Toxinas lançadas pelos EUA continuam a poluir o Vietname (50 anos depois do fim da guerra)

Durante a Guerra do Vietname, aviões dos Estados Unidos pulverizaram terras agrícolas, florestas tropicais e áreas húmidas com herbicidas, que corroíam a vegetação e permitam encontrar os combatentes vietnamitas. Cinquenta anos depois, essas toxinas continuam a contaminar o solo e os alimentos.

Segundo um artigo da Phys Org, divulgado na quarta-feira, mais de 20 milhões de galões de herbicidas – incluindo o agente laranja, contaminado por dioxinas -, foram utilizados pelos norte-americanos

O agente laranja corroíam a espessa vegetação da selva e destruía uma parte das plantações de alimentos do país. No entanto, eram principalmente as dioxinas que prejudicavam a saúde, tantos dos militares vietnamitas como dos americanos.

Um novo artigo, desenvolvido por investigadores pelas universidades de Illinois e do Iowa (ambas nos Estados Unidos) e publicado a 31 de janeiro de 2019, evidencia o legado ambiental do agente laranja no Vietname, incluindo os pontos críticos onde a dioxina continua a contaminar os alimentos.

“A pesquisa existente até à data é, essencialmente, de natureza médica, concentrando-se nos detalhes da exposição humana através do contacto com a pele e dos efeitos de longo prazo sobre a saúde dos soldados americanos”, disse Ken Olson, um dos autores do artigo.

De acordo com o professor do Departamento de Recursos Naturais e Ciências Ambientais da Universidade do Iowa, neste artigo em especifico foram analisados os efeitos ambientais, a curto e longo prazo, nos recursos naturais do Vietname, bem como a persistência da dioxina nos solos, água, sedimentos, espécies aquáticas e saúde.

Ken Olson, juntamente com Lois Wright Morton, outro dos autores, explicaram que o agente laranja era uma combinação de dois herbicidas (2,4-D e 2,4,5-T), que não persistem mais do que alguns dias ou semanas no ambiente quando exposto à luz solar.

No entanto, durante a produção do agente laranja, formou-se um subproduto tóxico: a dioxina TCDD, o químico mais tóxico da família da dioxina. Quando esta entra em contacto com o ambiente, pode permanecer por décadas ou mesmo séculos. Foi exatamente isso que aconteceu no Vietname, afirmaram os investigadores.

Lucas Jans / Flickr

Para tal, a equipa examinou um relatório de 870 páginas da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), bem como uma dúzia de outros relatórios sobre os locais contaminados, provenientes da base aérea do Vietname, para verificar a atuação da dioxina TCDD no país.

“Tudo começa com a pulverização militar dos EUA na década de 1960, tendo a dioxina TCDD sido lançada às árvores e arbustos, o que levou à queda de folhas na superfície do solo (juntamente com algum contacto direto da substância com o solo) e à sua fixação na matéria orgânica do solo”, explicou Lois Wright Morton.

A partir daí, a dioxina TCDD foi-se deslocando, através do escoamento superficial e das partículas de sedimentos, instalando-se nos pântanos, rios, lagos e lagoas. Esses sedimentos foram – e ainda são – ingeridos pelos peixes e camarões, acumulando-se no tecido adiposo desses animais e contaminado a cadeia alimentar de muitas espécies aquáticas, que formam a base da dieta vietnamita.

Mesmo que a pesca seja banida na maioria dos locais contaminados, as proibições têm sido difíceis de aplicar e, como resultado, a dioxina TCDD continua a entrar nos alimentos, 50 anos depois.

O artigo aponta os 10 locais onde ainda persistem níveis elevados dessa substância, tendo constatado que milhões de vietnamitas vivem em cidades e aldeias próximas dessas zonas.

“O pior local contaminado com dioxinas no Vietname é a base aérea de Bien Hoa, a 48 quilómetros ao norte da cidade de Ho Chi Minh”, contou Ken Olson. “Depois que o presidente [Richard] Nixon ordenou aos militares americanos que parassem de pulverizar o agente laranja, em 1970, este foi o local onde foram recolhidos todos os barris da substância que permaneceram no Vietname. Os barris foram processados ​​e enviados para a ilha de Johnston, no Oceano Pacífico, onde foram incinerados no mar, em 1977”.

Com base nas pesquisas, os investigadores recomendam a incineração de solos e dos sedimentos contaminados nos locais críticos da base aérea do Vietname.

“Embora a incineração seja a tecnologia mais cara disponível atualmente, eliminaria definitivamente a dioxina, ao invés de armazená-la temporariamente em aterros. Além disso, não exigiria manutenção ou tratamento futuros. A incineração é uma das tecnologias madura e testada, das mais usadas, tendo sido usada para tratar solos, em mais de 150 locais”, acrescentaram.

TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E quem cobra aos Americanos o ASSASSINATO de milhares de Vietinamitas, com essas toxinas, escrevem sobre soldados amerdicanos contaminados, mas estes ficaram ouco tempo lá, e os NATURAIS, por não dizem NADA.
    Já sei que não irão publicar.

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …

Dia da Defesa Nacional regressa ao formato presencial a 2 de setembro

O Dia da Defesa Nacional, que está suspenso desde o dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, irá regressar ao formato presencial a 2 de setembro, anunciou o Governo esta quarta-feira. Em comunicado, o …

Norte-americano detido depois de usar fundos da covid-19 para comprar um Lamborghini

As autoridades dos Estados Unidos detiveram um empresário que comprou um carro de luxo da marca Lamborghini com dinheiro que recebeu de programas federais para ajudar os afetados pelo novo coronavírus (covid-19). A notícia é …

FC Porto e Benfica disputam Supertaça a 23 de dezembro

O jogo da Supertaça, que vai opor o FC Porto ao Benfica e que deveria a abrir a temporada 2020/21, vai disputar-se a 23 de dezembro, anunciou, esta quarta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Em …