Tribunal rejeita pedido da Casa Branca. Bolton autorizado a publicar livro comprometedor sobre Trump

Shawn Thew / EPA

Conselheiro de Segurança Nacional de Donald Trump, John Bolton

O governo dos Estados Unidos apresentou o pedido à última hora para bloquear o lançamento na próxima terça-feira de “A sala onde tudo aconteceu”, crónica dos 17 meses que John Bolton — ex-conselheiro de segurança nacional — passou com o ocupante da Sala Oval, em 2018 e 2019, dizendo-se preocupado com a possibilidade de a obra expor informações classificadas.

A decisão do juiz Royce Lamberth é uma vitória para Bolton num processo que envolve a Primeira Emenda e preocupações de segurança nacional, embora o magistrado considere que o ex-conselheiro de Trump “jogou com a segurança nacional dos Estados Unidos” ao optar pela publicação “sem garantir a aprovação final das autoridades nacionais de informação”.

Mas com 200 mil cópias já distribuídas pelas livrarias de todo o país seria inútil tentar bloquear o lançamento do livro, escreveu Lamberth.

O livro, com um retrato pouco lisonjeiro da tomada de decisões de política externa do presidente norte-americano, segundo Donald Trump é uma “compilação de mentiras e histórias inventadas”.

“Muitas das afirmações que ele me atribui nunca existiram, são pura ficção”, escreveu o Presidente, na sua conta pessoal da rede social Twitter, acrescentando que Bolton “está apenas a tentar vingar-se” por ele o ter despedido.

Trump reagia à divulgação na quinta-feira de um extrato de uma entrevista à estação televisiva ABC, onde Bolton considera que o presidente norte-americano “não é competente para o cargo”. “Eu penso que ele (Trump) não tem as competências necessárias para exercer o seu trabalho”, disse o ex-conselheiro da Casa Branca.

Bolton acusa ainda Trump de confundir os “seus interesses políticos e o interesse nacional”, indicando que muitas importantes decisões do presidente são norteadas pela sua reeleição.

John Bolton despedido em setembro por Trump, quando Donald Trump procura aberturas diplomáticas com dois dos inimigos mais intratáveis ​​dos Estados Unidos, esforços que são divergentes das ideias de pessoas como Bolton, que vê a Coreia do Norte e o Irão como não confiáveis. No final do ano passado, Bolton mostrou-se disponível para testemunhar, dando a entender que pode revelar informação sobre Donald Trump, com um misterioso “estejam atentos”.

Trump demite procurador

De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o chefe da procuradoria de Manhattan, Geoffrey S. Berman, que investigava várias pessoas próximas do presidente norte americano foi demitido pelo próprio Donald Trump.

Barr anunciou a demissão de Berman ainda na sexta-feira, mas este insistiu que não abandonaria o cargo. Com crimes de corrupção de pessoas do círculo íntimo de Trump em mãos, e tendo avançado com um processo contra o antigo advogado do presidente e que levou à prisão de Michael Cohen, Berman investigava agora Rudolph Giuliani, o seu atual advogado.

O Departamento de Justiça divulgou uma carta de Barr a dizer que Berman preferia o “espetáculo público ao serviço público”, não querendo deixar o seu cargo. Foi por isso que pediu a Trump para o demitir. “Como não quiseste sair demitir-te, pedi ao presidente para te retirar do lugar e ele assim o fez”, explicou.

Berman anunciou que, uma vez que Barr já designou Audrey Strauss para o seu lugar, que irá abandonar o cargo, deixando grandes elogios à sua sucessora, dizendo que “é a procuradora mais inteligente” e com mais princípios com quem já teve “o privilégio” de trabalhar.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …

PAN rejeita "via verde" para o Governo (e admite travar próximo Orçamento "se necessário")

O PAN não pretende oferecer “uma via verde para o Governo fazer o que bem entender” e admite mesmo travar o Orçamento de Estado "se for necessário". As palavras são da presidente do Grupo Parlamentar do …

Bloco quer administração da RTP nomeada pela Assembleia da República

O Bloco de Esquerda fez várias propostas à revisão do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão. Do lado dos trabalhadores da RTP, a proposta foi arrasada. O Governo colocou em consulta pública, …

Decisão da insolvência da Groundforce pode demorar dois meses. Salários de maio em risco

Os salários de maio de 2400 trabalhadores da Groundforce devem ser pagos dentro de duas semanas, mas é grande a probabilidade de que isso não aconteça, à semelhança do que ocorreu em fevereiro, elevando as …

Pedro Nuno Santos garante que investimento público em redes de nova geração vai avançar

Pedro Nuno Santos garantiu, na quinta-feira, que o “investimento público” em redes de comunicações eletrónicas “vai avançar”, de forma a levar conectividade às regiões do país onde as redes das operadoras privadas não chegam. O ministro …

PPP hospitalares geraram poupanças para o Estado

O Tribunal de Contas publicou um relatório em que sustenta não ter dúvidas sobre as vantagens que as parcerias público-privadas (PPP) na saúde trouxeram ao Estado, ao longo da última década. Os hospitais em parceria público-privada …

Banco de Fomento está a integrar trabalhadores do antigo BPN

O Banco Português de Fomento está a recrutar colaboradores do antigo BPN para desempenhar funções técnicas, numa altura em que a Parvalorem, onde estão integrados, solicitou ao Executivo o estatuto de empresa em reestruturação. Segundo apurou …

PAN começa a ser julgado por falsos recibos verdes

O PAN vai começar a ser julgado este mês devido ao caso dos falsos recibos verdes. O partido enfrenta três processos judiciais, sendo que o arranque do julgamento do primeiro está marcado para 17 de …