/

Ricciardi reage às acusações de Mortágua: “Devia ter vergonha e desaparecer”

11

José Maria Ricciardi reagiu às acusações da deputada Mariana Mortágua (BE) que nesta quinta-feira, na antena da TVI, considerou difícil que o ex-responsável, primo de Ricardo Salgado, não soubesse dos problemas do grupo BES, tendo em conta as funções que desempenhou na instituição.

Já de madrugada e em direto na SIC, Ricciardi recordou que foi “ilibado de tudo” no processo em causa, dizendo não admitir “acusações absolutamente gratuitas na televisão”.

No seu entender, as declarações de Mariana Mortágua são “chocantes”, “um conjunto de disparates”. O antigo administrador acusou ainda a parlamentar do Bloco de Esquerda de ter a “ousadia de abordar temas que não domina, visto que nem leu a acusação” deduzida e de estar a “falar como se fosse ‘dona disto tudo'”.

“[Mariana Mortágua] devia ter vergonha e (…) desaparecer de vez”, disse ainda Riccardi, pedindo à deputada que se remetesse ao silêncio e parasse de “impunemente criticar o trabalho do Ministério Público” na comunicação social.

O Ministério Público acusou na terça-feira 18 pessoas e sete empresas de vários crimes económico-financeiros no processo sobre o Banco Espírito Santo (BES) e o Grupo Espírito Santo (GES), em que a figura central é o ex-banqueiro Ricardo Salgado.

Segundo uma nota da Procuradoria Geral da República (PGR), Ricardo Salgado foi acusado de 65 crimes, incluindo associação criminosa, corrupção ativa no setor privado, burla qualificada, branqueamento de capitais e fraude fiscal, no processo BES/GES.

Em causa nesta investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) “está um valor superior a onze mil e oitocentos milhões de euros“, em consequência dos crimes imputados, e prejuízos causados.

Além de Ricardo Salgado são também arguidos neste processo, entre outros, Amílcar Morais Pires e Isabel Almeida, antigos administradores do BES.

O inquérito do processo principal “Universo Espírito Santo” teve origem numa notícia de 3 de agosto de 2014 sobre a medida de resolução do BES e analisou um conjunto de alegadas perdas sofridas por clientes das unidades bancárias Espírito Santo.

Posteriormente, foi conhecida a resolução e liquidação de inúmeras entidades pertencentes ao então GES, no Luxemburgo, na Suíça, no Dubai e no Panamá, a par do pedido de insolvência por parte de várias empresas do mesmo Grupo em Portugal.

O arguido e ex-presidente do BES Ricardo Salgado já confirmou ter sido notificado da acusação, dizendo que “não praticou qualquer crime” e que esta “falsifica a história do Banco Espírito Santo.

  ZAP // Lusa

11 Comments

  1. Este SR. que tinha a Presidência do BESI, fazia parte do Executivo. Cargo que implica um conhecimento cabal da situação Financeira de BES em geral. Quer este Sr. , hoje, afirmar que não sabia de nada, até o barco afundar ????…. Por mim custa-me acreditar, e se passou entre os pingos da chuva, foi como ???…Foi obra do Espírito Santo, ou a denunciar o DDT, foi inibido ???

  2. O Ricciardi tem toda a razão!
    Aquela fulana sempre viveu na mama no estado. Nunca fez trabalho que fosse reconhecido e valorizado por alguém que pagasse por esse mesmo trabalho. Vive antes de subvenções, de bolsas, de apoios, de subsídios e afins.
    A Mortágua tem dados concretos de alguma coisa errada? Se sim, que apresente uma queixa nos tribunais, em vez de lançar uns bitaites para o ar. Não compreendo como perde tanto tempo nos meios de comunicação social em vez de se dirigir aos tribunais com dados fundamentados, claros e objetivos.
    Ela deve estar a confundir o Ricciardi com o próprio pai. O pai dela é que assaltou bancos, penalizando os portugueses que tinham dinheiro nesses bancos. O Ricciardi, pelo contrário, insurgiu-se contra quem estava a roubar. É uma grande diferença.
    Além disso, o Mortágua participou num assalto a um paquete que terminou no homicídio de um inocente. A Mortágua já pensou como se sentiu a família desse inocente assassinado.
    O Mortágua colaborou e apoiou a tomada da Torre Bela, uma verdadeira anedota e paródia, em que o “chefe” dos revoltosos passou a dormir no quarto dos antigos senhorios e a fumar charutos, enquanto os restantes revoltosos de entretinham a embebedar-se. A Torre Bela foi um fiasco (quem diria….) e o chefe dos revoltosos fez carreira em assaltos (quem diria…). Aconselho a verem o registo que existe (felizmente) e a tirarem as vossas conclusões: https://www.youtube.com/watch?v=L6OiWT38gvk
    A Mortágua foi a responsável por um dos maiores assaltos ao povo português, impedindo que a classe mais pobre em Portugal algum dia possa vir a ter casa. Mesmo que poupe durante anos e compre casa, nunca conseguirá manter essa casa devido ao Imposto Mortágua. A Mortágua conseguiu que em Portugal a habitação própria se tornasse um luxo apenas para ricos, colocando os mais pobres numa situação desesperante.
    O pai da Mortágua e a Mortágua são uns gatunos, uns parasitas, umas nódoas. Portugal e os portugueses viviam melhor sem esta raça humanoide sem alma nem valores.
    Que esta mulher desapareça de vez, Portugal e os portugueses ficariam bem melhor.

    • Eh, eh, eh! E de que maneira!
      Só num dos casos conhecidos, levaram de uma assentada cerca de 18 milhões de euros a valores atuais. Empobreceu o povo português, enriqueceram meia-dúzia de fanfarrões.
      A Mortágua até podia condenar os actos do paizinho, mas já veio várias vezes elogiar esses comportamentos, que até apelidou de gentis, mesmo quando resultaram na morte de um inocente.
      Trabalhar é para quem não sabe roubar, e os Mortágua sabem roubar muito bem!

  3. Sr. Ricciardi, desculpe mas quer que os portugueses acreditem na teoria que o Sr. nada sabia,desculpe não faça dos Portugueses otários!Os Portugueses até podem ser brandos e às vezes até demais, mas não são idiotas!A Sra. deputada Mortágua por vezes exagera no que diz, e pode até dizer disparates, mas neste caso tenho de concordar com ela, então os Srs. querem fazer crer que nada sabiam, que foi uma surpresa,que foram apanhados desprevenidos?Pelo amor de Deus, contem outra que essa não cola, não enganem mais os Portugueses, o povo merece respeito e consideração!HAJA PACIÊNCIA!

  4. Isto vindo de um artista da maior família mafiosa de Portugal, ate é um elogio!!
    Quem há muito tempo deveria ter desaparecido da face da terra é a familia criminosa deste banqueiro – o que fizeram pelo país está à vista de todos!!

      • Ontário e não só; um verdadeiro “artista”:
        “Ricciardi tenta isentar-se de culpas na insolvência do BES apontando para ilibação noutro processo”
        Antigo gestor do BESI lembra que foi ilibado no processo-crime relativo ao universo GES para argumentar que não teve culpas na insolvência. MP e comissão liquidatária não estão convencidos.”
        Observador, 05 abr 2021

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE