“Se Putin utilizar armas nucleares, morre. E ele não quer morrer”

12

EPA/KONSTANTIN ZAVRAZHIN / SPUTNIK / KREMLIN POOL

Vladimir Putin

Revelada a “verdade” sobre as ameaças nucleares do presidente da Rússia, na perspectiva do especialista Andrey Piontkovsky.

Vladimir Putin terá feito muita gente “tremer” – a começar por milhões de russos – quando anunciou uma “mobilização militar parcial” para a guerra na Ucrânia e, sobretudo, porque deixou um aviso.

“Se tivermos de o fazer para defender o nosso território, utilizaremos todos os meios que temos à disposição. Repito: todos os meios que temos à disposição“, afirmou o presidente da Rússia.

As reacções foram diversas e quase imediatas: os russos começaram a fugir da Rússia e o Ocidente anunciou reforço do apoio à Ucrânia, com destaque para as palavras de Liz Truss.

A primeira-ministra do Reino Unido foi clara: “Neste momento crítico do conflito, prometo que iremos manter ou aumentar o nosso apoio militar à Ucrânia pelo tempo que for necessário. Só vamos ficar descansados quando a Ucrânia triunfar“.

Quando Putin disse que as forças armadas russas podem utilizar “todos os meios que temos à disposição”, reforçou-se globalmente a ideia: pode vir aí guerra nuclear.

Mas, se a guerra nuclear avança, a Ucrânia vai mesmo triunfar. Porque Vladimir Putin vai morrer.

Andrey Piontkovsky, cientista e analista político e especialista em assuntos relacionados com a Rússia, é directo, no seu artigo publicado no The Spectator.

A explicação é simples: se a Rússia atacar com armas nucleares, todas (ou quase todas) as outras grandes potências militares vão responder com armas nucleares. Atacando a Rússia.

O presidente da Rússia acredita mesmo que tem armas nucleares superiores às dos membros da NATO. Mas “é possível que tenha sido enganado pelos bandidos que o forçaram a gastar biliões de dólares no desenvolvimento de armas nucleares novas, totalmente desnecessárias”, de acordo com o antigo opositor do Kremlin.

Putin estava convencido de que, com ameaça nuclear, o Ocidente ficaria com medo e recuaria. Mas a resistência – a começar pela Ucrânia – tem sido bem maior do que o presidente previu.

Boris Johnson, quando ainda era primeiro-ministro, lembrou que o Reino Unido também é uma potência nuclear. E, se a Rússia agisse nesse sentido, os britânicos iriam fazer o mesmo.

Dos Estados Unidos da América também chegou o aviso, por parte do ministro da Defesa e do chefe do Estado-Maior: Putin não pense que o Ocidente vai ficar assustado com as suas ameaças.

Numa guerra nuclear ninguém venceria totalmente, porque haveria danos imensos em todas as partes envolvidas. Mas a resposta do Ocidente seria destrutiva para a Rússia e afectaria o próprio Vladimir Putin.

“Por outras palavras: se Putin utilizasse armas nucleares, seria morto“, resume Andrey.

Porque “ameaçar Putin com a sua própria vida funciona. Ele não é um mártir disposto a morrer pelo seu grande ideal. Quando ele disse: ‘todos vão acabar com isto e nós vamos para o paraíso’, ele não tem intenção de ir para o paraíso. Ele acredita nessas ameaças” do Ocidente.

  ZAP //

12 Comments

  1. Conversa estúpida. É evidente que a Rússia não tem a menor intenção de usar armas nucleares, e muito menos na Ucrânia. Mas se armas nucleares vierem a ser utilizadas – provavelmente por iniciativa americana, dado que os EUA são o único país que utilizou armas atómicas até hoje – quem morre não é Putin, são uns largos milhões de americanos, inclusive a maioria dos seus governantes.

      • Ele (sr Cardoso da Silva) nem sabe quem é! Mostrou que nem sabe o que diz. Patético. Probrezinho.
        A comunistopatia no seu melhor. Ou será no seu pior?

    • O amigo não percebe mesmo nada de nada. Obviamente que se há lugar onde elas podem vir a ser utilizadas é precisamente na Ucrânia. Se as coisas continuarem a correr mal e o Putin ficar de vez entre a espada e a parede, isso pode acontecer. Serão as tais armas nucleares táticas.
      Quanto às bombas atómicas usadas pelos EUA na WWII, também revela não conhecer ou compreender a história. O Japão não iria capitular. Para a guerra ser terminada muitos japoneses teriam necessariamente de morrer. O fanatismo e a dedicação à pátria era de tal forma que os seus soldados raramente se rendiam. Imagine o que seria necessário para derrotar um país nestas condições. As bombas mataram muita gente mas pouparam a vida a muito mais.

  2. Analista? Sério.?Putin não quer saber se vai morrer. Ele não vai é ser confrontado e humilhado e deixar ficar assim. Ele vai sim usar infelizmente do poder nuclear. E esses analistas que sugerem e enfatizam, quando isso acontecer, já era um ocidente. E se conseguirem depois disso matar o Putin! Sério depois de morrerem milhões e outros tantos ou mas estarem já na fila só pelos efeitos, a satisfação de um analista é que ele não quer morrer. Ele vai mas depois de tu e outros idiotas como tu publicarem essa treta.

  3. Que artigo mais estúpido, a propaganda do “meu lado” está a perder imaginação. E os russos têm razão… Mais, vão resolver a guerra nos próximos meses, depois será apenas guerra ao terrorismo ucraniano até o seu regime cair de maduro!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.