Primeiro aniversário dos Coletes Amarelos. França receia novos tumultos

Etienne Laurent / EPA

O clima de tensão regressa a França, com os coletes amarelos a anunciarem a preparação de novas ações para assinalar o primeiro aniversário do início do movimento.

A 17 de novembro, o movimento Coletes Amarelos assinala o seu primeiro aniversário. Dois dos seus líderes adiantaram ao Expresso que estão a preparar ações “especiais” e a agitação vai começar já este fim de semana.

Além disso, algumas das principais centrais sindicais francesas anunciaram manifestações e greves “ilimitadas” a partir da primeira semana de dezembro. Nestas ações deverão participar os Coletes Amarelos.

Os dirigentes Jérôme Rodrigues e Priscilla Ludosky adiantaram ao semanário que o movimento estará presente nas manifestações sindicais. “Não estamos com os sindicatos, mas com as pessoas, vamos participar porque tudo piora e o povo vive com dificuldades cada vez maiores.”

Estão a ser contestados diplomas como a reforma do sistema das pensões – com que o Governo pretende avançar para um regime único e universal que acabe com nichos especiais, por exemplo nos caminhos de ferro – e a nova proposta governamental sobre desemprego, que reduz os direitos dos desempregados aos subsídios.

Com estas medidas, Emmanuel Macron, Presidente francês, pretende reequilibrar o défice do Estado de modo a cumprir os tratados da União Europeia. No entanto, para os manifestantes, ambas as medidas reforçam a ideia de que “este é um poder que só pensa nos ricos”.

“O direito ao subsídio de desemprego faz parte das nossas reivindicações. Mas não somos apenas um bando de desempregados, somos algo muito mais vasto que transformou em profundidade toda a sociedade francesa, nomeadamente no domínio da solidariedade”, explicam ao Expresso.

Há dias, Priscilla, Jérôme e outros dois outros líderes dos Coletes Amarelos escreveram uma carta a Macron na qual lhe propunham uma reunião para discutir as reivindicações do movimento. “Não somos um bando de selvagens!”, disse Jérôme ao diário, adiantando que listas dos Coletes poderão concorrer às eleições municipais francesas do próximo ano.

“Escrevemos e enviámos a carta ao Presidente e à comunicação social, mas ele não respondeu.” Segundo Priscilla, os Coletes Amarelos estão preparados para “comemorar dignamente o aniversário” e regressar às ruas.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A democracia terminou em França, o presidente Macron deve estar pregado e colado na cadeira do poder que nem com guerra civil pretende abandonar.

RESPONDER

Rússia quer ultrapassar Tom Cruise e ser a primeira a gravar um filme no Espaço

O ator Tom Cruise quer rodar um filme no Espaço, mas a Rússia quer ser a primeira, de acordo com um comunicado da agência espacial Roscosmos. Os Estados Unidos e a Rússia são, novamente, os protagonistas …

Os animais perdem o medo dos predadores depois de contactarem com o Homem

Uma nova investigação concluiu que os animais selvagens perdem rapidamente o medo dos seus predadores depois de entrarem em contacto com o Homem. A maioria dos animais selvagens, como é o caso dos leões, exibe …

Há mais 884 casos confirmados e oito óbitos por covid-19 em Portugal

De acordo com o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista, este sábado, mais oito óbitos e 884 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Assim, Portugal contabiliza, desde o início da …

Negros norte-americanos estão a comprar armas em valores recorde

O número de afro-americanos a comprar armas aumentou drasticamente. Em causa, estará uma resposta ao agravar das tensões sociais no país devido ao movimento Black Lives Matter. Nos Estados Unidos, os protestos do movimento Black Lives …

Sporting paga 5 milhões e "rouba" Bruno Tabata ao Braga

O Sporting conseguiu 'roubar' Bruno Tabata ao Sporting de Braga. O extremo do Portimonense assina pelos 'leões' num contrato válido por cinco temporadas. Bruno Tabata está a caminho do Sporting CP, avança este sábado o jornal …

Há (pelo menos) 16 escolas com casos de covid-19, mas não há dados oficiais

Nem o Ministério da Educação, nem a Direcção Geral de Saúde (DGS) revelam o número de casos de covid-19 nas escolas, depois da reabertura do ano lectivo. Mesmo sem dados oficiais, é possível contabilizar, pelo …

Deixar Bilbau não dá bom resultado (lembra-se da grande equipa de Bielsa?)

Javi Martínez tenta contrariar a tendência dos seus antigos companheiros de equipa no famoso Atlético de Bilbau, que só aceita no seu plantel futebolistas nascidos no País Basco ou com ascendência familiar basca. Javi Martínez, herói …

Tatuagens racistas, saias curtas, cabelos e bigodes estranhos proibidos na PSP

Os polícias que tenham tatuagens com símbolos, palavras ou desenhos de natureza partidária, extremista, racista ou que incentivem à violência têm seis meses para as remover, de acordo com novas normas da PSP que também …

Republicação das caricaturas de Maomé foi o motivo do ataque junto ao Charlie Hebdo

A republicação das caricaturas de Maomé terá estado na origem do ataque junto ao edifício da antiga redação do jornal satírico Charlie Hebdo, confessou o principal suspeito. Quatro pessoas foram esta sexta-feira feridas, duas das quais …

Segunda vaga pode matar menos (mesmo com novos casos a disparar)

Os especialistas acreditam que a segunda vaga de covid-19 em Portugal vai ser menos letal, embora o número de novos casos diários possa vir a ser "muito elevado". Isto porque temos a lição mais bem …