Rambo Luso. Há um português a viver na selva venezuelana há 25 anos

Yefferson Suárez / Lusa

António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima

Há 25 anos que o português António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima, leste da Venezuela, onde é conhecido pelos indígenas locais como o Rambo lusitano.

“Tudo começou há anos, quando morei no Parque Nacional Canaima, na selva, durante dois anos, com os nativos. Desde há 25 anos que faço expedições à selva. Adoro a selva, o mato, os animais e os indígenas nativos”, conta António Pestana Drumond à Lusa.

Nascido em Curaçau, de onde depois emigrou para o Porto Santo e a Madeira, o português explicou que inicialmente tratavam-no como Indiana Jones Luso, depois Tarzan e agora Rambo. “Vão-me mudando o nome, mas é pela paixão que tenho pela natureza”.

Pestana conta que começou por promover o turismo tradicional para a ilha venezuelana de Margarita, a nordeste de Caracas, porque não queria fazer o que todos fazem ao chegar à Venezuela: “vender doces e bolachas pelo país“.

Naquela altura, estavam à procura de pessoas que falassem português, inglês, espanhol e italiano, que pudessem ir viver para a selva e fazer viagens diárias para o arquipélago de Los Roques e outros destinos.

Já fiz muitas expedições e todas deixaram uma marca especial. Já fiz expedições para a National Geographic, para televisões de outros países do mundo, Espanha, Portugal, mas a que mais me marcou foi ser guia de pessoas cegas”, relata António Drumond.

Yefferson Suárez / Lusa

A região de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional é “o Vietname da Venezuela”

“Foi uma maneira de vencer algo que não era tão fácil, trabalhar em turismo com cegos. De facto éramos 30 guias a receber formação e apenas ficámos cinco”.

O Rambo Luso sublinha que acabou por se apaixonar pelo que fazia, “por morar na selva, nas praias virgens das Caraíbas, da Venezuela, e ter contacto com os nativos” e que, disse, é algo que leva “no coração”.

Nós chamamos-lhe o Vietname da Venezuela. Está entre os dez maiores deltas do mundo. É talvez um dos mais bonitos, e nele vive uma etnia especial que são os waraos. Tem bonitas paisagens e o rio Orinoco que proporciona uma experiência incrível, a sensação de mergulhar nas águas do rio, nadar com as piranhas, poder comer o que eles comem e fazer caminhadas na selva”, descreveu.

Yefferson Suárez / Lusa

O ‘Rambo’ lusitano no Delta Amacuro, Venezuela

Segundo o português, os warao, ou “homens da canoa”, são uma comunidade indígena que cultiva pequenas hortas junto das suas casas, feitas de folhas de palmeira, de onde extraem o “Ocumo chinês”, também chamado de Ocumo do Delta, uma espécie de batata, que é um dos principais ingredientes da gastronomia local, a par do peixe, que constitui a base da alimentação destes nativos.

Os waraos comem “uma larva que é uma fonte de proteína muito importante e que é conhecida como o ‘viagra’ da selva”. “Aqui nós aprendemos a comer as formigas, o palmito, coração da palmeira”, exemplifica António Drumond.

Para os warao, as canoas são como as bicicletas ou os triciclos para os portugueses: usam-nas desde meninos, porque é o que lhes permite sair das cabanas e ir a qualquer lado.

Yefferson Suárez / Lusa

Para os warao, as canoas são como as bicicletas para os portugueses

Todos deveriam conhecer as belezas da selva venezuelanas, diz António Drumond. Para o Rambo Luso, “o Delta Amacuro é o destino mais exótico da Venezuela“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estivadores do Porto de Lisboa iniciam greve de três semanas

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam, esta quarta-feira, uma greve de três semanas em protesto contra os salários em atraso e incumprimento dos acordos celebrados por parte da Associação de Empresas de Trabalho Portuário …

Michael Vang. Passou despercebido por Portugal, mas carrega os sonhos de toda uma etnia

Michael Vang é dos pouquíssimos jogadores de origem Hmong a jogar futebol profissionalmente. Agora nos Estados Unidos, o jovem teve uma passagem apagada por Portugal. Os Hmong são um grupo étnico asiático originário das regiões montanhosas …

Há pessoas sem a parte olfativa do cérebro que conseguem cheirar (e cientistas não sabem porquê)

Cientistas encontraram casos em que as pessoas não tinham bulbo olfativo, a parte do cérebro responsável pelo olfato, mas mesmo assim conseguiam cheirar. Anosmia consiste na perda total ou parcial do olfato e esta é uma …

Cientistas detetam estranhos movimentos de gás na Via Láctea (em redor de algo "invisível")

Os astrónomos detetaram movimentos de nuvens de gás incomuns perto do centro da Via Láctea, que podem sugerir a presença de um desconhecido buraco negro de classe intermediária. Os investigadores que rastrearam os gases no centro …

Hackers podem facilmente piratear satélites (e transformá-los em armas)

Piratear satélites pode não ser assim tão complicado quanto pensamos. Os hackers podem simplesmente desligá-los ou até mesmo usá-los como armas. No mês passado, a SpaceX tornou-se a operadora da maior constelação de satélites ativos do …

Gelo a cair num buraco faz barulhos estranhos (e parece uma batalha de lasers)

Alguma vez pensou o que se ouve quando deixamos cair gelo num buraco gelado profundo? Já não precisamos de pensar mais - e já podemos ouvir. O vídeo do pedaço de gelo a cair num buraco …

Tribunal recusa exumar corpo. Rosa Grilo conhece sentença a 3 de março

A leitura do acórdão no processo do homicídio do triatleta ficou agendada, esta terça-feira, para o dia 3 de março. De acordo com o Diário de Notícias, a defesa de Rosa Grilo pediu a exumação do …

Revelados documentos que provam a investigação de OVNIs por parte do Pentágono

Documentos recentemente divulgados mostram que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (EUA) financiou estudos sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNI's), contradizendo declarações recentes do Pentágono. Em 2017, o New York Times revelou a existência de …

"Nem sei onde é Alcochete". Pinto da Costa ouvido como testemunha de Bruno de Carvalho

O presidente do FC Porto foi ouvido, esta terça-feira, como uma das testemunhas do ex-dirigente leonino no julgamento da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, que está a decorrer no tribunal de Monsanto, em …

A nova obra de Banksy só durou dois dias

A nova obra do artista britânico Banksy, que apareceu na véspera do Dia dos Namorados em Bristol, foi coberta por um grafite cor-de-rosa dois dias depois. A imagem de uma menina a atirar flores vermelhas com uma …