“Continua a pairar perigosamente”. Relógio do Juízo Final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo “Relógio do Juízo Final”, que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite.

O relógio, que é uma imagem figurada em que a meia-noite representa o “Juízo Final”, converteu-se num indicador universalmente reconhecido da vulnerabilidade do mundo às ações do Homem e ao avanço da tecnologia para fins que podem levar à destruição.

Nesta quarta-feira, o Boletim dos Cientistas Atómicos, responsáveis por por definir as oscilações da ponteiro do relógio, revelarem que este vai manter-se na mesma posição do ano passado: a 100 segundos da meia noite.

No início de 2020, ainda antes da pandemia, o relógio sofreu um empurrão “pessimista”, passado de dois minutos até à meia noite para a 100 segundos até à mesma hora.

Os cientistas referiram que a decisão de manter inalterado o relógio foi tomada em plena pandemia de SARS-COV-2, sublinhando, citados pelo jornal The Independent, que o novo coronavírus não só matou e fez adoecer milhões de pessoas em todo o mundo, como também revelou o “quão despreparados e relutantes estão os países e o sistema internacional para lidar com as emergências globais de uma forma adequada”.

Os cientistas recordaram as ameaças “contínuas” relacionadas com as alterações climáticas e o desenvolvimento de armas nucleares que parecem ser cada vez mais perigosas, alertando ainda para o perigo da desinformação online.

No entender dos cientistas, a pandemia funcionou com uma espécie de alerta para a problemática das fake news e das teorias da conspiração: “Em 2020, mentir online matou literalmente [pessoas]”, escreveram os cientistas.

Os responsáveis do Boletim dos Cientistas Atómicos reconheceram vários pontos positivos alcançados recentemente, como os decretos assinados pelo recém-empossado Presidente-norte-americano Joe Bide, mas disseram que não houve progresso suficiente para evitar ameaças existências à Humanidade e, por isso, não foi possível atrasar o relógio.

“O Relógio do Juízo Final continua a pairar perigosamente, lembrando-nos de quanto trabalho é necessário para afastar os ponteiros da meia-noite”, disse Rachel Bronson, presidente do Boletim dos Cientistas Atómicos, citado pela emissora NBC News.

O “Relógio do Apocalipse” foi criado em meados de 1947 pela artista norte-americana Martyl Langsdorf, visando representar o grau de ameaça nuclear, ambiental e tecnológica à humanidade. À época, o relógio marcava 23h50, a dez minutos da meia noite que simboliza a ameaça máxima, o tempo de catástrofe nuclear.

Desde que foi criado, o relógio já foi ajustado 18 vezes.

A vez em que esteve mais perto da meia-noite foi em 1953, quando os Estados Unidos e a então União Soviética estavam a desenvolver a bomba de hidrogénio. Por outro lado, em 1991, as mudanças políticas na Europa de Leste permitiram que os ponteiros fossem afastados da meia-noite para os 17 minutos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Inútil já que é impossível prever qualquer catástrofe tanto humana quanto climática / natural. Para mim, apenas uma tentativa fútil de alerta. Nem obra de arte eu considero isso.

  2. o Mundo antes de 1991 estava mais preparado Para Tudo, o Estado de Alerta constante da Guerra Fria,Era Util em muitas situaçoes ,se esta Pandemia fosse na Altura ,ja estaria controlada a bastante Tempo

RESPONDER

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …

Para eliminar "veneração do Ocidente", China quer retirar livros de Bill Gates e Steve Jobs das listas de leitura

Este mês, as autoridades chinesas ordenaram que os livros "que veneram as ideias ocidentais" e "abraçam todas as coisas estrangeiras" fossem removidos das listas de leitura e das bibliotecas nas escolas primárias e secundárias.  De acordo …

De Ronaldo a Félix. Seleção pode perder oito jogadores com a Superliga

Se a Superliga Europeia avançar, assim como as ameaças da UEFA, a seleção das quinas poderia ficar sem oito jogadores, tendo em conta a última convocatória para os jogos de qualificação para o ​​​​​​​Mundial 2022. A …