Presidente da República considera “plausível” aprovação do próximo OE

Kiko Huesca / EPA

Marcelo Rebelo de Sousa discursa no Parlamento espanhol

Numa conferência sobre os desafios de Portugal para a próxima década, em Cascais, organizada pelo movimento cívico Portugal XXI, Marcelo Rebelo de Sousa apontou a estabilidade e a durabilidade da atual solução de Governo – apoiado no parlamento por acordos à esquerda – como o primeiro desafio dos últimos anos.

“Foi vencida no que respeita à aprovação de três sucessivos Orçamentos do Estado, é plausível que seja vencida com a aprovação do quarto orçamento, assim permitindo chegar ao final da legislatura”, afirmou.

Apontando que dentro de um ano o país iniciará um ciclo eleitoral – com europeias, legislativas e regionais da Madeira -, o chefe de Estado deixou um reparo: “Olhando para a realidade portuguesa, dir-se-ia que a campanha eleitoral já começou. Nada que não tivesse previsto ou temido uns meses atrás”, sublinhou.

Entre os desafios para a próxima legislatura, Marcelo Rebelo de Sousa incluiu os temas sociais, como a saúde e a educação, a coesão territorial e deixou um alerta sobre um eventual processo de regionalização, depois de um acordo entre PS e PSD circunscrito à transferência de competência para os municípios.

“Estamos perante uma primeira fase da descentralização ou municipalização, ficando para a segunda fase a questão da regionalização, questão de experiência feita complexa, pressupõe saber o que se quer regionalizar, como se quer regionalizar os meios alocáveis, o estatuto orgânico e depois o procedimento”, disse.

Neste ponto, o chefe de Estado lembrou que a Constituição “tem um procedimento” – prevê a realização de um referendo – e que “alterar esse procedimento implicaria uma prévia revisão constitucional”.

Na sua intervenção, de cerca de 45 minutos, o Presidente da República revisitou os alertas que tem feito sobre o perigo de aparecimento de populismos em Portugal e alertou que estes vêm muitas vezes de fora da política, numa referência que parece aplicar-se ao momento que se tem vivido em Portugal no desporto e em particular no futebol.

“Virão de fenómenos de insegurança e de medo, virão de sensações de debilidade das instituições, virão de problemas de radicalismo de debate ou de prática em áreas que são socialmente muito relevantes e têm muito peso e que muitas vezes se cruzam com o sistema político”, afirmou, alertando que “é fácil haver uma importação para o sistema político de lideranças populistas e fenómenos xenófobos”.

O chefe de Estado defendeu, neste campo, ser necessária uma atuação rápida e preventiva, para que não se entre “num debate fulanizado, pessoalizado, em que as instituições vão a reboque dessa fulanização”.

“Eu tenho por vezes a sensação de que há alguns sinais disso na sociedade portuguesa, pode ser que esteja enganado, mas foi assim que começou noutras sociedades”, avisou.

Marcelo Rebelo de Sousa fez também questão de incluir nesta reflexão sobre os principais desafios do país a sua leitura dos poderes presidenciais, que defende só poderem variar “no estilo”.

“Não se espere, pois, a mínima abertura a apelos sebastiânicos intoleráveis em democracia, nem a presidencialismos incompatíveis com o sistema vigente”, afirmou, dizendo estranhar que alguns fiquem “irritados” com esta sua visão conservadora e em que não defende qualquer expansão dos poderes presidenciais.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “compete ao Presidente da República não fazer nada que ultrapasse um milímetro que seja as fronteiras constitucionais”, tal como lhe compete “não deixar de fazer nada que dentro dessas fronteiras e até ao limite dessas fronteiras sinta ser seu dever fazer”.

“Quanto ao mais, que é estilo, sabem que prefiro prevenir a remediar, intervir atempadamente a silenciar, estabilizar em vez de suscitar crises e assumir a suprema responsabilidade porquanto de extrema gravidade revele impotência reiterada de autoridade do Estado”, disse.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O monumento mais alto do cemitério de Nova Orleães conta uma história de vingança e mesquinhez

Com 24 metros de altura, o Monumento Moriarty é o mais alto no cemitério Metairie de Nova Orleães, nos Estados Unidos. A sua construção conta uma história de mesquinhez: o memorial foi uma desculpa para …

FBI detém membro de um dos mais perigosos e lucrativos grupos de hackers

O FBI deteve recentemente um alegado membro de um dos mais temidos grupos de piratas informáticos do mundo, conhecido como Fin7. O grupo é suspeito de ataques informáticos que levaram a uma receita ilícita estimada em …

Artista gráfico faz reconstrução facial de Henrique VII de Inglaterra

Um artista gráfico fez uma reconstrução ultrarrealista de Henrique VII, Rei de Inglaterra entre 1485 e 1509. De acordo com o site Live Science, Matt Loughrey produziu a imagem de Henrique VII a partir da sua …

Marcelo promulga diploma que permite festa do Avante! (mas deixa recados ao Governo)

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma do parlamento sobre proibição de festivais e espetáculos de natureza análoga até 30 de setembro devido à covid-19, mas com reparos sobre "a garantia do princípio …

Governo italiano vai contratar 60 mil pessoas para vigiar distanciamento social

O Governo italiano vai contratar "assistentes cívicos" para garantir que os cidadãos cumprem o distanciamento social. Depois de mais de dois meses confinados nas suas casas para conter a propagação do coronavírus, os italianos começaram a …

Rio volta a admitir que PSD viabilize Orçamento Suplementar do Governo

O presidente do PSD afirmou hoje que viabilizará ao Governo uma proposta de Orçamento Suplementar, "como tudo indica que é", que proceda à adaptação de medidas a tomar até ao final do ano para o …

J.K. Rowling anuncia novo livro infantil a ser publicado gratuitamente online

A escritora britânica J.K. Rowling, autora da saga "Harry Potter", vai publicar um novo livro infantil, intitulado "The Ickabog", um conto de fadas que será disponibilizado 'online', gratuitamente e em formato de série, a partir …

Empresa portuguesa cria cabine que faz desinfeção total em 25 segundos

A Starmodular, uma empresa com sede em Belmonte, distrito de Castelo Branco, criou um sistema destinado a espaços abertos ao público que permite a desinfeção total em 25 segundos para evitar a propagação da Covid-19, …

TAP duramente criticada por marginalização do Norte. Rio fala em "empresa regional"

Rui Rio foi apenas uma das várias vozes que criticaram o novo plano de voo da TAP, em que a maioria das ligações repostas são de Lisboa. Marcelo Rebelo de Sousa também demonstrou a sua …

Teatros e cinemas podem reabrir, mas com um lugar de intervalo

Teatros, salas de espetáculos e cinemas podem reabrir com todas as filas ocupadas e um lugar de intervalo entre os espetadores, que serão obrigados a usar máscara. Teatros, salas de espetáculos e cinemas podem reabrir, a …