É o quinto sábado de protestos dos “Coletes Amarelos”. Já há mais de 80 detidos

Sebastien Nogier / EPA

Mais de 80 pessoas foram detidas, este sábado, em Paris, para impedir incidentes violentos nas manifestações dos “coletes amarelos”, que decorrem pelo quinto sábado consecutivo.

Até às 10h30 horas locais (09h30 horas em Portugal continental) tinham sido detidas 43 pessoas em Paris e outras 17 pessoas nos arredores da capital francesa, de acordo com o Jornal de Notícias. As atualizações da imprensa francesa apontam agora para mais de 80 pessoas detidas.

Este é o quinto sábado consecutivo de protestos em França, apesar das novas medidas anunciadas por Emmanuel Macron, como o aumento do salário mínimo.

No último sábado, às primeiras horas da manhã, as forças de segurança tinham detido pelo menos 278 pessoas por fazerem parte de grupos suscetíveis de protagonizar atos violentos ou por estarem na posse de objetos que poderiam ser utilizados para esse fim. As manifestações envolveram cerca de 125 mil pessoas em todo o país e 10 mil na capital.

Os Campos Elísios são o epicentro dos protestos, onde as autoridades mantêm um amplo dispositivo de segurança que inclui registos de quem quer aceder à avenida. Todas as linhas de metro da zona foram cortadas e as linhas de autocarro desviadas. Para enfrentar o risco de violência estão mobilizados oito mil agentes policiais e 14 veículos blindados na capital.

Tal como na semana passada, diversos monumentos, museus e mercados parisienses encerrarão as suas portas como medida de segurança, como o Arco de Triunfo, o Panteão, a Sainte-Chapelle e o Museu de Arte Moderno.

Desta vez estarão abertos outros pontos turísticos, como a Torre Eiffel, o Museu do Louvre, a Ópera da Bastilha o Museu do Homem e os grandes armazéns – os Lafayette e os BHV.

Apelo à calma ignorado

Ignorando o apelo feito na sexta-feira por Macron, segundo quem o país “precisa de calma, de ordem, de retomar o funcionamento normal” e “o diálogo não se faz com a ocupação do espaço público e com a violência”, os “coletes amarelos”, mobilizados há um mês contra a política governamental para exigir mais justiça social, convocaram para este sábado novas concentrações em Paris.

“Este é precisamente o momento em que não devemos ceder, devemos continuar”, instou na quinta-feira um dos iniciadores do movimento, Eric Drouet, num vídeo na rede social Facebook. “O que Macron fez na segunda-feira é um apelo para que continuemos, porque ele está a começar a ceder alguma coisa e, vindo dele, isso é invulgar”, acrescentou.

Após quatro sábados de mobilização, três dos quais marcados por graves distúrbios e violência, que deixaram o Governo em dificuldades, alguns defendem agora um apaziguamento.

Após o atentado terrorista de terça-feira à noite em Estrasburgo, que fez quatro mortos e 12 feridos, houve também diversos apelos para que a contestação social fosse suspensa enquanto decorria a caça ao homem. Mas, como o autor do ataque, Chérif Chekatt, foi abatido na quinta-feira pela polícia, esse argumento deixou de se aplicar.

Seis pessoas morreram e centenas ficaram feridas durante os bloqueios de ruas e manifestações realizados desde 17 de novembro. Segundo a Amnistia Internacional, 1.407 foram feridas durante os protestos, 46 das quais com gravidade, e 717 foram agentes da polícia, da guarda e bombeiros.

Maria Campos MC,ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo dá sete milhões às escolas para compra de material de proteção

O Ministério da Educação disponibilizou cerca de sete milhões de euros para as escolas comprarem máscaras e outros materiais e equipamentos de proteção individual contra a covid-19. Concretamente no que respeita às máscaras, o Ministério da …

Internamentos voltam a descer. Portugal regista 949 novos casos e 28 mortes

Portugal registou esta sexta-feira 949 novos casos de infeção por covid-19 e mais 28 mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde, nas …

Papa inicia hoje visita ao Iraque como "peregrino da paz"

O Papa Francisco inicia hoje uma visita de quatro dias ao Iraque, a primeira de um papa a um país muçulmano de maioria xiita, numa missão em que se apresenta como "peregrino da paz". "Venho como …

Novo Banco. Carlos Costa pede para ser ouvido por videoconferência devido à sua idade e saúde

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, pediu à comissão de inquérito sobre o Novo Banco para ser ouvido remotamente, por videoconferência, devido à sua idade e fragilidades de saúde, segundo informação enviada …

O futuro dos 28 arguidos da Operação Marquês já está traçado

O futuro dos 28 arguidos da Operação Marquês, incluindo o do antigo primeiro-ministro José Sócrates e o do banqueiro Ricardo Salgado, está decidido. Uma fonte judicial adiantou ao Expresso que só o juiz Ivo Rosa conhece …

Portugal "não está livre de uma quarta vaga" de contágios quando desconfinar

Na quarta-feira, Graça Freitas admitiu que Portugal pode voltar a enfrentar uma nova vaga da pandemia de covid-19 nos próximos meses. O epidemiologista Manuel Carmo Gomes repete o alerta da diretora-geral da Saúde. Portugal pode enfrentar …

PCP propõe estender moratórias por seis meses. BE quer ouvir Centeno

O PCP quer estender as moratórias bancárias, que vão terminar dentro de algumas semanas, por seis meses. O Bloco de Esquerda entregou um requerimento, com carácter de urgência, para ouvir o Governador do Banco de …

Plano de desconfinamento tem várias velocidades, mas não tem datas

O primeiro esboço do plano de desconfinamento já chegou a São Bento e será apresentado na reunião do Infarmed, marcada para a próxima segunda-feira. A equipa de peritos - liderada por Óscar Felgueiras, da ARS/Norte, e …

A Islândia foi atingida por 17 mil terramotos na semana passada (e uma erupção pode estar iminente)

Mesmo para uma ilha vulcânica acostumada a tremores ocasionais, esta foi uma semana incomum para a Islândia. De acordo com o Escritório Meteorológico da Islândia, cerca de 17 mil terramotos atingiram a região sudoeste de …

Átomo extinto revela segredos da infância do Sistema Solar

Usando o átomo extinto nióbio-92, uma equipa de investigadores da ETH Zurich, na Suíça, conseguiu explicar eventos do início do sistema solar com a maior precisão de sempre. Se um átomo de um elemento químico tiver um …