Cientistas portugueses propõem solução para dois “problemas” do Universo

Um estudo realizado por investigadores da Universidade de Aveiro (UA) concluiu que as partículas que terão sido responsáveis por um período acelerado de expansão no início do Universo, os ‘inflatões’, podem constituir a ‘matéria escura’ que existe nas galáxias.

João Rosa, investigador do Departamento de Física e do Centro de Investigação e Desenvolvimento em Matemática e Aplicações da UA, disse à  agência Lusa que a investigação, publicada esta semana na revista científica Physical Review Letters, propõe “soluções para dois grandes problemas em aberto” na área da cosmologia: a inflação do universo e a ‘matéria escura’.

Segundo o investigador, a teoria da inflação, proposta em 1981 pelo físico americano Alan Guth, avança que nas “primeiras frações de segundos” após o Big Bang, o Universo teve uma “expansão acelerada”.

“A expansão do Universo só pode ser acelerada se o Universo tiver matéria num estado diferente da matéria que nós conhecemos hoje como os protões e os eletrões”, afirmou João Rosa, acrescentando que a teoria da inflação propõe assim “a existência de novas partículas elementares”, denominadas pelos investigadores como ‘inflatões’.

Por sua vez, a origem da ‘matéria escura’, designação dada pelos especialistas a “partículas que não emitem luz” existentes nas galáxias e que exercem força gravitacional sobre a matéria luminosa (estrelas), permanece desconhecida.

“Temos aqui dois problemas que indicam a existência de novas partículas. É quase uma questão natural que se coloca: Será que estas partículas que são precisas para originar esta inflação, podem ser as mesmas partículas que hoje inferimos como sendo a ‘matéria escura’?”, inquiriu o investigador.

Apesar desta “nem sempre ser uma ligação óbvia”, uma vez que os modelos convencionais apontam que depois da explosão inicial do Universo existiu um arrefecimento e que os ‘inflatões’ se transformaram em outras partículas após a inflação (teoria da inflação fria), a investigação coordenada por João Rosa concluiu que os ‘inflatões’ “não se transformaram” e que acabaram por ser “uma fonte de calor” para o Universo.

“Nos modelos de inflação quente, como o próprio nome indica, não há este arrefecimento porque os inflatões estão num estado de energia muito grande, mas conseguem transferir lentamente uma pequena parte da sua energia para o resto do Universo e mantê-lo quente, como se fossem uma fonte de calor permanente”, sublinhou.

Segundo o modelo teórico desenvolvido pelos investigadores, os ‘inflatões’, que “sobreviveram desde a inflação até aos dias de hoje”, não emitem luz e são “extremamente frios”, uma vez que perderam a sua energia ao manter o Universo quente.

À agência Lusa, João Rosa adiantou que a equipa da Universidade de Aveiro vai continuar a “procurar modelos teóricos que possam explicar diferentes questões que permanecem em aberto”, esperando que a proposta apresentada “possa ser tida em consideração” em futuras observações astronómicas.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Submarinos: Portugal expressa solidariedade com França (e diz que Austrália “furou compromissos”)

O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse hoje à Lusa que a Austrália “furou compromissos” com a França, numa decisão “bastante discutível”, acrescentando que Portugal já transmitiu solidariedade ao país europeu. Augusto Santos Silva disse, em …

ADSE recua e volta a comparticipar atos prescritos pelo SNS

A Associação Nacional de Beneficiários (Associação 30 de Julho) revelou que a ADSE recuou, perante uma reclamação da entidade, e vai voltar a comparticipar atos prescritos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). “Na sequência da reclamação …

O maior sistema de cavernas do mundo é (ainda) mais extenso do que se pensava

O maior sistema de cavernas do mundo estabeleceu um novo recorde depois de uma equipa de topógrafos conseguir mapear mais 13 quilómetros das passagens no Parque Nacional de Mammoth Cave, em Kentucky, nos Estados Unidos. As …

"Por trás lá vem a facada". Costa critica "duplicidade" da postura do Governo da Madeira

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu que as autonomias precisam de “solidariedade e confiança mútua”, assente na verdade, criticando a “duplicidade” da postura do Governo da Madeira no relacionamento com a República. “As autonomias exigem …

Estrela foi banquete de um buraco negro e criou um fenómeno raríssimo

O resultado do encontro entre um buraco negro e uma estrela azarada deu origem a um fenómeno raríssimo detetado por astrónomos. Ao medirem a radiação X enquanto a estrela era devorada, perceberam que estavam perante um …

Um carro movido a energia solar? Bom. Um carro-casa movido a energia solar para fazer 3 mil km? Melhor ainda

Projeto foi desenvolvido por estudantes universitários holandeses, cujo trabalho em veículos movidos a energia solar é já conhecido. O Stella Vita será testado numa viagem de longo curso pelo sul de Espanha já este mês, …

Há uma rua no Texas onde todas as casas foram impressas em 3D

Esta é a primeira comunidade de casas impressas em 3D nos EUA que está pronta a receber habitantes. A construção torna as habitações mais resistentes ao fogo e a inundações. Chama-se East 17th Street e fica …

A filha de Picasso doou nove obras do artista espanhol a França

A família de Pablo Picasso doou nove obras do artista ao Estado francês, que serão agora integradas no Museu Picasso, em Paris. Maya, a filha de Pablo Picasso, doou nove obras do artista como parte de …

Dormir bem? Depois da pandemia, não

O novo coronavírus criou uma "nação" de pessoas com insónias. Trabalhar menos horas pode ajudar. Insónias. Já eram um problema para muita gente até ao início de 2020 mas a pandemia que mudou o mundo também …

"Não posso ficar sentado a ver-nos voltar a 1972". Médico desafia a lei no Texas e admite que já fez um aborto

Um médico texano escreveu uma coluna de opinião no Washington Post a admitir que já fez um aborto no estado, depois da lei que proíbe interromper as gravidezes após seis semanas ter entrado em vigor. Em …