Portas em Luanda para “resolver” problemas e não para “os aumentar”

portugal.gov.pt

O líder do CDS/PP e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O líder do CDS/PP e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro português, Paulo Portas, afirmou esta quinta-feira que está em Luanda para “resolver” problemas e não para “os aumentar”, ao ser questionado sobre o diferendo entre as estatais Sociedade Portuguesa de Empreendimentos (SPE) e a diamantífera angolana Endiama.

O governante português falava aos jornalistas à saída de uma audiência com o vice-presidente da República de Angola, Manuel Vicente, tendo sido questionado sobre este diferendo, que já levou a parte angolana, este mês, a abandonar o Tribunal Arbitral responsável por decidir sobre o processo.

“As diferenças devem resolver-se através das formas institucionais que estão previstas para resolver diferenças. Nós abordamos vários temas relativos a pagamentos e a transferências, temos uma atitude prática, as coisas devem resolver-se e não agravar-se. Eu não entraria em detalhes porque acho que isso é a melhor maneira de ajudar para que as coisas se resolvam para melhor”, disse Portas, em resposta a uma questão colocada pela Lusa.

Em causa está a exclusão da empresa pública portuguesa da exploração de diamantes numa mina do leste de Angola, através da Sociedade Mineira do Lucapa (SML), processo que se arrasta desde 2011, admitindo uma fonte governamental angolana, conforme noticia a Lusa a 20 de julho, que o abandono de Angola (Estado) deste tribunal pode representar “o prelúdio do início de um conjunto de retaliações” contra Portugal.

“Conversamos sobre assuntos práticos, quer o vice-presidente da República, Manuel Vicente, quer eu próprio somos pessoas pragmáticas. E quando há problemas nós, em vez de os aumentar, procurámos resolver. Abordamos temas práticos e instrumentos diversificados na área dos pagamentos ou das transferências. Não entrarei, naturalmente, em detalhes, pela simples razão que a reserva é boa conselheira e é boa ajuda para que as coisas possam melhorar e possam resolver-se”, disse Paulo Portas.

O vice-primeiro-ministro português – que está hoje em visita oficial à capital angolana por ocasião da Feira Internacional de Luanda – aludia também aos atrasos nos pagamentos sentidos, nomeadamente, por empresas portuguesas que operam em Angola, agravados pela crise financeira que o país atravessa.

A Lusa tinha já noticiado, a 10 de junho, que a Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama) exigia ao Estado português e a duas empresas públicas nacionais uma indemnização de seis mil milhões de dólares (5,5 mil milhões de euros) neste diferendo entre a concessionária angolana e a portuguesa SPE, que por sua vez quer ser ressarcida em mil milhões de dólares (920 milhões de euros) por Angola.

Conforme noticiado esta semana, e segundo fonte governamental angolana, a saída de Angola do Tribunal Arbitral, que deveria concluir em novembro próximo a apreciação deste diferendo e da queixa movida pela SPE – contestando ter sido excluída unilateralmente da SML -, ficou a dever-se a “graves irregularidades no processo de constituição” do mesmo, nomeadamente alegadas interferências da empresa portuguesa e do Governo de Lisboa.

Além de possíveis “retaliações de Angola contra Portugal”, a mesma fonte refere que o facto de a SPE pedir uma indemnização “é interpretado pelas autoridades angolanas como um verdadeiro insulto sem precedentes”.

Na origem deste caso está o litígio que opõe a SPE à Endiama, por esta ter avançado em novembro de 2011 com o encerramento da exploração diamantífera do Lucapa, alegando incumprimento contratual da empresa portuguesa, que então detinha 49% da sociedade que explora a mina.

Os restantes 51% pertencem à Endiama, que, a 6 de dezembro de 2011, anunciou a passagem dos direitos de exploração anteriormente atribuídos à SPE à Sociedade Mineira Kassypal, uma unidade da holding angolana Grupo António Mosquito.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Resolver problemas? O Paulinho das feiras?!
    Ha haha…
    Este “artista”, além de ter uma cara de pau “ilimitada”, tem mesmo jeito para a palhaçada; é pena não ficar por lá e nunca mais voltar…

RESPONDER

Plano de vacinação arranca em janeiro com três fases. 950 mil pessoas no primeiro grupo prioritário

Pessoas com mais de 50 anos com uma patologia frequente nos casos graves de covid-19, residentes e/ou internados em lares e profissionais de saúde integram o primeiro grupo prioritário para a administração da vacina de …

Segunda vaga de moratórias autorizada pela Autoridade Bancária Europeia

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) autorizou a reabertura de moratórias de crédito, com efeitos a partir de 01 de outubro até 31 de março de 2021, dois meses após ter suspendido novas adesões. Num comunicado publicado …

Turquia alvo de críticas duras em reunião da NATO e em risco de sanções

A Turquia esteve esta quarta-feira sob um fogo de críticas na reunião virtual dos Ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da NATO e, com a deceção manifestada pelos Estados Unidos, deve preparar-se para sanções económicas americanas …

O que Neymar mais quer é voltar a jogar com Messi. Só se vier a custo zero, diz o Barça

O internacional brasileiro Neymar, que alinha pelo PSG, confessou esta quarta-feira que o mais deseja é voltar a jogar com o astro argentino Lionel Messi, com quem partilhou balneário entre 2013 e 2017 no Barcelona. …

Ministro da Administração Interna e procuradora-geral da República vão ser ouvidos no Parlamento

Eduardo Cabrita será ouvido sobre o caso do cidadão ucraniano assassinado nas instalações do SEF e Lucília Gago sobre a "recente diretiva sobre os poderes hierárquicos" na magistratura do Ministério Público. A comissão de Assuntos Constitucionais …

Portugal regista mais 79 mortos e 3.772 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 79 mortos relacionados com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e 3.772 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

França investiga 76 mesquitas por suspeita de radicalização islâmica

A França vai investigar nos próximos dias 76 mesquitas por suspeitas de radicalização islâmica, anunciou esta quarta-feira o ministro do Interior do país, Gerald Darmanin. Trata-se de 16 templos na região de Paris e 60 no …

Medidas estão a dar resultados. Novas regras apresentadas sábado vão vigorar até 7 de janeiro

O primeiro-ministro afirmou que as medidas adotadas estão a produzir resultados, havendo uma trajetória descendente de novos casos de covid-19, mas advertiu que janeiro é mês de risco e as restrições não podem ser aliviadas. Esta …

Interpol alerta para ameaça do crime organizado ligado às vacinas. Falsificações podem ser fatais

A Interpol emitiu um alerta global aos perigos de burlas à volta da nova vacina para a covid-19. As falsificações podem ser lucrativas para os criminosos e fatais para quem as usar. A Interpol emitiu um …

Alguns distritos de Portugal continental e Madeira com avisos meteorológicos até domingo

Alguns distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira vão estar a partir de hoje e pelo menos até domingo com vários avisos meteorológicos devido à agitação marítima, vento e queda de neve, de …