Portugueses vão poupar na luz com interligação elétrica a Espanha e França

Miguel A. Lopes / Lusa

Os chefes de Governo de Portugal, António Costa (D), e de Espanha, Pedro Sánchez (M), e o Presidente francês, Emmanuel Macron (E)

Responsáveis de Portugal, Espanha e França comprometeram-se esta sexta-feira, numa cimeira em Lisboa, a ter “rapidamente” uma interligação elétrica a ligar os três países, projeto que vai receber “o maior apoio financeiro europeu de sempre” dado a uma infraestrutura energética.

Este projeto envolve Portugal, Espanha e França e tem o intuito de cumprir a meta europeia de 10% do nível de interligações elétricas até 2020, prevendo ligações entre Portugal e Espanha (pela Galiza) e Espanha e França (pelo Golfo da Biscaia e pelos Pirenéus).

No acordo assinado no âmbito da II Cimeira para as Interligações Energéticas que decorreu em Lisboa, “os signatários congratulam-se com o progresso do projeto estratégico do Golfo da Biscaia”, ao qual foi atribuído “o maior apoio financeiro europeu de sempre a uma infraestrutura energética”.

Nesse quadro, insistem na necessidade de rapidamente garantir a sua operacionalidade” e “saúdam a prioridade que o Banco Europeu de Investimento (BEI) se compromete a dar na avaliação do financiamento desta infraestrutura”, refere o mesmo documento.

Em causa está um investimento de 578 milhões de euros para a primeira fase, montante que será suportado por fundos comunitários já aprovados pela Comissão Europeia.

A estas verbas acresce financiamento adicional do BEI, ainda não quantificado, para avançar com o projeto, bem como infraestruturas que liguem Portugal e Espanha, entre Vila Fria-Vila do Conde-Recarei (Portugal) e Beariz-Fontefría (Espanha).

“Comprometidos com a criação da União Europeia da Energia e com a transição energética europeia, os signatários reafirmam o objetivo estratégico das interligações para a concretização de um mercado interno da energia, plenamente operacional, seguro, competitivo, limpo e interligado, e comprometem-se com o incremento da sustentabilidade da energia”, lê-se no documento.

Além das elétricas, preveem-se interligações para o gás, através do “desenvolvimento de infraestruturas de transporte, armazenamento e importação que permitam à Europa beneficiar plenamente desta fonte de energia”, segundo o acordo esta sexta-feira assinado.

Assim, “Portugal, França e Espanha reconhecem a importância das interligações de gás na região, tanto para fins regionais como enquanto contributo chave para a segurança do abastecimento do mercado europeu do gás natural”.

O documento foi assinado pelos chefes de Governo de Portugal, António Costa, e de Espanha, Pedro Sánchez, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, bem como pelo comissário europeu responsável pela pasta Ação Climática e Energia, o espanhol Miguel Arias Cañete.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, salientou que o projeto em causa vai ter “consequências muito importantes como a descida dos preços”.

“A Península Ibérica tem tido, historicamente, preços de energia elétrica mais elevados do que os preços que se praticam no centro da União Europeia, e este isolamento do mercado contribuía para esses preços mais elevados”, justificou.

Ao mesmo tempo, “este aumento de capacidade de interligação vai permitir que cada vez mais Portugal possa escoar uma parte da sua energia, em particular da energia produzida a partir de renováveis”, referiu Caldeira Cabral.

“Passo significativo” para um novo roteiro energético

António Costa disse foi “dado um passo significativo” com a definição do financiamento do projeto de infraestruturas e o estabelecimento de metas ambiciosas. O primeiro-ministro de Portugal falava no final da cimeira, numa conferência de imprensa conjunta com os líderes de governo da Espanha e França.

“Esta II Cimeira das Interligações Energéticas não se limitou a reafirmar conclusões anteriores. Foram agora estabelecidas novas metas ambiciosas: até 2020, atingir um nível de 10% de interligações entre a Península Ibérica e a Europa, mas de 15% em 2030″.

Para este objetivo ser alcançado, de acordo com o primeiro-ministro, na cimeira “foi assinado o contrato de financiamento no valor de 570 milhões de euros para a implementação do projeto de interligação elétrico do Golfo da Biscaia, ligando a Península Ibérica a França”.

“Creio que esta segunda cimeira, em relação à anterior realizada em Madrid, dá um passo concreto com a assinatura do contrato, fixa novas metas e estabelece um roteiro para termos uma política energética que visa a segurança, a competitividade e a descarbonização da nossa economia”, sustentou o líder do executivo nacional.

Na sua intervenção inicial, António Costa caracterizou o desafio das interligações energéticas como “absolutamente essencial para haver um mercado europeu da energia com maior segurança por via da redução da dependência energética externa e pela diversificação das fontes de abastecimento”.

“Temos de possuir um mercado europeu da energia mais competitivo, com redução dos custos, quer para as famílias, quer para as empresas. É preciso também uma energia mais limpa com uma contribuição decisiva para a descarbonização da economia, assim para o cumprimento dos objetivos do acordo de Paris e do roteiro da neutralidade carbónica”, afirmou depois.

Na conferência de imprensa, o primeiro-ministro falou também no projeto para a interligação entre Portugal e Espanha, em particular entre a Galiza e o Minho. Em relação ao gás, António Costa considerou-o como “uma fonte de energia transitória”.

“É importante inserirmos este objetivo das interligações numa estratégia mais vasta, com cooperação entre a Europa e o Norte de África, mas também com o reforço da investigação em matéria de armazenamento de energia. O armazenamento energético é a chave do sucesso de uma estratégia assente em energias renováveis”, considerou o primeiro-ministro português.

Espanha promete dar “toda a informação” sobre Almaraz

O primeiro-ministro espanhol prometeu fornecer “toda a informação” a Portugal sobre a central nuclear de Almaraz, mas, tal como o Presidente francês, não estabeleceu qualquer calendário para acabar com a produção desta energia.

Sánchez e Macron foram questionados sobre se existem projetos para o encerramento de centrais nucleares em Espanha e França, mas ambos alegaram que os seus países estão atualmente “num processo de transição energética”, em que a questão da segurança é primordial.

“O objetivo de Espanha é a transição energética, com uma aposta decidida nas renováveis, mas garantindo a segurança do país, designadamente a existência de preços competitivos”, começou por declarar Pedro Sánchez.

A seguir, o primeiro-ministro espanhol referiu-se à questão da segurança da central nuclear de Almaraz, localizada perto da fronteira portuguesa, invocando conversas “frequentes” que tem mantido com António Costa.

“Em relação à central nuclear de Almaraz, tenho falado muito sobre esse assunto com o primeiro-ministro, António Costa. O compromisso é transmitir toda a informação à sociedade portuguesa sobre o presente e o futuro” da central, declarou.

Tanto Macron, como Sánchez, invocaram questões de segurança energética e de custos para os consumidores e para as empresas para não entrarem num processo abrupto de encerramento de centrais nucleares.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Aposto tudo o que tenho em como isto, de forma completamente imprevisível e que vai deixar toda esta gente com cara de pau, vai acabar por subir o preço da eletricidade para o consumidor final e aumentar os lucros das eléctricas.

  2. Ainda hoje ouvi na TV que vamos passar a ter o custo da electricidade mais baixo com a descida do IVA para o ano que vem, parece ser esta a estratégia do BE para a aprovação do Orçamento, isto implica uma queda de receita de largas centenas de milhões de euros nos cofres do Estado, portanto resta-nos apenas esperar por uma nova artimanha que nos traga um novo imposto para substituir essa falta de receita, entretanto os mais desprevenidos e mais ferrenhos irão ficar satisfeitos com a solução.

  3. Em Portugal o preço dos bens essenciais nunca dessem.
    Caso aconteça uma descida, teremos de imediato um imposto a anular essa hipotética descida.
    Não esqueçam que politico só dorme nas cadeiras do parlamento, para o resto não tem sono.

RESPONDER

BE e CDS rejeitam "paraministros". Só negoceiam com Costa e Centeno

O Bloco de Esquerda e CDS rejeitam negociações com "paraministros", sublinhando que só discutem com membros do Governo, comentando a manchete do Expresso segundo a qual um gestor petrolífero está a assumir esse papel. O semanário …

Países reinventam turismo. No México, hotéis oferecem 2 noites por cada 2 pagas

A pandemia de covid-19, que já matou mais de 350 mil pessoas em todo o mundo, pôs travão ao turismo mas já há países que preparam a retoma do setor com muitas ofertas e até …

Mais de mil condutores ficaram sem carta por perda de pontos

Mais de mil condutores ficaram sem carta de condução por perderem pontos, avança o Jornal de Notícias, dando conta que quase 300 pessoas tiveram que voltar à escola de condução para voltarem a ter permissão …

Confinado num hotel de luxo, funcionário abre 1400 torneiras a cada cinco dias

O diretor de engenharia do hotel W Barcelona, em Espanha, está a viver sozinho no estabelecimento turístico para garantir o seu pleno funcionamento até ao dia da reabertura. No âmbito das medidas impostas pelo Governo espanhol para …

Prisão preventiva para suspeito de matar estudante de psicologia em Lisboa

O suspeito de matar a estudante universitária de psicologia Beatriz Lebre, de 23 anos, ficou em prisão preventiva, depois de presente a primeiro interrogatório judicial, em Lisboa, disse à agência Lusa o advogado do arguido. Miguel …

BPI quer cobrar dívida de quase 5 milhões ao marido de Isabel dos Santos

O BPI interpôs um processo no Tribunal do Funchal, na Madeira, para cobrar uma dívida de 5 cinco milhões de euros ao marido da empresária Isabel dos Santos. A notícia é avançada este sábado pelo Diário …

Mais 13 mortes e 257 infetados. Região de Lisboa concentra 90% dos novos casos

Portugal regista este sábado 1.396 mortes relacionadas com a covid-19, mais 13 do que na sexta-feira, e 32.203 infetados, mais 257, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Registou-se um aumento de 0,8% no …

Recibos verdes e sócios-gerentes já podem pedir apoio relativo a maio

O formulário para os trabalhadores independentes e sócios-gerentes pedirem o apoio criado no âmbito da pandemia covid-19, relativo a maio, fica hoje disponível na Segurança Social Direta, podendo ser entregue até 9 de junho. O prazo …

Director nacional da PJ defende "recompensa garantida" para Rui Pinto

O director nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, realça a colaboração de Rui Pinto como tendo sido essencial para apurar a "verdade material" no caso de pirataria informática que o envolve e defende, por …

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …