Restaurantes queixam-se dos clientes após invasão às esplanadas sem máscaras e pedem “mais regras”

Tiago Petinga / Lusa

Uma esplanada em Lisboa.

Uma esplanada em Lisboa.

O sol e a nova fase de desconfinamento que arrancou nesta semana levaram centenas de portugueses às esplanadas de espaços de restauração. Os empresários do setor estão preocupados com a falta de máscaras e pedem ao Governo uma clarificação das regras para evitar novo confinamento.

O presidente da associação nacional de restaurantes PRO.VAR, Daniel Serra, assume, em declarações à agência Lusa, que os empresários estão preocupados com “o uso das máscaras e com o facto de os clientes não estarem a respeitar o pedido”.

“Muitos empresários estão a pedir, que sempre que não estejam a consumir mantenham a máscara colocada”, reforça Daniel Serra, notando que é preciso fazer “uma clarificação das regras de forma urgente para que se possa evitar um retrocesso no desconfinamento“.

Daniel Serra aponta que os empresários não conseguem impor o uso da máscara e, por isso, esperam que o Governo faça alguma coisa.

“Os empresários estão com o coração nas mãos porque não conseguem impor essa questão e muitos clientes quase de forma inconsciente acabam por incumprir”, sublinha.

O dirigente da PRO.VAR afirma ainda que “um terço dos estabelecimentos estão a operar e dois terços estão a aguardar por dia 19 de Abril e 3 de Maio para poderem voltar à normalidade”. Assim, conclui que há “uma preocupação de forma generalizada” com um eventual retrocesso no processo de desconfinamento.

“Seria catastrófico voltar a confinar”

A PRO.VAR quer que “os estabelecimentos da restauração tenham a obrigatoriedade de ter uma indicação das regras covid nos estabelecimentos e isso não existe”. “É mais fácil para o empresário fazer cumprir se estiver afixado”, destaca Daniel Serra.

“Estamos a falar do ponto de vista também de concorrência: se for uma obrigação todos têm de cumprir da mesma forma, não há concorrência desleal. Uns cumprem, outros não e as coisas não funcionam”, explica ainda.

Segundo Daniel Serra, deviam ser afixadas indicações importantes como a lotação, “regras básicas” do uso da máscara e da desinfeção das mãos.

“Os empresários pedem que haja um equilíbrio entre o controlo da pandemia e a economia. Não queremos aqui voltar a uma situação anterior. São 13 meses de enorme dificuldade que o setor está a enfrentar e seria catastrófico voltar a confinar“, destaca ainda.

No âmbito da segunda fase de desconfinamento por causa da pandemia de covid-19, que arrancou na segunda-feira, os restaurantes, pastelarias e cafés com esplanada reabriram, mas com grupos limitados a um máximo de quatro pessoas por mesa, encerrando às 22h30 de segunda a sexta e às 13 horas ao fim de semana.

A decisão de avançar com a segunda fase do plano do Governo foi tomada na sexta-feira em Conselho de Ministros, depois de analisada a situação da pandemia em Portugal, em especial o índice de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 e a taxa de incidência de novos casos de covid-19.

Nesta segunda fase de desconfinamento reabriram também os ginásios, mas ainda sem aulas de grupo, e os alunos dos 2.º e 3.º ciclos retomaram as aulas presenciais.

A pandemia de covid-19 já provocou 16.887 mortes em 824.368 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

16 COMENTÁRIOS

  1. Estes restaurantes, que têm assim tanto medo, porque não ficam fechados? talvez até de vez fosse o melhor.

    • Que comentário tão poucochinho e egoísta. Tudo se resolve se houver o mínimo de civismo, que pelo seu comentário é perceptível que não sabe o que isso é. Continue a desrespeitar e a fazer pouco de quem cumpre e tenta fazer cumprir e depois venha para aqui chorar muito admirado de termos sido todos recambiados para casa e que o governo é autoritário e coiso e tal. Juízo, senhor.

    • Subscrevo inteiramente o comentário resposta do Telmo ao Magno Casimiro.
      Enquanto não aprendermos que o significado de Liberdade tem também a ver com o respeito pelos outros ( civismo ), não vamos conseguir ultrapassar esta Pandemia. Às vezes parece que, esta malta só cumpre as regras quando tem as Autoridades Policiais em cima deles ! Que raio de adultos são estes ?

      • Mas vamos lá ver se atinamos com as medidas !!!
        Não é obrigatório que as mesas na explanada tenham um max de 4 pessoas e estejam a 2 metros de distancia entre clientes?
        Não diz a OMS que isso é o necessário para ter segurança?

        Assim sendo o uso de mascara quando sentado não aporta nenhuma mais valia, só porque alguns tem medo da própria sombra não significa que os outro tenham falta de civismo.

        Eu se vou a uma explanada comer e tomar um cafe, quero estar tranquilo não quero estar na dança da mascara, a baixar a mascara para beber a cerveja ou o café como se estivesse a tomar ás escondidas.
        Se isso trouxesse mais segurança aos outros ainda vá que não vá, agora sendo completamente redundante, não faz sentido e acusar-me de falta de civismo e respeito pelos outros parece-me de extremos.

        Parece-me que alguns querem ser mais papistas que o papa e infelizmente acabamos todos por levar por tabela ás custas de meia dúzia que faz barulho, pessoalmente se realmente vira moda a estupidez eu passo ao lado e fico na varanda de casa, depois venham os restaurantes queixarem-se que as pessoas estão com medo e não tem clientes e que assim não conseguem sobreviver.

        O mais infeliz disto tudo é que as medidas são tomadas sem qualquer nexo e depois acontece como em Espanha que a lei obrigava a que na praia, mesmo estando na agua aos mergulhos, tinham de estar com mascara. Aqui vamos pelo mesmo caminho.

  2. Culpa da Minisrtra da Saúde que não sabe o que fazer. As Lojas de roupa estão encerradas e representam menos riscos do que centenas de pessoas nas esplanadas, sem consumirem e a falar uns para os outros sem mascaras.
    Nota-se nitidamente que nao estao a consumir nada e estão sem máscaras.

  3. Onde está a fiscalização? Fiscalização em ação; em caso de incumprimento fazer uso da lei.

    O não cumprimento terá um custo: 4a vaga! — espero que os Portugueses que não têm consciência comecem a obedecer às regras (nem se preocupam consigo nem com os outros).

    Claro que depois irão surgir notícias a referir que o “Governo” foi o culpado: foi/será? Então e os Portugueses? Qual é a desculpa para não cumprirem a lei?

  4. O Magno Casimiro e o Certo com os seus criminosos comentários, demonstram aquilo que verdadeiramente são, uns irresponsáveis que não têm o mínimo de noção das coisas e que fariam muito melhor se ficassem quietos. Deixem-nos viver melhor e desapareçam da circulação.

  5. Mais grave era a situação dos portugueses que já estavam a morrer por falta de esplanadas, assim muitos irão sobreviver a esta catástrofe!

  6. Quem tem medo, e quem não quer deixar margem à responsabilização individual, não pode gerir estes espaços sociais. O melhor é manter-se fechado e esperar eternamente pelo desaparecimento do vírus.
    Também os clientes deverão escolher os locais onde são bem vindos e não causar perturbação a certos Empresários pusilânimes.

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …