Presidente da COP21 apresenta esboço de acordo do clima

Laurent Fabius, ministro dos Negócios Estrangeiros da França (foto: Cyclotron / Wikimedia)

Laurent Fabius, ministro dos Negócios Estrangeiros da França (foto: Cyclotron / Wikimedia)

O presidente da Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21), o ministro dos Negócios Estrangeiros francês Laurent Fabius, apresentou esta quarta-feira o primeiro esboço do acordo sobre a redução de emissões de gases de efeito de estufa (GEE), elaborado pelos 14 ministros que moderam as negociações.

Fabius reconheceu que o esboço continua a não resolver os três principais pontos de discórdia da negociação, que são a diferenciação entre países ricos e pobres no que diz respeito a assumir responsabilidades de redução de emissões, a ambição do futuro acordo e a transferência financeira para a mitigação e adaptação às alterações climáticas, nos países em desenvolvimento.

“Temos feito progressos, mas ainda falta muito trabalho nas próximas 48 horas”, disse o presidente da COP21 sobre o texto do acordo que, desde sábado, passou de 48 para 29 páginas, das quais 14 se relacionam ao acordo em si e 15 a uma decisão que o viabiliza.

“Em vários pontos estamos quase no final dos nossos esforços graças ao trabalho das partes”, disse Fabius.

O ministro francês destacou que “este não é o texto final” e convocou uma reunião plenária às 19h, para que as diferentes partes da negociação possam comentar o primeiro esboço elaborado pelos ministros.

O texto reflete os compromissos que estão a surgir na reta final da negociação e, para Fabius, agora é necessário concentrar-se “nas principais perguntas sem resposta”.

Nesta fase do trabalho, as questões em aberto são as mesmas do início da negociação e, com isso, o documento ainda não está fechado no que toca a que países terão responsabilidades obrigatórias de redução de emissões de GEE, bem como de financiamento da adaptação nos países em desenvolvimento.

“Devemos ter duas longas noites de trabalho”, reconheceu Laurent Fabius. Ele espera ter, esta sexta-feira de manhã, “um acordo legalmente vinculativo, ambicioso e equilibrado” para ser aprovado na parte da tarde.

O ministro francês terminou a sua intervenção no plenário da COP21 com uma frase muito repetida nas negociações: “nada está de todo decidido até que se decida“.

Representantes de 195 países participam da Conferência do Clima, em Paris, prevista para terminar esta sexta-feira. O objetivo é chegar a um acordo que reduza as emissões de gases de efeito de estufa, principais responsáveis pelas mudanças do clima que levaram à ocorrência mais frequente de fenómenos extremos, como ondas de calor, secas ou cheias, e a elevação do nível do mar.

ZAP / Agência Brasil

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Aquecimento global?
    Será que discutem o projecto HAARP? Ou não interessa.

    https://pt.wikipedia.org/wiki/High_Frequency_Active_Auroral_Research_Program

    As cimeiras do ambiente servem para: – Desde que pagues podes poluir! – As grandes alterações climáticas devem-se à alteração da inclinação do eixo terrestre fenómeno observado de 11.000 em 1.000 anos – Precessão -.
    Se não acabem com os motores a derivados do petróleo, acabem com água com gás e refrigerantes carbonados – não acabaram com as tintas com CFC ?
    Há industrias com que não se brinca…………

RESPONDER

Líder do PCP diz que problemas do país "não se resolvem com dramatizações"

O secretário-geral do PCP defendeu, este sábado, que os problemas do país "não se resolvem com dramatizações ou com o agigantar de dificuldades sobre o futuro", numa crítica ao Governo. Num discurso de quase 30 minutos …

Marcelo fez o que podia para prevenir crise política. Agora, fica à espera do diálogo

O Presidente da República transmitiu, este sábado, que fez em público e privado o que podia para prevenir junto dos partidos uma crise política e afirmou que espera diálogo sobre o Orçamento do Estado nos …

Candidato do Chega detido por tentativa de homicídio de família sueca

O suspeito da tentativa de homicídio de uma família sueca em Moura, Beja, foi candidato do Chega à freguesia de Póvoa de São Miguel nas últimas eleições autárquicas. O líder do partido já condenou este …

A judoca Bárbara Timo

Judoca Bárbara Timo conquista ouro nos -63kg no Grand Slam de Paris

A judoca portuguesa Bárbara Timo conquistou, este sábado, a medalha de ouro no primeiro dia do Grand Slam de Paris, na sua estreia na categoria -63 kg em provas do circuito mundial. Bárbara Timo, de 30 …

Afinal, o início do Universo pode nunca ter realmente existido

Investigador português da Universidade de Liverpool partiu da teoria dos conjuntos causais para pôr em causa alguns dos conceitos mais importantes na complexa evolução do Universo. A ideia de que o nosso universo foi criado através …

Exoplaneta gigante conseguiu sobreviver à morte da sua estrela

Cientistas encontraram um exoplaneta gigante que parece ter conseguido sobreviver à morte da sua estrela, orbitando neste momento uma anã branca. As anãs brancas são o processo final de estrelas e chegam a ser tão densas …

Homem budista a meditar

O tukdam - um estado mental "meio-morto" dos monges budistas - é o novo fascínio da ciência

Os monges budistas conseguem chegar a um estado de meditação tão profunda que não é detectada qualquer actividade cerebral. No Budismo no Tibete, há um conceito mítico conhecido como "thukdam" ou "tukdam". Acredita-se que este é …

Trofense 1-2 Benfica | Águias passam a rasar

O Benfica, da I Liga, venceu hoje o Trofense, da II Liga, por 2-1, no prolongamento, depois do 1-1 no tempo regulamentar, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue …

Como nasceu o mito dos vampiros? Mais doenças e menos Drácula

Os vampiros são um mito com séculos de história e que podem estar associados a doenças como a raiva e a pelagra — e não ao Drácula. O vampiro é uma imagem comum na cultura pop …

Edifícios impressos em 3D pelo exército norte-americano

Exército dos EUA pode agora imprimir edifícios de cimento em 3D em zonas de desastre

O objectivo da tecnologia é facilitar a construção de casas e pontes quando são precisas com urgência em zonas afectadas por catástrofes. O Corpo de Engenheiros do exército norte-americano pode agora imprimir quartéis, bunkers e outras …