É o quinto sábado de protestos dos “Coletes Amarelos”. Já há mais de 80 detidos

Sebastien Nogier / EPA

Mais de 80 pessoas foram detidas, este sábado, em Paris, para impedir incidentes violentos nas manifestações dos “coletes amarelos”, que decorrem pelo quinto sábado consecutivo.

Até às 10h30 horas locais (09h30 horas em Portugal continental) tinham sido detidas 43 pessoas em Paris e outras 17 pessoas nos arredores da capital francesa, de acordo com o Jornal de Notícias. As atualizações da imprensa francesa apontam agora para mais de 80 pessoas detidas.

Este é o quinto sábado consecutivo de protestos em França, apesar das novas medidas anunciadas por Emmanuel Macron, como o aumento do salário mínimo.

No último sábado, às primeiras horas da manhã, as forças de segurança tinham detido pelo menos 278 pessoas por fazerem parte de grupos suscetíveis de protagonizar atos violentos ou por estarem na posse de objetos que poderiam ser utilizados para esse fim. As manifestações envolveram cerca de 125 mil pessoas em todo o país e 10 mil na capital.

Os Campos Elísios são o epicentro dos protestos, onde as autoridades mantêm um amplo dispositivo de segurança que inclui registos de quem quer aceder à avenida. Todas as linhas de metro da zona foram cortadas e as linhas de autocarro desviadas. Para enfrentar o risco de violência estão mobilizados oito mil agentes policiais e 14 veículos blindados na capital.

Tal como na semana passada, diversos monumentos, museus e mercados parisienses encerrarão as suas portas como medida de segurança, como o Arco de Triunfo, o Panteão, a Sainte-Chapelle e o Museu de Arte Moderno.

Desta vez estarão abertos outros pontos turísticos, como a Torre Eiffel, o Museu do Louvre, a Ópera da Bastilha o Museu do Homem e os grandes armazéns – os Lafayette e os BHV.

Apelo à calma ignorado

Ignorando o apelo feito na sexta-feira por Macron, segundo quem o país “precisa de calma, de ordem, de retomar o funcionamento normal” e “o diálogo não se faz com a ocupação do espaço público e com a violência”, os “coletes amarelos”, mobilizados há um mês contra a política governamental para exigir mais justiça social, convocaram para este sábado novas concentrações em Paris.

“Este é precisamente o momento em que não devemos ceder, devemos continuar”, instou na quinta-feira um dos iniciadores do movimento, Eric Drouet, num vídeo na rede social Facebook. “O que Macron fez na segunda-feira é um apelo para que continuemos, porque ele está a começar a ceder alguma coisa e, vindo dele, isso é invulgar”, acrescentou.

Após quatro sábados de mobilização, três dos quais marcados por graves distúrbios e violência, que deixaram o Governo em dificuldades, alguns defendem agora um apaziguamento.

Após o atentado terrorista de terça-feira à noite em Estrasburgo, que fez quatro mortos e 12 feridos, houve também diversos apelos para que a contestação social fosse suspensa enquanto decorria a caça ao homem. Mas, como o autor do ataque, Chérif Chekatt, foi abatido na quinta-feira pela polícia, esse argumento deixou de se aplicar.

Seis pessoas morreram e centenas ficaram feridas durante os bloqueios de ruas e manifestações realizados desde 17 de novembro. Segundo a Amnistia Internacional, 1.407 foram feridas durante os protestos, 46 das quais com gravidade, e 717 foram agentes da polícia, da guarda e bombeiros.

MC,ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

PJ investiga ameaças a 3 deputadas, à SOS Racismo e aos familiares. “Têm 48 horas para sair de Portugal”

A Polícia Judiciária está a investigar um e-mail enviado a um grupo de dez pessoas em que é dado um prazo de 24 horas para que as mesmas abandonem "território nacional" em 48 horas e …

Área Metropolitana de Lisboa em contingência até ao fim de agosto

O Governo vai manter a Área Metropolitana de Lisboa (AML) em situação de contingência até ao final de agosto, apurou o jornal Observador junto do Executivo socialista liderado por António Costa. De acordo com o …

Sindicato vai processar Ryanair por assédio laboral e discriminação

O Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) vai processar a Ryanair por assédio laboral e discriminação, exigindo a restituição de créditos laborais, após a resolução de contratos por justa causa, disse …

Em Itália, preparar o regresso às escolas inclui serras afiadas

Itália, o primeiro epicentro de covid-19 fora da China, usou um regime agressivo de testes e uso de máscaras para conter uma segunda vaga no país. Agora, as escolas estão a preparar-se para receber, no …

Marcelo promulga Estatuto do Antigo Combatente e veta alterações ao direito de petição

O Presidente da República promulgou o novo Estatuto do Antigo Combatente, aprovado por larga maioria no parlamento em 23 de julho, desejando tratar-se de “o início de um caminho” e não “o seu termo”. Em nota …

O céu de Wuhan iluminou-se com 400 drones para homenagear a população

O céu de Wuhan, cidade chinesa onde se pensa ter surgido o novo coronavírus, em dezembro de 2019, foi iluminado, este domingo, com 400 drones para homenagear os habitantes. De acordo com o vídeo da CGTN, …

Vila do Conde revela que tem 173 casos ativos no concelho

A Câmara de Vila do Conde, do distrito do Porto, revelou esta quarta-feira que existem 173 casos ativos de covid-19 no concelho e que já está em marcha um plano de apoio à população, assim …

Descarrilamento de comboio na Escócia faz pelo menos três mortos

Três pessoas morreram e seis ficaram feridas em consequência do descarrilamento de um comboio de passageiros na Escócia, anunciou a polícia escocesa, citada pela agência Lusa. O acidente ocorreu 160 quilómetros a nordeste de Edimburgo. Numa primeira …

Temido garante que "não haverá exceções" para o Avante (e pede cautela com vacina russa)

A ministra da Saúde defendeu esta quarta-feira que a lotação da Festa do Avante!, organizada pelo PCP, terá este ano que ser inferior à capacidade máxima de 100 mil pessoas do recinto no Seixal, por …

Trump pondera impedir entrada de residentes suspeitos de exposição à covid-19

A Administração norte-americana está a ponderar barrar a reentrada no país a cidadãos norte-americanos ou residentes legais suspeitos de terem sido expostos ao novo coronavírus. De acordo com o Jornal Económico, que cita o jornal New …