“É preciso acelerar respostas”. Marcelo foi visitar pessoas sem-abrigos e recebeu um cão

Miguel A. Lopes / Lusa

O Presidente da República pediu na terça-feira respostas mais rápidas para a integração das pessoas sem-abrigo, durante uma noite em que ajudou a distribuir refeições nas ruas de Lisboa e recebeu um cão bebé para cuidar.

Marcelo Rebelo de Sousa retomou as suas iniciativas de apoio e de sensibilização para a situação das pessoas sem-abrigo num percurso que começou em Sete Rios, passou pelo Rossio, por Santa Apolónia e acabou em Alcântara, acompanhado pela ministra do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

Horas antes, na terça-feira à tarde, tinha dito que era preciso perceber se o novo Governo, com uma nova equipa na Segurança Social, tencionava ou não prosseguir o caminho iniciado pelo executivo anterior nesta matéria.

Logo no primeiro ponto, nas instalações do Centro de Apoio ao Sem Abrigo (CASA), em Sete Rios, os dois estiveram lado a lado a embalar refeições quentes, equipados com aventais brancos, e a ministra assegurou que, “em completa articulação”, o Governo quer continuar as ações de procura de habitação e de soluções para as pessoas sem-abrigo.

“O nosso compromisso é continuar a implementar a estratégia e adaptá-la naquilo que for preciso”, afirmou, prometendo “não dar nunca o trabalho como adquirido”.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que “ter a ministra que tem a tutela do setor empenhada no terreno é fundamental” e que Ana Mendes Godinho “está a meter a cabeça em cheio” neste problema.

A noite começou com “uma boa notícia” quanto às instalações desta instituição em Sete Rios, com o presidente da administração do Metropolitano de Lisboa, Vítor Domingues dos Santos, a anunciar pessoalmente que o CASA poderá permanecer no local mais algum tempo do que o previsto, até ao final do próximo ano. O chefe de Estado comentou que “essa foi a boa notícia da noite“.

Também no local, o vereador da Câmara Municipal de Lisboa com o pelouro dos direitos sociais, Manuel Grilo, eleito pelo Bloco de Esquerda, declarou que seguramente se encontrará depois uma alternativa dentro dos espaços camarários.

Mais tarde, junto à Estação do Rossio, o Presidente da República e a ministra ajudaram a distribuir refeições a um pequeno grupo de cerca de meia dúzia de pessoas, com tendas, que reagiram de imediato à presença de repórteres de imagem: “Não filmem”.

Foi ali que Paulo Lopes, de 45 anos, ofereceu um cachorrinho preto a Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando: “Não vale a pena dizer para tratar bem do cão, porque eu sei que está muito bem entregue”. “Ah, eu vou tratar bem. Bem, bem, bem”, respondeu o chefe de Estado, que levou o cão ao colo, apresentando-o: “É o Speedy, que querido”.

Paulo Lopes queixou-se ao Presidente da República do tempo que ele e a companheira têm estado à espera de casa. “A candidatura está a demorar muito tempo, vamos ver isso”, disse-lhe Marcelo Rebelo de Sousa, defendendo que “é preciso acelerar isso”.

“Há candidaturas aqui apresentadas que temos de ver por que é que estão a demorar”, acrescentou mais à frente, aos jornalistas, pedindo pressa: “É preciso que os procedimentos que estão definidos, e que começaram, e bem, no passado, sejam continuados e acelerados”.

Quanto à meta de resolver totalmente este problema até 2023, acabando com as situações de pessoas sem-abrigo, Marcelo Rebelo de Sousa assinalou que isso depende não só da capacidade de resposta, mas também do contexto externo: “Se houver crise internacional aumenta imediatamente o número de sem-abrigo. Durante o período da crise em Lisboa não havia 361 como hoje, havia 1.400”.

O Presidente da República quis com esta iniciativa “medir o pulso” à evolução da situação das pessoas sem-abrigo, que “é uma situação em mudança” – e irá também ao Porto, em breve – e transmitiu a ideia de que chegaram novas pessoas e algumas, entretanto, foram alojadas.

“Só que é pouco para as necessidades e há pressões que surgem. Basta a economia – não é o caso – desacelerar muito, ou haver uma influência externa em termos de crise económica para aumentar o número de pessoas“, alertou.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …