Silvano nega aproveitamento de dinheiro público mas não explica “presença-fantasma” no Parlamento

PSD / Flickr

José Silvano, secretário-geral do PSD

O secretário-geral do PSD, José Silvano, rejeitou nesta terça-feira que se tenha aproveitado de dinheiros públicos, sem explicar como existe uma falsa presença sua em plenário registada no parlamento nem como a sua password foi usada por terceiros.

Em comunicado emitido “na sequência das notícias que têm vindo a público nos órgãos de comunicação social”, o deputado do PSD refere que tinha direito às senhas de presença relativas aos dias 18 e 24 de outubro, dizendo que “as mesmas são devidas legalmente caso tenha existido nesses mesmos dias presença em outras atividades parlamentares” além da sessão plenária.

“No dia 18 de outubro, assinei o livro de presenças da reunião do Grupo Parlamentar do PSD, ocorrida nessa manhã, o que confere o direito ao pagamento da senha desse dia. Quanto ao dia 24, pelas 10h00, presidi à reunião da 1ª Comissão no Parlamento, o que, só por si, conferia também direito à senha de presença respetiva”, afirma.

No entanto, no comunicado, o deputado nunca explica as discrepâncias no registo da Assembleia da República – que o dá como presente nos plenários de 18 e 24 – nem explica como outra pessoa poderá ter tido acesso à sua password, que permite aos deputados entrarem no sistema do parlamento.

“Quanto às faltas não justificadas ao plenário nos dias 18 e 24 de outubro de 2018, dirigi um requerimento ao Sr. Presidente da Assembleia da República, solicitando que fossem marcadas as respetivas faltas. Justifiquei também as razões para que tal procedimento não tivesse ainda ocorrido”, diz, sem adiantar quais foram estes motivos.

José Silvano refere ainda, num outro ponto do comunicado, “quanto ao pouco tempo passado no parlamento”, que existe “uma prática parlamentar que permite conciliar a atividade política intensa dos dirigentes nacionais dos partidos políticos, nunca descurando as questões relevantes para o país, com a atividade parlamentar quotidiana”.

“Esta prática é extensiva a todos os partidos políticos há muitos anos. Caso contrário um líder partidário nunca poderia ser deputado”, defende.

Durante o dia de ontem, e antes mesmo do comunicado emitido por Silvano, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, pediu explicações aos serviços do parlamento sobre alegadas discrepâncias nos registos de presenças do deputado, que concluem que outra pessoa terá utilizado a sua palavra-passe.

Rio mantém confiança política em Silvano

O presidente do PSD mantém a confiança política no secretário-geral do partido, José Silvano: “Claro que mantenho a confiança política”, disse Rio na passada segunda-feira.

“O caso não é agradável, como é evidente, não é um caso positivo, mas acha que ter uma proposta para o país, discutir o país, debater o país pode ser anulado pelas pequenas questiúnculas que estão constantemente a surgir neste partido e nos outros partidos. Não pode ser, temos de estar um bocadinho acima disso”

No sábado, Expresso dava conta que Silvano, de acordo com o registo oficial das sessões plenárias da Assembleia da República, não tem qualquer falta nas 13 reuniões plenárias realizadas no mês de outubro, apesar de em pelo menos um dos dias ter estado ausente, conforme o próprio secretário-geral do PSD admitiu em declarações àquele semanário.

Na tarde de 18 de outubro, o dirigente do PSD esteve no distrito de Vila Real ao lado de Rui Rio, cumprindo um programa de reuniões que teve início às 15:30 (hora do plenário). Apesar disso, nessa quinta-feira, alguém registou a presença do secretário-geral do PSD logo no início da sessão plenária, quando passavam poucos minutos das três da tarde.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. COMO FUNCIONÁRIO PÚBLICO QUE É, DEVERÁ SER SUJEITO A PROCESSO DE AVERIGUAÇÃO, POR FALSEAR REGISTOS DE PRESENÇA, O QUE IMPLICA A CUMPLICIDADE DE, PELO MENOS, UMA PESSOA; POR TER DEIXADO PASSAR O PRAZO PARA JUSTIFICAR AS AUSÊNCIAS; POR ABUSO DE PODER NAS FUNÇÕES EXERCIDAS; POR ESTAR A LESAR O ERÁRIO PÚBLICO COM FALSAS PRESENÇAS PARA BENEFICIAR DE AJUDAS DE CUSTO…

  2. Não explica porque não tem explicação, é o velho estratagema de fugir para a frente. De qualquer forma não há justificação para falcatruas com as presenças, mas há uma saída, chama-se processo disciplinar, e mais nada. Qualquer funcionário pago com o dinheiro dos contribuintes, sabe o que é isso.

  3. O Sr. Deputado, agiu mal.
    Desculpas esfarrapadas, já estou cheio.
    Rui Rio, mal, muito mal, o que tinha a fazer era o de indicar a porta de saída ao Sr. José Silvano.
    Em resumo, só as moscas mudam.
    E, de boas intenções está o inferno cheio.

  4. Vai-te embora. Assume e arruma as malas!
    Sou do PSD mas se o Rui Rio quer ser diferente então não pode pactuar com estes artistas.

  5. Este parasita sem vergonha está mesmo brincar com a Assembleia e com os portugueses!
    Hoje fez exactamente o mesmo: assinou e foi-se embora!!
    Deve pensar que é tudo dele!…

  6. Desculpem-me qualquer coisinha, mas não resisti a comentar da seguinte maneira: Porque é que o ataque em Alcochete não poderá servir de exemplo para ser aplicado a essa corja toda de políticos que nós temos!? Esses sim mereciam apanhar uns valentes tabefes e sustos para que tivessem mais respeito pelo povo que os elegeu, ou não…tenho dito e desculpem-me se ofendi alguém do povo, não foi minha intenção, garanto-vos.

RESPONDER

Museu de Nova Iorque devolve ao Egito "caixão dourado" roubado em 2011

O Museu Metropolitan (MET) de Nova Iorque vai devolver ao Egito um sarcófago roubado em 2011, durante as manifestações da chamada "Primavera Árabe", anunciou este domingo a instituição nova-iorquina. Construído em ouro para o sacerdote Nedjemankh, …

Quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos em 2050

Trinta por cento da população chinesa terá mais de 65 anos, dentro de três décadas, informou hoje um jornal chinês, ilustrando o rápido envelhecimento do país, apesar de ter abolido a política de filho único. “O …

Trump pede à Europa que julgue os seus "jihadistas" (ou os EUA terão de os libertar)

O presidente dos Estados Unidos apelou aos países europeus, nomeadamente o Reino Unido, a França e a Alemanha, para repatriarem e julgarem os seus combatentes do Estado Islâmico feitos prisioneiros na Síria. Caso contrário, aponta …

Depois de 11 mortes e 1800 condenações, franceses querem o fim dos Coletes Amarelos

A maioria dos franceses defende que devem parar os protestos nas ruas dos “coletes amarelos”, três meses após o início das primeiras manifestações que fizeram 11 vítimas mortais, noticia esta segunda-feira a agência France Presse. Uma …

Uma tese de doutoramento levou Marcelo à capa do El País

A tese de doutoramento sobre Marcelo Rebelo de Sousa é de autoria de uma professora universitária e jornalista da RTP. O tema já chegou ao jornal espanhol El País. O jornal percorre as provas de popularidade …

Seguros de saúde sobem para 2,6 milhões com crise no SNS

No primeiro semestre de 2018 o número de contratos de seguros de saúde aumentou 3%, em termos homólogos, para 2,6 milhões, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias na sua edição impressa. Os dados, da Autoridade …

PSP usa critérios étnicos para avaliar risco de bairros problemáticos

Apesar de a recolha de dados étnico-raciais não ser permitida em Portugal, a PSP utiliza ainda critérios étnicos na avaliação do grau de risco de zonas urbanas sensíveis (ZUS), avança o jornal Público esta segunda-feira. Segundo …

Pyongyang fala em “momento decisivo” em vésperas de nova cimeira com Washington

O principal diário norte-coreano, Rodong Sinmun, escreve esta segunda-feira que o país enfrenta "um momento decisivo", em termos de desenvolvimento económico, a pouco mais de uma semana da cimeira entre o líder norte-coreano e dos …

OCDE quer tribunais especiais para julgar a corrupção

Portugal precisa de fortalecer os mecanismos de prevenção da corrupção, defende a OCDE, que sugere a criação de tribunais especializados e a redução das possibilidades de recurso dos arguidos.  O retrato da análise da corrupção …

Costa "está a colocar todos os potenciais sucessores no palco”

No seu habitual espaço de comentário político semanal na SIC, Luís Marques Mendes falou sobre as recentes alterações no Governo, a moção de censura do CDS que "não faz sentido" e a "crise anunciada" da …