Quase 300 escolas no país precisam de “obras significativas”

Eduardo Cabrita afirmou que há 294 escolas do 2º e 3º ciclos e do ensino secundário que “carecem de obras de dimensão significativa”. 

O número foi avançado esta quarta-feira pelo ministro da Administração interna, Eduardo Cabrita, numa audição no Parlamento, e representa um quarto do número total de estabelecimentos escolares (1.167) que o Governo se prepara para transferir para a gestão autárquica, no âmbito do processo de descentralização de competências que se encontra em curso.

De acordo com o Diário de Notícias, esta transferência vai também envolver os 45.245 funcionários destas escolas, deixando de fora os professores, que vão continuar sob a alçada do Ministério da Educação.

Os números adiantados esta quarta-feira são uma atualização dos dados apurados num estudo promovido pela secretaria de Estado das Autarquias Locais, no ano passado, que estimava a transferência de 996 escolas e 43.262 funcionários não docentes, bem como de uma verba estimada então em 797 milhões de euros. O estudo não aprestava dados quanto ao estado de conservação dos estabelecimentos.

O decreto do Executivo que determina a transferência de competências na área da Educação atribuía às câmaras municipais, numa fase inicial, a responsabilidade pelas obras – uma decisão que foi contestada pelas autarquias, que afirmaram que só aceitariam esta situação se o Estado central transferisse verbas extraordinárias para a realização de obras.

Segundo o DN, as responsabilidades pelas obras de maior dimensão acabou por permanecer na esfera do Estado central.

Desta forma, com a descentralização na área da Educação, as autarquias passam a ser proprietárias dos edifícios escolares, e cabe-lhes assegurar a gestão e a manutenção dos equipamentos ao 2º e 3º ciclos e ao ensino secundário. O pré-escolar e ensino básico estão já sob alçada municipal. As autarquias receberão uma verba de 20 mil euros por cada estabelecimento.

Além disso, os municípios tornam-se na entidade patronal de todo o pessoal não docente e, neste âmbito, cabe-lhes a responsabilidade de contratação de novos funcionários. Fora da tutela autárquica ficam os professores, que continuam afetos ao Estado central através do Ministério da Educação.

O processo de descentralização nesta área está, atualmente, numa fase preliminar de auscultação de autarquias. Até dia 31 de junho, os municípios decidem se querem assumir as novas competências já no ano letivo 2019/2020. Para já, o processo é optativo, tornando-se definitivo em 2021.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Este ano não há São João nem Santo António. Festas populares canceladas em Lisboa e Porto

As Câmaras Municipais de Lisboa e do Porto resolveram cancelar as festividades de Santo António e de são João, respectivamente, por causa da pandemia de Covid-19. As marchas populares só voltam no próximo ano, com …

Sem ajudas do Governo, "não sei se os grandes vão continuar a ser grandes"

"É complicado encontrar soluções", assume o presidente do Marítimo numa altura em que o futebol está parado por causa da pandemia de Covid-19. A situação é "aflitiva" para muitos clubes, diz Carlos Pereira que acredita …

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …