Sonangol quer ficar com participação indireta de Isabel dos Santos na Galp

Eneias Rodrigues / Lusa

Angola pediu a um tribunal holandês a entrega de 500 milhões de dólares de participação na petrolífera portuguesa Galp, ligada a Isabel dos Santos.

A notícia é avançada pela agência Reuters, que adianta que o governo de Angola diz que altos funcionários do ex-presidente José Eduardo dos Santos aproveitaram os altos preços do petróleo na última década para criar uma rede global de negócios que os levaram ao enriquecimento pessoal às custas do país.

Abatida pela crise económica do covid-19 e atolada em dívida externa, Angola está a tentar recuperar ativos que diz terem sido desviados.

O foco principal é Isabel dos Santos, filha do ex-presidente, uma magnata dos negócios que se tornou a mulher mais rica da África. A empresária dirigiu brevemente a petrolífera estatal Sonangol entre 2016 e 2017, quando o Governo de quatro décadas do seu pai chegou ao fim.

Isabel dos Santos negou qualquer ligação à holding no centro do caso – Exem -, que diz pertencer ao seu falecido marido, rejeitou as acusações de irregularidades e disse que enfrenta uma caça às bruxas política pela nova liderança de Angola.

A ação judicial da Sonangol deve ser ouvida na última semana de maio em Amsterdão, disse o advogado da empresa 100% estatal Emmanuel Gaillard do escritório de advocacia Shearman & Sterling. O advogado vai argumentar que a participação de Exem foi adquirida através de peculato e lavagem de dinheiro.

“É tudo corrupção… tu [Isabel dos Santos] deves-nos as ações, a participação indireta na Galp, porque é roubo. É ilegal, portanto, tem de pagar de volta”, disse Gaillard.

Os advogados da Sonangol afirmam que a venda pela Sonangol de parte da sua participação no Esperaza à Exem não fazia sentido comercialmente para Angola e foi feita para enriquecer a família.

Sob o presidente Dos Santos, a Sonangol vendeu uma participação de 40% numa holding offshore, Esperaza, para outra holding – Exem – de propriedade do marido de Isabel dos Santos, Sindika Dokolo, um empresário congolês que morreu num acidente de mergulho no ano passado.

A Esperaza, na qual a Sonangol detém uma participação de 60%, associou-se por sua vez ao império empresarial da família portuguesa Amorim para formar mais uma holding, a Amorim Energia, maior acionista da portuguesa Galp Energia com uma participação de 33,3%.

O valor da participação indireta da holding Exem na Galp flutua com os preços do petróleo e vale atualmente cerca de 500 milhões de dólares.

Uma fonte com conhecimento da posição da família Amorim, que não quis ser identificada, disse que o seu principal interlocutor na participação conjunta não era a Exem, mas a Sonangol, qualificando a parceria com a estatal de “boa e próxima”. “[O caso] não afeta essas relações, não muda nada”, disse.

 

A disputa, que está a ser ouvida em Amsterdão, já resultou numa decisão em setembro que retirou o representante de Exem do conselho de Esperaza e colocou a sua participação sob o controle de um administrador nomeado pelo tribunal.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …

Emprego, formação e pobreza. Cimeira Social marca "o mais ambicioso compromisso" da UE

A Cimeira Social arrancou, nesta sexta-feira, no Porto, com a presença de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da UE, num evento que pretende definir a agenda social da Europa para a …