/

Sócrates diz que a Justiça quis impedir a sua candidatura à Presidência da República

12

unaoc / Flickr

O ex-primeiro-ministro, José Sócrates

José Sócrates afirma que o processo judicial de que é figura central resulta do “ódio político” com o objectivo último de o impedir de se candidatar à Presidência da República.

O antigo primeiro-ministro partilhou essa ideia numa entrevista ao jornal holandês NRC, conforme transcrição do Jornal de Negócios.

Sócrates classificou a Operação Marquês, investigação judicial onde é suspeito de crimes de corrupção, branqueamento de capitais e fuga ao Fisco, como um processo “kafkiano” que resulta do “ódio político” contra si.

O ex-governante alega que se trata de uma tentativa da Justiça de impedir a sua eventual candidatura à Presidência da República, embora releve que tal “nunca fez parte da sua ambição”.

“Não há provas contra mim”, reafirma Sócrates, realçando a sua “total inocência”.

Passados cerca de 15 meses desde a sua detenção sem que tenha sido formalizada qualquer acusação contra si, o ex-primeiro-ministro releva que é “inacreditável que tal coisa seja possível em democracia”.

Assumindo os “momentos difíceis”, Sócrates garante que reserva o “estado de espírito combativo” contra os que mediatizaram a sua detenção e acusa ainda a imprensa de “conluio” com a Justiça.

Na entrevista, Sócrates também deixa críticas a Passos Coelho, que assumiu as rédeas do Governo depois da sua saída, acusando-o de ter entregue o país às autoridades europeias e de ter retirado a esperança às pessoas, forçando-as a emigrar.

Também deixa agradecimentos a António Guterres, pelo apoio que lhe terá dado e por lhe ter entregue os cumprimentos de Jean-Claude Juncker, o actual presidente da Comissão Europeia.

Finalmente, Sócrates falou do poeta francês René Char, associado aos tempos da resistência, sublinhando que o ajudou a passar os dias na prisão em Évora – um pretexto para lembrar que o PS também foi criado num ambiente de resistência, com muitos líderes socialistas detidos.

ZAP

12 Comments

  1. Coitadinhos, são todos uns mártires estes políticos!
    Criaram uma democracia personalizada e “à medida” para si mesmos, que até se revela imperfeita, porque de vez em quando ainda lhes prega uns sustos – sim sustos – porque a justiça parida por esta democracia só faz cócegas aos criminosos.
    Quanto ao cidadão comum, para esse sim, a justiça revela-se cega e impiedosa.

    • Na verdade, se de facto nunca chegar a ser formalizada nenhuma acusação contra Sócrates, se o libertaram e não o conseguirem acusar de nada – e se não conseguirem não será por falta de vontade, pois nunca vi ser humano tão perseguido e odiado como este – realmente ele também poderá dizer que a justiça para ele foi cega e impiedosa, já que passou quase um ano na cadeia sem ter cometido crime algum. Se assim for, quem lhe devolverá aquele ano de vida? Dificilmente se poderá chamar susto a isso.

      • Caro Alfredo,

        Tem razão no que disse no comentário acima, mas a democracia é isto, e este ainda teve o privilégio de ter uma cela para ele e muitas mordomias, e os outro portugueses que também são detidos sem culpa formada e depois são livres por excesso de preventiva ou inação na acusação, e outros que realmente se prova que são inocentes ( muito poucos casos ou raros, com excepção para ex-politicos, banqueiros e outros que têm dinheiro e manobram a justiça a seu belo prazer). A democracia tem destas coisas e espero nunca vir a provar….

  2. É preciso ter cá uma lata…
    Agora é o discurso da vitimização, e ainda a procissão vai no adro…
    Não sei se vai ser considerado culpado ou inocente, mas pelos vistos ele já sabe que vai ser considerado inocente, para ter um dscurso destes!!!.

  3. Não venho para aqui defender o senhor Sócrates..mas a justiça já o condenou?! Não pois não…mas pelos vistos parece que as pessoas o condenaram…enfim…povo pouco inteligente…tb os tribunais portugueses não fazem lá grande justiça!..Agora por outro lado, ele alegadamente fez porcaria no governo, alegadamente mentiu sobre o défice, para ganhar as eleições e foi o governo dele que fez com que viesse a troika para Portugal. Mas é engraçado…este senhor faz-me lembrar aqueles dos big brothers..ou das quintas das celebridades..fazem tudo para aparecer, mesmo que não tenham feito nada de jeito para o tal.. no entanto, neste caso fez mal ao país e parece que gosta de estar na ribalta…Bem.. se, depois de a senhora Maria de Belém também ter pedido ao TC as subvenções vitalícias e do povo ainda lhe ter dado quase 4%, se o Sr. Sócrates candidata-se à Presidência da República quanto teria de percentagem de votos!?!?? Era só uma curiosidade..

  4. Continuas igual a ti próprio. Nunca vais mudar. Estavas no poleiro e ja nessa altura vestidas certas personagens da Disney, tais como agora estás a vestir a do Calimero, outras vezes interpretas-te e veste a do Pinóquio, outras como agora a do Peter Pan, pensas que vives no país do NUNCA !!! Já metes nojo. Porque NO TE CALAS?

  5. Sinto vergonha de ter tido um 1º Ministro como José Sócrates em Portugal!
    A imprensa portuguesa deveria por um ponto final e nunca mais fazer notícia que incluísse esta personagem…

  6. tenho pena de quem apoia individuos deste calibre , ainda há 15 anos era um simples empregado por conta de outrem, meteu-se na politica em 15 anos consegue férias de luxo para ele e toda a comandita, filhos a estudar no estrangeiro ex mulher compra monte no alentejo , não trabalha mas recebe om ordenado de ministro e os pobres trabalhadores trabalham 40 e 50 anos e nem uma cabana, realmente este socialismo eu não quero para os meus

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE