Sindicatos unem-se contra prova de avaliação dos professores

FENPROF

(foto: FENPROF)

(foto: FENPROF)

Os sindicatos de professores decidiram esta sexta-feira, numa reunião em Coimbra, voltar a unir-se, à semelhança do que aconteceu com a greve de junho, desta vez para contestar a prova de avaliação docente.

«Decidimos convergir em todas as ações que estavam previstas, para terem ainda mais força e criar-se a mesma dinâmica da greve de professores que aconteceu em junho. O que era de um passa a ser de todos», disse à Lusa o secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, depois de terminada a reunião que decorreu esta tarde em Coimbra.

A Fenprof, a Federação Nacional de Educação (FNE) e outros sete sindicatos de menor dimensão – SINDEP, SINAPE, SEPLEU, SPLIU, SIPE, SIPPEB e ASPL – tomaram a decisão de, durante as próximas semanas, agir conjuntamente para «travar a prova».

Sublinhando que a prova de avaliação docente «não é um problema só dos professores contratados, mas de todos os professores», Mário Nogueira referiu que, numa altura em que ainda decorre o período de inscrições na avaliação de docentes, os professores deveriam aguardar o resultado das providências cautelares interpostas em tribunal, cujo resultado deve ser conhecido na próxima terça-feira, a dois dias do fim do prazo para os professores se inscreverem.

O líder da Fenprof lembrou que caso o tribunal decida a favor dos sindicatos a prova nem se deve realizar.

Se os tribunais não derem razão aos sindicatos, as estruturas representativas dos professores fazem «um apelo conjunto» para uma «grande presença» na Assembleia da República a 05 de dezembro, naquele que Mário Nogueira considerou ser um «momento extremamente importante», que é o dia em que vai decorrer a discussão e aprovação em plenário do decreto-lei da prova de avaliação docente.

Os sindicatos apelam ainda que os professores recorram aos endereços eletrónicos dos deputados da comissão parlamentar de Educação para enviar aos deputados que a integram as suas exposições justificando porque entendem que a prova não se deve realizar.

Caso a prova seja aprovada em plenário pelo deputados, os sindicatos entregam no dia 06 de dezembro, no Ministério da Educação e Ciência, os pré-avisos de greve para dia 18, data para a qual foi agendada a componente comum do exames dos professores.

Os sindicatos apelam ainda a que os professores se recusem a participar na correção e vigilância das provas e a que façam greve.

«No dia 18 esperamos que a greve tenha o impacto que teve a de junho», afirmou Mário Nogueira.

Os professores que na construção do texto da Prova de Avaliação tenham mais de dez erros de ortografia, de pontuação ou de morfologia serão classificados com zero valores nesse item, segundo o Guia da Prova divulgado na noite de quinta-feira.

A componente comum da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) será composta por 32 itens de seleção (escolha múltipla) e um «item de construção», no qual é pedido aos docentes que escrevam um texto segundo o Acordo Ortográfico atualmente em vigor com um número de palavras compreendido entre 250 e 350.

A associação dos professores contratados já considerou o guia da prova «absurdo e redutor». A Fenprof entende que se trata de «uma idiotice», e a FNE argumenta que este «vem confirmar a inutilidade da prova».

Além dos sindicatos da Fenprof e da FNE os outros sete que aderiram ao protesto são o Sindicato Nacional e Democrático dos Professores (SINDEP), o Sindicato Nacional dos Profissionais da Educação (SINAPE), o Sindicato dos Educadores e Professores Licenciados pelas Escolas Superiores de Educação e Universidades (SEPLEU), Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades (SPLIU), o Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE), o Sindicato dos Educadores e Professores do Ensino Básico (SIPPEB) e a Associação Sindical de Professores Licenciados (ASPL).

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Clarisse: dois gestos que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também para os registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …

Tribunal europeu dá razão à SIC e condena Estado por violar liberdade de expressão

Portugal foi condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) por violação da liberdade de expressão num caso em que a SIC foi obrigada a indemnizar um ex-deputado do PS por ofensa à sua …

Misturar doses da AstraZeneca e da Pfizer aumenta até seis vezes as defesas contra covid-19

Um novo estudo realizado na Coreia do Sul concluiu que o número de anticorpos contra a covid-19 aumentou seis vezes em quem misturou as doses da AstraZeneca e da Pfizer em relação a quem tomou …

Bruxelas abre infração contra Portugal por não transpor regras da UE para comércio desleal

A Comissão Europeia abriu, esta terça-feira, um procedimento de infração contra Portugal e outros 11 Estados-membros por não terem transposto regras da União Europeia (UE) que proíbem práticas comerciais desleais entre empresas na cadeia de …