Procuradora dos “Cinco de Central Park” deixa de lecionar Direito após série da Netflix

Netflix

Elizabeth Lederer, a procuradora principal do caso dos “Cinco de Central Park”, que resultou na condenação injusta de jovens negros e latinos por violação, disse que vai deixar de lecionar Direito na Universidade de Columbia, nos EUA.

A decisão de Lederer surge na sequência da nova mini-série da Netlix, When They See Us, que recorda o caso no qual cinco jovens – Antron McCray, Kevin Richardson, Yusef Salaam, Raymond Santana Jr. e Korey Wise – foram acusados de espancar brutalmente e violar Trisha Meili, uma mulher branca que corria no parque nova-iorquino em abril de 1989.

Apesar de não haver qualquer prova de ADN, impressões digitais, sangue ou sémen no corpo da vítima ou no local do crime que ligasse os jovens norte-americanos ao ataque, os cinco acabaram por ser condenados, tendo passando entre seis a 13 anos na prisão.

Treze anos depois, em 2002, Matias Reyes, que estava já associado a outros crimes com um modus operandi semelhante ao que ocorreu no Central Park, confessou ser o verdadeiro e único responsável pelo crime de Meili. A justiça de Nova Iorque acabou por absolver os cinco, atribuindo-lhes uma indemnização total de 41 milhões de euros.

“Dada a natureza da recente notoriedade gerada pelo retrato da Netflix sobre o caso de Central Park é melhor para mim não renovar a minha candidatura a professora”, indica Elizabeth Lederer, num comunicado da universidade, citado pelo The New York Times.

A diretora da Universidade de Direito da Columbia, Gillian Lester, considerou que a mini-série “reacendeu uma dolorosa – e vital – conversa nacional sobre raça, identidade e justiça criminal”, num e-mail enviado aos alunos no qual confirmava a saída de Lederer.

A associação Black College Students de Columbia divulgou também uma carta através das redes sociais, na qual critica a “inação do estabelecimento de ensino face a pedidos anteriores para afastar Lederer e exigiu um treinamento anti-racismo para professores.

“O poderoso filme de Ava Duvernay esclareceu os detalhes de uma história que alguns de nós conhecem muito bem (…) Pedimos que a Universidade de Direto de Columbia entre em ação e, ao fazê-lo, demonstre o seu compromisso com o treinamento e a formação de advogados que irão impactar a vida das pessoas e afetar as suas comunidades”.

A decisão de Lederer surge depois do afastamento da editora e escritora norte-americana Linda Faristein, que na altura liderava a unidade de crimes sexuais na procuradoria distrital de Manhattan e participou no caso dos “Cinco de Central Park”. Fairstein demitiu-se também dos vários cargos em ONGs, segundo escreve o El País.

A mini-série, que estreou no fim de abril, retrata um dos crimes mais chocante e impactantes da década de 90 nos Estados Unidos. Na época, o atual Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comprou anúncios em jornais nos quais pedia o regresso da condenação de pena de morte no estado de Nova Iorque para o grupo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …

Farmácias em risco de não ter vacinas da gripe para tantos pedidos

As farmácias privadas receiam não ter doses suficientes de vacina contra a gripe para dar resposta a todos os pedidos. As encomendas da vacina já sãocinco vezes mais do que as registadas em 2019. A preocupação …

É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e …

Restrições a turistas suavizadas. Finlândia tenta salvar a Lapónia (e a época de inverno)

A Finlândia, que vê o turismo estrangeiro em perigo na Lapónia, permite a partir de hoje a entrada de turistas de cerca de vinte países sem terem de fazer quarentena. As medidas surgem numa altura em …

"Foi uma vergonha". PS em choque com saída de Jamila e com o poder de Temido

A saída de Jamila Madeira do cargo de secretária de Estado Adjunta e da Saúde, a pedido da ministra Marta Temido, deixou alguns socialistas "arrepiados" e há um desconforto interno com a situação. É mais …