Toxinas lançadas pelos EUA continuam a poluir o Vietname (50 anos depois do fim da guerra)

Durante a Guerra do Vietname, aviões dos Estados Unidos pulverizaram terras agrícolas, florestas tropicais e áreas húmidas com herbicidas, que corroíam a vegetação e permitam encontrar os combatentes vietnamitas. Cinquenta anos depois, essas toxinas continuam a contaminar o solo e os alimentos.

Segundo um artigo da Phys Org, divulgado na quarta-feira, mais de 20 milhões de galões de herbicidas – incluindo o agente laranja, contaminado por dioxinas -, foram utilizados pelos norte-americanos

O agente laranja corroíam a espessa vegetação da selva e destruía uma parte das plantações de alimentos do país. No entanto, eram principalmente as dioxinas que prejudicavam a saúde, tantos dos militares vietnamitas como dos americanos.

Um novo artigo, desenvolvido por investigadores pelas universidades de Illinois e do Iowa (ambas nos Estados Unidos) e publicado a 31 de janeiro de 2019, evidencia o legado ambiental do agente laranja no Vietname, incluindo os pontos críticos onde a dioxina continua a contaminar os alimentos.

“A pesquisa existente até à data é, essencialmente, de natureza médica, concentrando-se nos detalhes da exposição humana através do contacto com a pele e dos efeitos de longo prazo sobre a saúde dos soldados americanos”, disse Ken Olson, um dos autores do artigo.

De acordo com o professor do Departamento de Recursos Naturais e Ciências Ambientais da Universidade do Iowa, neste artigo em especifico foram analisados os efeitos ambientais, a curto e longo prazo, nos recursos naturais do Vietname, bem como a persistência da dioxina nos solos, água, sedimentos, espécies aquáticas e saúde.

Ken Olson, juntamente com Lois Wright Morton, outro dos autores, explicaram que o agente laranja era uma combinação de dois herbicidas (2,4-D e 2,4,5-T), que não persistem mais do que alguns dias ou semanas no ambiente quando exposto à luz solar.

No entanto, durante a produção do agente laranja, formou-se um subproduto tóxico: a dioxina TCDD, o químico mais tóxico da família da dioxina. Quando esta entra em contacto com o ambiente, pode permanecer por décadas ou mesmo séculos. Foi exatamente isso que aconteceu no Vietname, afirmaram os investigadores.

Lucas Jans / Flickr

Para tal, a equipa examinou um relatório de 870 páginas da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), bem como uma dúzia de outros relatórios sobre os locais contaminados, provenientes da base aérea do Vietname, para verificar a atuação da dioxina TCDD no país.

“Tudo começa com a pulverização militar dos EUA na década de 1960, tendo a dioxina TCDD sido lançada às árvores e arbustos, o que levou à queda de folhas na superfície do solo (juntamente com algum contacto direto da substância com o solo) e à sua fixação na matéria orgânica do solo”, explicou Lois Wright Morton.

A partir daí, a dioxina TCDD foi-se deslocando, através do escoamento superficial e das partículas de sedimentos, instalando-se nos pântanos, rios, lagos e lagoas. Esses sedimentos foram – e ainda são – ingeridos pelos peixes e camarões, acumulando-se no tecido adiposo desses animais e contaminado a cadeia alimentar de muitas espécies aquáticas, que formam a base da dieta vietnamita.

Mesmo que a pesca seja banida na maioria dos locais contaminados, as proibições têm sido difíceis de aplicar e, como resultado, a dioxina TCDD continua a entrar nos alimentos, 50 anos depois.

O artigo aponta os 10 locais onde ainda persistem níveis elevados dessa substância, tendo constatado que milhões de vietnamitas vivem em cidades e aldeias próximas dessas zonas.

“O pior local contaminado com dioxinas no Vietname é a base aérea de Bien Hoa, a 48 quilómetros ao norte da cidade de Ho Chi Minh”, contou Ken Olson. “Depois que o presidente [Richard] Nixon ordenou aos militares americanos que parassem de pulverizar o agente laranja, em 1970, este foi o local onde foram recolhidos todos os barris da substância que permaneceram no Vietname. Os barris foram processados ​​e enviados para a ilha de Johnston, no Oceano Pacífico, onde foram incinerados no mar, em 1977”.

Com base nas pesquisas, os investigadores recomendam a incineração de solos e dos sedimentos contaminados nos locais críticos da base aérea do Vietname.

“Embora a incineração seja a tecnologia mais cara disponível atualmente, eliminaria definitivamente a dioxina, ao invés de armazená-la temporariamente em aterros. Além disso, não exigiria manutenção ou tratamento futuros. A incineração é uma das tecnologias madura e testada, das mais usadas, tendo sido usada para tratar solos, em mais de 150 locais”, acrescentaram.

TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E quem cobra aos Americanos o ASSASSINATO de milhares de Vietinamitas, com essas toxinas, escrevem sobre soldados amerdicanos contaminados, mas estes ficaram ouco tempo lá, e os NATURAIS, por não dizem NADA.
    Já sei que não irão publicar.

RESPONDER

"El Mencho" quer ser o próximo "El Chapo" (e está a matar polícias para o conseguir)

"El Mencho", líder de um dos cartéis mais influentes do México, foi responsável pelo massacre de 14 polícias. O barão da droga quer ser o próximo "El Chapo". No México, Nemesio Oseguera Cervantes, conhecido como "El …

Marcelo promulga regime de acolhimento residencial para crianças e jovens em perigo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta sexta-feira o diploma governamental que estabelece o regime de execução do acolhimento residencial, medida de promoção dos direitos e de proteção das crianças e jovens …

Lenny Kravitz regressa a Lisboa para um concerto em 2020

Lenny Kravitz regressa a Portugal em 2020. O músico irá atuar na Altice Arena, em Lisboa, no dia 25 de julho do próximo ano. Este concerto faz parte da digressão "Here to Love", de apoio ao …

Conspirador condenado a pagar 450.000 dólares por negar massacre de Sandy Hook

Um tribunal de Wisconsin, nos Estados Unidos, condenou um conspirador a indemnizar o pai de uma das crianças que morreu no tiroteio de Sandy Hook, em 2012, com 450.000 dólares depois de este afirmar que …

Adepto do Nápoles acusado da morte de apoiante do Inter

  O adepto do Nápoles tem antecedentes criminais e, segundo a investigação, poderá estar ligado à camorra, uma organização criminosa italiana. Um adepto radical do Nápoles foi esta sexta-feira detido sob a acusação de homicídio de um …

As temperaturas no Qatar estão tão altas que já há ar condicionado nas ruas

As temperaturas no Qatar, um dos lugares mais quentes do planeta, aumentaram tanto que as autoridades estão a instalar equipamentos de ar condicionado no exterior dos edifícios, nas ruas e nos mercados. O país, onde as …

Quadro de Nicolas de Staël vendido em Paris por valor recorde de 20 milhões de euros

Um quadro do pintor francês, de origem russa, Nicolas de Staël, foi vendido por 20 milhões de euros, um recorde para o artista, num leilão que decorreu em Paris e que foi organizado pela casa …

Duterte encoraja polícia a “matar todos” os suspeitos de tráfico de droga

O presidente das Filipinas encorajou o novo chefe da polícia da cidade de Bacolod, no centro do país, a matar todos os suspeitos de tráfico de droga. “Tens permissão para matar todos”, disse esta quinta-feira Rodrigo …

Prisão preventiva para um dos 23 arguidos da Operação Rota do Cabo

A operação Rota do Cabo, que investiga uma rede criminosa de auxílio à imigração ilegal, contava com a participação de funcionários do Fisco, da Segurança Social e do SEF. Um dos 23 arguidos da operação Rota …

Dez anos depois de uma reunião do governo no fundo do mar, as Maldivas continuam a afundar-se

A 17 de outubro de 2009, o Governo das Maldivas, um dos países mais ameaçados pela subida da água dos oceanos, reuniu-se no fundo do mar para alertar para os efeitos das alterações climáticas. Dez anos …