Rahaf barricou-se num hotel na Tailândia com medo da família e para não ser deportada

Rahaf Mohammed está barricada num quarto de hotel, na Tailândia, e recusa-se a sair. A jovem saudita de 18 anos garante que fugiu da Arábia Saudita por ser vítima de abusos por parte dos próprios familiares. 

Rahaf Mohammed, uma saudita de 18 anos, diz ter fugido da família com medo de ser morta, e barricou-se no seu quarto de hotel num aeroporto de Banguecoque. Sem um visto para permanecer no país, as autoridades tailandesas querem deportar Rahaf para o Kuwait, onde a sua família se encontra.

Segundo o Expresso, a jovem recusou-se a embarcar num voo para a cidade do Kuwait esta segunda-feira, apesar de ter sido pressionada pelos funcionários da imigração que estão no exterior do quarto.

“A minha família e a embaixada saudita vão estar à minha espera no Kuwait. Eles vão matar-me. A minha vida está em perigo. A minha família ameaça matar-me pelas coisas mais triviais”, disse Rahaf à Reuters.

Rahaf teme pela sua própria segurança. À CNN, a jovem afirmou que o objetivo era voar para a Austrália, mas acabou por ficar na Tailândia. Quando chegou ao aeroporto encontrou um grupo de diplomatas sauditas à espera e decidiu trancar-se num quarto do hotel.

A jovem acabou por colocar móveis e um colchão a barricar a entrada do quarto para impedir a entrada da polícia.

Esta segunda-feira de manhã, as autoridades voltaram a bater à porta do quarto onde se encontra a jovem, mas a saudita voltou a mostrar-se intransigente e não abriu as portas do quarto. Através das redes sociais tem publicado diversos pedidos de ajuda dirigidos às Nações Unidas.

A Human Rights Watch (HRW) e outros grupos de defesa dos direitos humanos expressaram preocupação com o bem-estar da suadita.

O diretor adjunto da HRW para a Ásia, Phil Robertson, escreveu no Twitter que “o voo KU412 deixou Banguecoque sem Rahaf a bordo, o que representa uma importante vitória para ela e para a sua coragem. Ela pede que o ACNUR [Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados] seja autorizado a vê-la mas, até agora, a Tailândia não concordou”.

Melissa Fleming, da plataforma Refuges, garantiu que um grupo desta organização que ajuda refugiados está no aeroporto para tentar intermediar a situação e ajudar Rahaf. No Twitter são diversas as pessoas que mostram a solidariedade com a jovem saudita.

“As mulheres sauditas que fogem das suas famílias podem enfrentar violência severa de familiares, privação de liberdade e outros danos sérios se forem devolvidas contra a sua vontade”, afirmou Michael Page, da HRW, citado pelo Expresso.

Para permanecer no país, Rahf Mohammed necessita de ter um bilhete de ida e volta (para ficar por 15 dias), um visto turístico ou um pedido de asilo aceite pelas autoridades tailandesas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Para combater o desperdício, China acaba com os banquetes tradicionais

Conhecidos pela gastronomia e pelo bom apetite, os chineses terão de adotar a austeridade, invertendo a tradição, que exige que sejam servidos à mesa tantos pratos quantos forem os convidados e mais um. A nova regra …

Com apenas 4 dólares é possível dormir na última Blockbuster. E ainda participa na festa pijama

Já sente saudades de sair de casa para ir alugar um filme e comprar umas pipocas? A última loja da icónica Blockbuster está agora disponível no Airbnb. A antiga loja da cadeia americana pode ser …

Espanha com quase mais 3.000 novos casos. É o maior aumento desde maio

Espanha registou o maior número de infeções de covid-19 desde o final de maio, com 2.935 novos casos nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde, ressalvando que o balanço inclui dados de Madrid …

Escolas devem reabrir normalmente. Governo preparado para decisões diferentes

As escolas devem reabrir em situação de normalidade e só uma evolução negativa da pandemia levará a decisões contrárias, de maior ou menor alcance, que o Governo disse esta quinta-feira estar preparado para tomar. Na conferência …

Família de ativista saudita teme que esteja a ser torturada na prisão

Familiares de uma importante ativista dos direitos das mulheres da Arábia Saudita, detida desde maio de 2018, temem que esteja a ser torturada na prisão, uma vez que não dá notícias há vários meses. Loujain al-Hathloul, …

Governo disponível para retomar reuniões no Infarmed (mas nega falta de informação)

O Governo manifestou esta quinta-feira “abertura para retomar as reuniões” no Infarmed sobre o ponto de situação da epidemia de covid-19, mas rejeitou falhas na informação ao parlamento e aos partidos. Na conferência de imprensa do …

Israel e Emirados Árabes Unidos alcançam "acordo histórico" mediado pelos Estados Unidos

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira que Israel e os Emirados Árabes Unidos concordaram em estabelecer relações diplomáticas plenas, como parte de um acordo para impedir a anexação israelita de terras ocupadas pelos …

Em contingência, Câmaras de Lisboa passam a definir horários do comércio. O (pouco) que muda este sábado

A generalidade de Portugal continental continuará em situação de alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em situação de contingência até ao final do mês devido à pandemia de covid-19, anunciou o Governo. Segundo explicou esta …

Três meses depois do anúncio, o apoio de emergência às Artes ainda não chegou

Cinquenta das 311 entidades abrangidas pela Linha de Apoio de Emergência às Artes, dotada de 1,7 milhões, ainda não tinham esta quinta-feira recebido o valor que lhes foi atribuído, três meses depois do anúncio dos …

Avaliação dos professores, "mock exams" e testes no outono. Britânicos podem "escolher" as próprias notas

O Governo britânico deu aos estudantes de liceu três alternativas diferentes para obterem o resultado das suas avaliações deste ano letivo, que foi atípico devido à pandemia de covid-19. De acordo com o jornal britânico The …