//

Ricardo Salgado alega que está em situação de “insuficiência económica”

32

Mário Cruz / Lusa

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

O ex-presidente do BES argumenta que está em situação de “insuficiência económica” para contestar o perigo de perturbação de inquérito, no âmbito do processo Operação Marquês.

O Correio da Manhã teve acesso às alegações da defesa de Ricardo Salgado no âmbito do interrogatório da Operação Marquês em que foi constituído arguido. Para contrariar o perigo de perturbação de inquérito, a defesa argumenta assim que o ex-banqueiro não tem recursos económicos.

“O arguido encontra-se reformado, não ocupando, nem exercendo, quaisquer actividades profissionais ou empresariais, nem tão-pouco cargos em instituições, que possam justificar um qualquer alegado receio de influenciar ou condicionar terceiros, que suporte a alegação de um perigo de perturbação de inquérito, o qual é manifestamente inexistente”, aponta o advogado Francisco Proença de Carvalho, num documento enviado ao Ministério Público e citado pelo CM.

“Idêntica conclusão resulta da situação de insuficiência económica do arguido”, aponta ainda a defesa de Salgado, sublinhando que “mais uma vez, isto determina a impossibilidade de perturbação do inquérito”.

Salgado já tinha alegado a falta de recursos no âmbito do processo Monte Branco, onde chegou a estar preso. O juiz Carlos Alexandre começou por lhe aplicar uma caução de três milhões de euros que foi, contudo, reduzida para metade dada a tal “insuficiência económica” do ex-banqueiro.

  ZAP //

32 Comments

    • E o Sr. Alves António tem a idade do Sr. Ricardo Salgado? Mais de 70 anos? E onde trabalha? Eu tenho quase 60 e não me importava candidatar-me a uma das vagas…

    • O Sr. Alves António também tem mais de 70 anos? E onde trabalha? Eu tenho quase 60 e gostava de me candidatar a uma dessas vagas…

  1. Troco a insuficiência económica dele com a minha suficiência económica, e ainda ofereço um bónus de 10% ao advogado Proença de Carvalho se conseguir isso antes de 2018.

    • O Proença de Carvalho também lá estava na Comporta com toda a camarilha. Eles mostraram na TV mas foi há muito tempo. Agora já devem ter destruído tudo. Também lá estava o soares, o socas, esse xuxa da segurança social, entre outros da mesma estirpe. Era uma cáfila que faz favor. E os juízes que se cuidem…!!!

  2. O juiz ainda o deveria punir por total e completa falta de respeito e vergonha na cara! Merecias mesmo era um pouco de justiça popular, já que não respeitas a do Estado!

  3. Insuficiência económica que não lhe permitiu pagar 3 milhões de caução para não ser preso. Só metade. LOL
    Insuficiência relativa

  4. O advogado até é dos baratinhos, apenas se interessa pelas causas sociais e desprotegidos da sociedade.
    Manhosos!

  5. Isto é só vergonhoso. De facto vivemos num país de gatunos. Enfim, depois admiram-se que haja extremistas, que haja terrorismo, que haja crime e mortes.

  6. Eu estou pra ver onde é que ele este ano vai passar as férias do Verão. O ano passado já envolvido neste escândalo lá foi pra Comporta passar uns diazinhos. Insuficiência económica para este rapazote deve ser comer lagostim em vez de lagosta.

  7. Pena é que o MARQUÊS DE POMBAL

    não viesse cá abaixo outra vez para

    pôr tudo isto na ordem À MARQUÊS.

  8. Eu acho que lhe deviam confiscar todos os bens, inclusive a reforma e coloca-lo na casa de São João de Deus em Barcelos, aí eles tratam bem dele, dão-lhe de comer e roupa lavada.
    É fácil com a reforma dele conseguir para lá entrar.
    Fazia companhia ao irmão do Pinto da Costa

  9. Sim porque não está na cadeia onde é o seu lugar, ele e os primos, que não são inocentes ao contrário do que tentam transmitir, pois todos se alimentaram do mesmo sitio.
    Estando na cadeia não necessitaria de qualquer rendimento, pois teria comida e roupa lavada.
    Assim se prova, com este e muitos outros nomes, que a justiça neste país não funciona.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE