Quebra-gelo americano a caminho da Antártida para ajudar

Um quebra-gelo norte-americano partiu este domingo rumo à Antártida para ajudar a libertar um navio chinês e um russo, presos no gelo, após o resgate, esta semana, de 52 passageiros encurralados desde o Natal.

O “Polar Star”, quebra-gelo da guarda costeira dos Estados Unidos, respondeu ao pedido de auxílio ao navio russo “Akademik Shokalskiy“, que se encontra imobilizado desde 24 de dezembro, a cerca de 100 quilómetros a leste da base francesa Dumont d’Urville, feito pelas autoridades australianas.

O Polar Star vai também tentar libertar, o quebra-gelo chinês “Xue Long” (Snow Dragon), navio a partir do qual foram resgatados, através de helicóptero, os passageiros do navio russo, numa operação realizada na quinta-feira.

O “Xue Long” acabou por ficar encurralado, com a China a prometer envidar “todos os esforços” na assistência ao navio, cercado por gelo de até quatro metros de espessura, que se encontra “bloqueado” a 21 quilómetros de mar aberto, de acordo com a agência Xinhua, que tem jornalistas a bordo.

As plataformas de gelo flutuantes e o posicionamento, em constante mudança, de um icebergue tornam perigosas quaisquer tentativas de evacuação. Contudo, uma ‘janela’ poder-se-á abrir na segunda-feira.

“As previsões meteorológicas e o estado do próprio gelo apontam para a possibilidade de se verificarem condições favoráveis na segunda-feira, com ventos passíveis de afastar o gelo, proporcionando uma boa oportunidade para que o ‘Xue Long’ sair”, disse o responsável pelos programas chineses na Antártida, Qu Tanzhou, citado pelo jornal China Daily.

Se tal não for possível e se outros planos de resgate fracassarem, fazendo com que o navio fique encalhado “por um longo período de tempo — o que é, de facto, muito raro –, então teremos de proceder à retirada das pessoas que se encontram a bordo e deixar o navio lá”, acrescentou Qu Tanzhou.

A missão do “Xue Long” — a 30.ª da China no continente gelado — que inclui a construção de uma nova base de investigação e de outro local de inspeção para uma gama variada de pesquisas científicas, vai ter agora de ser revista, disse.

O “Polar Star”, que deixou os Estados Unidos no início de dezembro, para abrir um canal para os navios que abastecem a estação científica norte-americana de MacMurdo, zarpou este domingo da cidade australiana de Sydney, com material e provisões, indicou a Autoridade de Segurança Marítima australiana.

O navio, de 122 metros, com capacidade para ‘rachar’ gelo de até 1,8 metros de espessura a uma velocidade de três nós (cerca de 5 km/hora) e até seis metros, caso use outras manobras, deverá demorar uma semana a alcançar a zona.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"50 sombras" da Idade Média. Páginas censuradas de um livro francês encontradas nos EUA

As páginas de um romance medieval foram descobertas nos arquivos da Diocese de Worcester, no estado norte-americano de Massachusetts.  Investigadores descobriram uma versão perdida de um romance medieval, que contém cenas eróticas. O poema francês - …

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …

Cientistas observaram pela primeira vez porcos a usar ferramentas

Uma equipa de cientistas registou pela primeira vez uma família de javalis das Visayas, num jardim zoológico em Paris, a usar paus para cavar e construir ninhos. Os porcos não gostam só de chafurdar na lama …