Suspeito de Estrasburgo foi condenado 27 vezes e era vigiado por “radicalização”

(hd) Polícia Nacional

Ainda não terminou a caça ao homem. Chérif Chekatt, suspeito do ataque no Mercado de Natal de Estrasburgo, que aconteceu na terça-feira, ainda está à solta e não é um desconhecido para a polícia francesa.

Na terça-feira, quase 24 horas depois do ataque, o primeiro-ministro, Edouard Philippe, anunciou a mobilização de 1800 militares suplementares da Operação Sentinelle a juntar aos mais de 720 polícias e soldados já envolvidos nas buscas no Leste da França e ao longo da fronteira com a Alemanha para tentar encontrar Chérif Chekatt, de 29 anos.

Ao mesmo tempo, a polícia nacional divulgava a foto do suspeito do ataque ao mercado de Natal, que fez três mortos e deixou feridas 12 pessoas – uma está em estado de morte cerebral, apelando à população para estar atenta “sem intervir pessoalmente” contra “um indivíduo perigoso”.

Apesar dos pedidos de cautela do secretário de Estado do Interior, Laurent Nunez, nas conclusões sobre os motivos do ataque, a procuradoria de Paris abriu um inquérito por “assassínio”, “tentativa de assassínio em relação com objetivo terrorista” e “associação criminosa terrorista”, entregando as investigações à Direção Antiterrorismo, à direção inter-regional da Polícia Judiciária e à Direção Geral de Segurança Interna.

Esta última, escreve o Público, assegurava a vigilância “ativa” do suspeito, inscrito desde 2016 na lista de pessoas identificadas para prevenção de radicalização de carácter terrorista.

Todas as 27 condenações de Chérif Chekatt são por delitos comuns, na maioria assaltos, em França, mas também na Alemanha e na Suíça. Detido durante dois períodos em cadeias francesas, as autoridades acreditam que foi na segunda vez, entre 2013 e 2015, que se radicalizou. Na prisão, o jovem “incitava à prática da religião de forma radical, mas nada permitia detetar uma passagem à ação na sua vida corrente”, explicou Nunez.

No dia do ataque, a polícia esteve na casa do suspeito pelas 6h00 para o deter por assalto à mão armada com tentativa de homicídio, um caso de agosto. Em vez dele, a DGSI encontrou uma granada, uma pistola e várias facas.

Desde o segundo encarceramento em França, Chérif Chekatt foi condenado a dois anos e três meses de prisão por roubo na Alemanha, em 2016; cumpriu pouco mais de um ano e foi em seguida expulso para o seu país.

Enquanto prossegue a caça ao homem, a mãe, o pai e dois irmãos do suspeito foram detidos para interrogatório. De acordo com o Le Parisien, depois do ataque, Chekatt terá gritado “Allah Akbar” (“Alá é grande”) e fugido num táxi.

O mesmo jornal conta que o suspeito terá dito ao taxista que quis “vingar os seus irmãos mortos na Síria”. Se o taxista, identificado como M, está vivo, tal deve-se ao facto de ter afirmado ser “muçulmano praticante” que respeita “a oração”.

O nível de ameaça subiu para o alerta mais elevado em França e o centro de Estrasburgo vive um ambiente de recolher obrigatório. O mercado de Natal da cidade, que acolhe a sede do Parlamento Europeu, já contava com uma segurança apertada, incluindo centenas de polícias e dezenas de membros da Operação Sentinelle.

A lista de vigilância, na qual Chekatt está incluído, reúne 26 mil pessoas suspeitas de ameaçar a segurança do país, incluindo dez mil que se pensa terem-se radicalizado, um número que torna impossível que todos estejam sob monitorização permanente. Há muito tempo que se os suspeitos se devem permanecer na cadeia.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Depois de um conselho nacional tenso, líder do CDS reúne-se com a bancada parlamentar

O líder do CDS vai reunir-se, esta quinta-feira, com os cinco deputados centristas para dialogarem sobre a articulação entre a direção e a bancada parlamentar. Tal como recorda o jornal Público, esta reunião de trabalho acontece depois …

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …