ESA descobriu segundo campo magnético em torno da Terra

Um trio de satélites que estão a estudar o campo magnético do nosso planeta mostrou detalhes da constante ondulação de um segundo campo magnético produzido pelas marés do oceano.

Embora os cientistas já saibam muitos pormenores sobre o campo magnético do planeta Terra, a verdade é que estamos longe de saber tudo.

A missão Swarm, da Agência Espacial Europeia (ESA), recolheu durante quatro anos dados que contribuíram para o mapeamento deste segundo campo magnético, que poderia ajudar os cientistas a construir melhores modelos em torno do aquecimento global.

Nils Olsen, físico da Universidade Técnica da Dinamarca, apresentou os resultados na reunião da União Europeia de Geociências, em Viena, e explicou a forma como os investigadores conseguiram detalhar uma presença tão fraca.

Trata-se de um “campo magnético muito pequeno, vinte mil vezes mais fraco do que o campo magnético global da Terra”, explicou Olsen à BBC.

Ambos os campos magnéticos são o resultado de um efeito gerador, produzido por partículas carregadas e derramadas num fluido. O campo magnético mais forte, que “puxa” a agulha da bússola, forma-se a partir do movimento constante da rocha fundida sob os nossos pés.

Este campo deixa também a sua marca no alinhamento de partículas embutidas na crosta terrestre, um aspeto que também foi analisado ao detalhe pelo Swarm.

ESA / Planetary Visions

O mapa mais detalhado dos minúsculos sinais magnéticos gerados pela litosfera da Terra

A ESA  divulgou também um mapa mais detalhado da impressão magnética apresentada na reunião. Contudo, foram detalhes de um outro gerador que surpreenderam a audiência: os iões dissolvidos nas águas dos oceanos também produzem um campo magnético extremamente fraco, à medida que se movimentam em correntes e marés.

Os padrões ténues criados por movimentos – como a Corrente do Golfo – são difíceis de separar do fundo do campo magnético mais forte. No entanto, o fluxo e refluxo das marés, à medida que são puxados pela Lua em órbita, produzem um impulso, que faz com que esses sinais fracos se destaquem.

Lançado em 2013, o Swarm consiste em três satélites idênticos, atualmente em órbita, encarregados de recolher dados sobre as propriedades magnéticas do nosso planeta. “Usamos o Swarm para medir os sinais magnéticos das marés da superfície do oceano até ao fundo do mar, o que nos dá uma imagem verdadeiramente global de como o oceano flui em todas as profundidades“, explica Olsen.

Visto que a água é capaz de manter uma quantidade significativa de calor, prever a capacidade do nosso planeta absorver o excesso de calor preso por quantidades crescentes de gases de efeito de estufa, depende de saber precisamente como é que as marés e as correntes se movem em três dimensões.

Saber, por exemplo, onde toda a água morna está a afundar, poderia explicar ciclos de aceleração do aquecimento global.

Será explicado como é que esse sinal magnético da maré induz uma fraca resposta magnética nas profundezas do fundo do mar e, por sua vez, esse resultado servirá para aprender mais sobre as propriedades da litosfera e do manto superior da Terra”.

Neste momento, o magma em movimento é estudado através de uma mistura de medidas de gravidade e sismologia. Encontrar padrões no “empurrar e puxar” dos dois campos magnéticos pode permitir mapear essas correntes de minerais fundidos.

ZAP // Alphr / ScienceAlert

PARTILHAR

RESPONDER

Crianças "raramente" são afetadas por sintomas prolongados da Covid-19

Apenas 4.4% das crianças que integraram o estudo manifestavam sintomas da doença quatro semanas após o diagnóstico. Investigadores encontraram uma relação entre os sintomas prolongados e a idade das crianças, já que a duração dos …

Incêndio em Loulé tem duas frentes ativas e levou 53 pessoas a sair de casa

O incêndio que deflagrou esta quarta-feira no concelho de Loulé está com duas frentes ativas em zona de mato e vegetação e já levou 53 pessoas de 30 habitações a sair de casa "por precaução", …

Desportivismo? O skate voltou a mostrar como se faz

Final da competição de parque teve mais um momento que justifica entrar nos melhores destes Jogos Olímpicos. A grande maioria dos seguidores dos Jogos Olímpicos pode estar a ver skate pela primeira vez. Nos Jogos Olímpicos …

Jovens saudáveis dos 12 aos 15 anos têm que esperar por task force para vacinação

Os adolescentes saudáveis com idades entre os 12 e os 15 anos têm de esperar pela calendarização da task force para serem vacinados contra a covid-19, não se podendo vacinar nesta fase, segundo a Direção-Geral …

Tribunal decretou insolvência da Groundforce

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa decretou esta quarta-feira a insolvência da SPdH (Groundforce), anunciou a TAP, que tinha feito um requerimento nesse sentido, no dia 10 de maio, de acordo com um comunicado. O …

"É uma questão pontual". Urgência de obstetrícia do Hospital de Setúbal encerrada por falta de médicos

A urgência de obstetrícia do Hospital de São Bernardo, em Setúbal, está encerrada desde as 09h00 desta quarta-feira, situação que se irá prolongar por 24 horas, devido à falta de médicos desta especialidade, informou à …

Mulheres checas esterilizadas ilegalmente serão indemnizadas pelo Governo

Mulheres esterilizadas sem o seu consentimento receberão uma compensação por parte do governo da República Checa, medida que deverá ser aplicada após o Presidente Milos Zeman aprovar esta semana um projeto de lei. Segundo avançou esta …

Linha de fora-de-jogo vai mudar na Premier League

Esta é uma das mudanças que vão ser implementadas, na nova temporada. Os responsáveis pela arbitragem na Premier League, aparentemente, gostaram do que viram no Europeu 2020, em relação ao vídeoárbitro: parar o jogo menos vezes, …

OMS quer adiar as doses de reforço das vacinas em países ricos por causa das desigualdades mundiais

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu esta quarta-feira uma moratória sobre as doses de reforço das vacinas contra a covid-19 para que os países pobres possam imunizar a sua população. A Organização Mundial …

Jovens saudáveis em ambientes de risco devem ser vacinados, defendem especialistas

Especialistas são contra a existência de um único critério, o das doenças pré-existentes, e defendem que deve ser criado um regime de "porta aberta" que permita a vacinação de todos os jovens entre os 12 …