas pelos europeus e outros parceiros comerciais dos EUA, como o Japão, mas não foi encontrada uma solução hoje nas conversações entre representantes das três partes, em Bruxelas.

“A União Europeia, países maravilhosos que tratam muito mal os Estados Unidos no comércio, queixa-se dos impostos sobre o aço e o alumínio. Se eles abandonarem os seus horríveis obstáculos e os seus direitos aduaneiros sobre produtos norte-americanos, nós abandonaremos os nossos. Se não, taxamos as viaturas, etc. Justiça!”, escreveu o presidente na rede social Twitter.

Depois do encontro de hoje, na capital belga, os europeus manifestaram o seu desapontamento ao representante norte-americano do Comércio Robert Lighthizer. A reunião incluiu ainda a comissária do Comércio Cecilia Malmström e o ministro japonês da Economia, Hiroshige Seko.

O Japão, como a União Europeia, exige isenção dos impostos.

“A discussão foi franca, mas não obtivemos clareza imediata sobre o procedimento sobre como ficar isento e as discussões continuarão na próxima semana”, disse Malmström na sua conta do Twitter, após a reunião que durou cerca de quatro horas.

Os EUA vão começar a aplicar tarifas aduaneiras de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio dentro de 15 dias, com o Canadá e o México excluídos destes direitos aduaneiros, anunciou na quinta-feira a Casa Branca.

Entretanto, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu os EUA de que as guerras comerciais “são más e fáceis de perder“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Não deixa de ter uma certa razão. Porque é que a UE aplica uma taxa aos carros Americanos muito superior à taxa aplicada pelos EUA aos carros Europeus?

    • Onde viu isso? Que taxa é essa?
      Além disso, há um pequeno pormenor: alguns fabricantes europeus (MB, BMW, VW) tem fabricas nos EUA e os fabricantes americanos não tem fabricas na Europa!

      • Por exemplo aqui: https://www.caranddriver.com/features/free-trade-cars-why-a-useurope-free-trade-agreement-is-a-good-idea-feature

        Os EUA aplicam uma taxa de 2.5% sobre carros importados. A UE aplica 10%. Olhando apenas a este número, a UE sai a ganhar largamente.

        Mais a importação de camiões e pickups nos EUA é taxada a 25%. A Ford tem fábricas na Europa. Ou seja, não faço ideia quem é que fica a ganhar.

        Uma coisa é certa: ninguém parece querer estas novas taxas que o Trump quer aplicar, mesmo nos EUA a opinião geral é contra, e toda a gente vai ficar a perder caso isto leve a uma guerra comercial.

        • Pode ser, mas não estou muito convencido com o valor dessas taxas (e principalmente da sua aplicação)…
          A MB faz carros nos EUA (ML, GLS, por exemplo) para depois vender em todo o mundo, assim, como a BMW (Z3, Z4, X3, X5, X6, etc) – alguns deles são/foram construídos exclusivamente nos EUA para o mercado mundial, logo, para desses carros entrarem na Europa, supostamente, teriam que pagar os tais 10% – o que me parece muito elevado/estranho…
          A Ford “europeia” (Ford Europe) não é bem a Ford (casa mãe) – é uma “sucursal” da Ford que projecta, desenvolve e fabrica carros na Europa, principalmente para o mercado europeu e desconheço se alguns modelos da Ford Europe são vendidos nos EUA – mas acho que não; portanto, sendo taxados “apenas” a 2,5% isso até faria muito mais sentido do que a MB e a BMW fabricar carros exclusivamente nos EUA para depois vender na Europa (etc)…
          O que é certo é que com mais esta “Trampada” populista, ninguém vai ficar a ganhar…

  2. Se só for de carros que estamos a falar, então deve ser fácil resolver desde que os referidos carros importados cumpram a legislação ambiental europeia… De resto, se estivermos a falar de «lixo», então, obrigado, mas, não obrigado!

  3. Para trazer umas quaisquer vitaminas dos Estados Unidos, paga-se quase 22 euros de alfandega, e depois veêm os dirigentes europeus dizer que querem livre comércio. Ridiculo. Tomara Portugal ter um presidente como Trump

    • E quem é que precisa de vitaminas dos EUA?!
      Só se for mesmo alguém que opoie um palerma como Trampa!…
      O pior é que, nesses casos, as vitaminas servem de pouco!…

RESPONDER

Igrejas evangélicas cultivam violência doméstica ao defender a supremacia dos homens sobre as mulheres

O facto de a igreja evangélica defender que o homem deve controlar a mulher apenas agrava o problema de violência doméstica, justificando os atos dos homens. Jane (nome fictício) era membro da comunidade cristã evangélica da …

A Cidade do México está a pagar aos seus polícias para que percam peso

A Polícia da Cidade do México está a levar a cabo um programa para combater o excesso de peso e a obesidade no seu efetivo através de incentivos financeiros.  Ao todo, escreve a agência AFP que …

Há um novo método para medir buracos negros

Os buracos negros supermassivos são os maiores buracos negros, com massas que podem exceder mil milhões de sóis. Apenas esta primavera foi divulgada a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, …

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …

Chuva, vento forte e neve. Mau tempo vai agravar-se nas próximas 48 horas

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras alta do norte e centro e ainda …

Descoberta nova espécie de aranha-violinista no Vale do México

Cientistas identificaram, no México, uma nova espécie de aranha com um veneno que, apesar de não ser fatal, é capaz de causar necrose na pele humana. Uma equipa de cientistas da Universidade Nacional Autónoma do México …

Já sabemos sobre o que conversam os orangotangos

Um novo estudo da Universidade de Exeter, em Inglaterra, desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os investigadores passaram dois anos a filmar mais de 600 horas …

COP25 aprovou conclusões. Não há acordo para regulação dos mercados de carbono

A cimeira da ONU sobre o clima terminou hoje em Madrid assinalando a urgência para conter as alterações climáticas, mas a mais longa cimeira sobre o clima de sempre sem chegar a acordo nos pontos …