FMI alerta para risco de queda abrupta dos preços das casas nos próximos três anos

O crescimento mais lento dos preços, a sobrevalorização dos imóveis e o excesso de crédito concedido podem contribuir para uma queda abrupta dos preços das casas nos próximos três anos.

A rápida subida dos preços das casas nos últimos anos pode levar ao colapso dos mercados imobiliários e a uma descida abrupta dos preços nos próximos três anos, alerta o Fundo Monetário Internacional (FMI), no relatório semestral sobre a estabilidade financeira global, publicado esta quinta-feira.

O FMI avisa que a sobrevalorização dos imóveis e o aumento excessivo dos créditos concedidos podem vir a prejudicar a banca e a economia mundial, como aconteceu durante a crise financeira de 2008. Para evitar este cenário, a instituição acredita que as política macroprudenciais e as políticas monetárias podem ter um papel importante.

“Um aperto nas políticas macroprudenciais está associado a uma redução dos riscos negativos sobre os preços das casas”, escreve o FMI no relatório.

Isto aplica-se, sobretudo, a políticas destinadas a reforçar a resiliência dos mutuários (aqueles que pedem o empréstimo), nomeadamente através do aumento da taxa de esforço (rácio entre o montante da prestação mensal e o rendimento do cliente) e dos limites máximos do rácio entre o montante do empréstimo e o valor do imóvel dado como garantia.

Apesar de Portugal não surgir neste relatório, a rápida subida dos preços neste setor é bem conhecida. Aliás, no ano passado, o FMI já tinha alertado para o risco de sinais de desequilíbrios relevantes no setor imobiliário em Portugal, nota a Renascença.

Luís Lima, presidente da Associação Nacional das Empresas de Mediação Imobiliária, disse à rádio que estes riscos decorrem da escalada de preços das casas nos grandes centros urbanos, não escondendo a existência de alguns perigos no setor português.

Por sua vez, António Frias Marques, presidente da Associação Nacional de Proprietários, também ouvido pela Renascença, refere que Portugal não está à beira de uma bolha, “Portugal está à beira de uma explosão“.

“Tal como estamos a pagar os prejuízos de operações que nunca deviam ter sido feitas pelos bancos, é evidente que na altura vamos ser convocados para pagar este tipo de prejuízos”, remata.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Sabe-se muito bem que actualmente a esmagadora maioria das casas está a ser vendida bem acima do valor real.
    Bom para quem vende, uma asneira para quem compra (por diversas razões…)!

  2. O FMI, como todas as entidades financeiras que já andam nisto há tempos, sabe que se quer dar um aviso e não quer ficar com a responsabilidade de ter provocado o descalabro, deve sempre dar os “avisos” com um horizonte temporal bastante alargado. Portanto, se eles falam em três anos quer na realidade dizer um ano. Preparem-se para a bomba

RESPONDER

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …

Christine Lagarde foi conselheira de duas empresas sediadas em paraísos fiscais

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) desde outubro, foi conselheira de duas filiais da empresa de advocacia Baker & McKenzie (BM) entre 2003 e 2005, ambas sediadas em países considerados à data paraísos …