Nem Montenegro, nem Moreira da Silva. Salvador Malheiro não apoia publicamente nenhuma das candidaturas

1

Manuel Fernando Araújo / Lusa

O vice-presidente do PSD, Salvador Malheiro

Salvador Malheiro, vice-presidente do PSD, reafirmou, esta quarta-feira, em Ovar, que não irá apoiar publicamente nenhum dos dois candidatos à liderança do partido.

“Eu desde a primeira hora que estou com Rui Rio e sou neste momento vice-presidente e fui vice-presidente dele desde a primeira hora. Sinto-me, naturalmente, muito corresponsável por toda a sua estratégia também”, começou por dizer Salvador Malheiro.

“É nesse contexto que eu já o afirmei publicamente e hoje reitero que publicamente não apoio nenhum dos candidatos, aliás na esteira do que aconteceu em eleições transatas”, acrescentou.

O autarca de Ovar e braço direito de Rui Rio falava num encontro com militantes promovido pela candidatura de Jorge Moreira da Silva, no âmbito da campanha para as diretas de 28 de maio, que decorreu esta noite no auditório do Orfeão de Ovar.

Perante uma plateia com cerca de 120 militantes, Salvador Malheiro disse estar “perfeitamente à vontade” nesta sessão de esclarecimento, desejando que ninguém se sinta “cortado na sua liberdade para poder exercer o seu voto como bem entender”.

O importante é que as pessoas vão votar, que não deixem que sejam os outros a decidir por nós“, vincou.

O vice-presidente do PSD realçou ainda a “coragem” e o “sentido patriótico” de Jorge Moreira da Silva para “poder avançar num momento tão complicado”, afirmando que o candidato teve uma “atitude corretíssima” para com a direção do partido.

“Esteve sempre como devia estar — naturalmente, com posições contrárias — ele pensa pela sua cabeça, mas soube estar. Colocou em primeiro lugar o partido e isso também é digno de registo“, declarou.

Salvador Malheiro deixou ainda elogios às qualidades e virtudes do candidato, lembrando a sua “imagem de marca” que foi “o combate às alterações climáticas”, considerando que isso pode ser “estranhamente importante” para conseguir ganhar a confiança dos portugueses.

Recordou ainda que Moreira da Silva foi desde a primeira hora o vice-presidente de Pedro Passos Coelho, tendo sido também escolhido por ele para gerir a sua comissão permanente e para liderar a pasta do Ambiente, quando teve de constituir Governo, pelo que “tem reconhecimento político e técnico a todos os níveis”.

“Creio que temos aqui um candidato extraordinário, mas peço-vos a todos: Decidam pela vossa cabeça. Coloquem as questões que bem entender, façamos todos um apelo aos militantes para que vão votar e, no final, temos que estar todos juntos”, concluiu.

As eleições diretas no PSD realizam-se em 28 de maio e são candidatos anunciados Jorge Moreira da Silva e o antigo líder parlamentar Luís Montenegro.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Não apoia nenhum mas diz que este é um candidato extraordinário. Antes tinha elogiado Montenegro dizendo ser um candidadto de fortes potencialidades. Afinal como ficamos? O Rioismo é isto: á deriva.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.