Taxa de letalidade da covid-19 no Brasil está em 7%

Antonio Lacerda / EPA

O Brasil registou 749 mortos e 11.385 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 13.149 óbitos e 188.974 casos confirmados desde o início da pandemia, informou na quarta-feira o Executivo.

Os números foram divulgados na noite de quarta-feira pelo Ministério da Saúde, que anunciou que a taxa de letalidade da doença no país está em 7% e que a incidência é de 89,9 casos por cada 100 mil habitantes.

O aumento no número de mortes no Brasil foi de 6%, passando de 12.400 na terça-feira para 13.149 nesta quarta-feira. Já em relação ao número de infetados, o crescimento foi de 6,4%, passando de 177.589 para 188.974 casos confirmados de infeção.

São Paulo, epicentro da doença no país sul-americano, contabiliza oficialmente 4.118 mortos e 51.097 infetados.

Contrariamente ao que se vem registando desde a chegada da pandemia ao Brasil, o estado do Ceará, no nordeste do país, ultrapassou pela primeira vez o Rio de Janeiro no número de casos confirmados, tornando-se na segunda unidade federativa com mais infetados no país (19.156), apenas atrás de São Paulo.

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, tem insistido na necessidade de retomar a economia. Na segunda-feira, incluiu ginásios e academias desportivas “de todas as modalidades”, salões de beleza e barbearias na lista de serviços considerados essenciais para funcionarem no Brasil durante a pandemia de covid-19.

Na tarde de segunda-feira, o ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, declarou à imprensa não ter conhecimento da norma decretada pelo chefe de Estado.

“Se for criado um fluxo que impeça que as pessoas se contaminem, se criarem condições e pré-requisitos, você pode trabalhar (…). Agora, tratar isso como essencial, é um passo inicial, que foi decisão do Presidente. Não passou pelo Ministério da Saúde. Não é uma decisão nossa. É atribuição do Presidente”, afirmou Teich em conferência de imprensa.

O Presidente ampliou assim um decreto editado na semana passada, que já incluía construção civil e atividades industriais como atividades essenciais.

4,3 milhões de infetados no mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou 294.199 pessoas e infetou mais de 4,3 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19:00 TMG desta quarta-feira, baseado em dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa, às 20:00 em Lisboa, 4.305.340 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro passado, na província chinesa de Wuhan.

Porém, a AFP alerta que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que um grande número de países está a testar apenas os casos que requerem atendimento hospitalar.

Entre esses casos, pelo menos 1.473.700 são considerados curados.

Desde a contagem feita às 19:00 TMG de terça-feira, houve 5.157 novas mortes e 82.643 novos casos ocorreram em todo o mundo. Os países com mais óbitos nas últimas 24 horas são os Estados Unidos, com 1.599 novas mortes, Brasil (881) e Reino Unido (494).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de saber o que representa a (foto, imagem ???) ilustração relativa ao tema aqui tratado !…Obrigado ZAP . …se se trata de arte abstracta, pois bem.. OK !

    • Caro leitor,
      Se o seu comentário é uma tentativa de fazer humor, é de mau tom.
      Se se trata de genuína incapacidade de perceber a foto, cuja legenda achámos que os nossos leitores não precisariam, aqui fica ela, com as nossas desculpas:
      “Funeral de uma pessoa vítima de covid-19, sepultada no Cemitério de Caju, no Rio de Janeiro, 8 de Maio de 2020”.

      • Não é de meus modos, “brincar” com temas dolorosos, sobretudo quando se trata de vitimas desta terrível Pandemia. Mas tem de admitir a insólita qualidade da foto. Isso também não custa….Mas enfim obrigado por o esclarecimento !

Responder a ZAP Cancelar resposta

Elon Musk lança concurso para ver quem consegue bater um caracol

O multimilionário, através da sua empresa especializada em construção de túneis, lançou um concurso mundial para ver quem é capaz de bater um caracol. De acordo com o jornal Daily Mail, Elon Musk lançou um concurso …

Covid-19. Tóquio quer pagar até quatro mil euros a bares que fiquem fechados

As autoridades de Tóquio, no Japão, estão a ponderar pagar um subsídio, que pode chegar aos quatro mil euros, aos bares que se mantenham fechados para conter a propagação da covid-19 na cidade. De acordo com …

Médicos franceses detetaram primeiro caso de bebé infetado no útero

Médicos em França pensam ter identificado aquele que será o primeiro caso confirmado de um bebé infetado com covid-19 no útero materno. De acordo com o site Business Insider, a equipa médica conta que a …

17 anos depois, Estados Unidos voltam a aplicar a pena capital a nível federal

Os Estados Unidos procederam, esta terça-feira, à primeira execução federal de um prisioneiro no "corredor da morte" em 17 anos, através de uma injeção letal. Daniel Lewis Lee, 47 anos, natural de Yukon (Oklahoma), foi executado …

Com o pretexto de paz, "senhor da guerra" vai ganhando poder na República Centro-Africana

O "senhor da guerra" Ali Darassa foi pago pelo presidente da República Centro-Africana e já influenciou a demissão de um ministro numa tentativa de manter a paz no país. A República Centro-Africana é um país atormentado …

Ministério Público acusa 25 arguidos pela queda do BES

O Ministério Público deduziu acusação, esta terça-feira, contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete pessoas coletivas, no âmbito do processo sobre a queda do Universo Espírito Santo. "O Ministério Público do Departamento Central de Investigação …

Agora, até o Toyota Corolla é um crossover

O Toyota Corolla Cross é o mais recente SUV da marca japonesa. Apesar de a marca estar a reforçar a sua gama de SUV, Portugal terá de esperar mais um pouco. Na semana passada, a Toyota …

Da Escócia à Grécia, Kleon pedalou durante 48 dias para regressar a casa

Um jovem grego, "preso" na Escócia devido ao cancelamento dos voos por causa da pandemia de covid-19, decidiu pedalar durante 48 dias consecutivos para conseguir regressar a casa. De acordo com a CNN, Kleon Papadimitriou, de …

Após fugirem da Venezuela, milhares foram obrigados a regressar por causa da pandemia (mas não é assim tão fácil)

Desde 2016, quase cinco milhões de venezuelanos deixaram o país, fugindo da pobreza e dos serviços sociais e de saúde em colapso. Agora, a pandemia de covid-19 forçou-os a regressar à Venezuela - se o …

Costa defende na Hungria que Estado de direito não deve ser associado à recuperação

O primeiro-ministro defendeu, esta terça-feira, à saída de uma reunião com o seu homólogo húngaro que a questão do Estado de direito, embora "central" para Portugal, não deve ser relacionada com as negociações sobre o …